sexta-feira, março 21, 2008

Pelamor de Deus!



Tem um samba do Almir Guineto, da década de 80, cuja letra diz assim:

Os habitantes da Terra estão abusando
Ao nosso Supremo Divino sobrecarregando
Fazendo mil besteiras
E o mal sem ter motivo
E só precisam de Deus quando estão em perigo
"Deus lhe pague", "Deus lhe guie", "Deus lhe abençoe"
Deus é o nosso Pai, o nosso Guia
Tudo que se faz na Terra, se coloca Deus no meio
Deus já deve estar de saco cheio!


Vou avisando que este post é pra lá de polêmico. Que Deus me ajude!
Um antigo dirigente europeu disse, certa vez: “Hoje acredito que estou agindo de acordo com a vontade do Criador Todo-Poderoso: ao me defender do judeu, estou lutando pela obra do Senhor”. Um jogador de futebol disse, ao fazer um gol ilegal: “Foi a mão dei Deus!”. Um deputado disse, em depoimento, que “Deus o tinha ajudado a ganhar na loteria 221 vezes”. A frase “Fé em Deus” é utilizada como cumprimento entre um certo grupo de comerciantes.

Ou seja, Deus é usado em diversas situações como explicação, como desculpa, como base para milhares de argumentações. Para muitos, Deus é Amor. Para outros tantos, Deus é justificativa para matar. E ao longo da História, quantos morreram em nome de Deus! O Deus judaico-cristão da maior religião do planeta, em tempos antigos era acometido por “ira”, “se vingava”, costumava “perder a paciência” com os seres que criara à sua imagem e semelhança. Basta dar uma olhada no Antigo Testamento e verificar a origem de expressões como “Deus castiga!”, “a ira de Deus” etc. Segundo consta, a Bíblia é a “Palavra de Deus”, foi escrita por homens segundo a Sua inspiração e orientação.
*
Lá, estão escritos os “Dez Mandamentos” de Deus. Na verdade, lendo os livros de Gênesis, Êxodus, Levítico, Números e Deuteronômio, os primeiros cinco que compõem o Pentateuco e foram escritos, segundo a tradição cristã, por Moisés, vemos que existem muito mais mandamentos. Não contei, não, mas deve ter pra lá de 500! A imensa maioria caducou e não dá para ser levada a sério, ou alguém ainda quer saber o que se deve fazer para sacrificar um animal a Deus? Tem alguns mandamentos que devem ser seguidos a risca para que Deus se agrade de um sacrifício.
*

Por falar nos famosos 10 mandamentos, recentemente eu vi um excelente documentário no canal Discovery esclarecendo sobre cada um deles. Excelente! Vocês sabiam que o quinto mandamento foi feito como uma espécie de INSS para pais e mães velhinhos? Nos tempos bíblicos, o filho mais velho herdava as propriedades da família. A mãe não ficava com nada. E o pai, quando envelhecia e não conseguia trabalhar, ficava à mercê dos filhos. Daí, tratou-se de colocar um fundo de previdência para os pais, para que os filhos cuidassem deles e mantivessem a célula central da sociedade: a família. Veio então o “Honrarás teu pai e tua mãe”.
Aliás, outra curiosidade: as duas primeiras tábuas com os Dez Mandamentos foram quebradas por Moisés, quando ele voltou e viu o povo adorando o Bezerro de Ouro. Depois de dar um esporro geral, ele subiu de novo a montanha e pediu uma segunda via para Deus. Foi essa que colocaram na Arca da Aliança.
*

Mas eu queria chamar a atenção para o segundo mandamento, o que diz: “Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”. Tem versões da Bíblia que acrescentam um complemento a este mandamento: “Não adora-las-á, nem prestar-lhes-á culto, por que eu, Jeová, teu Deus, sou Deus zeloso ["Deus que exige devoção exclusiva" ou "Deus ciumento"; em hebraico El qan.ná e em grego Theós zelotes], e que puno o erro dos pais nos filhos até sobre a terceira geração e sobre a quarta geração dos que me odeiam, mas que uso de benevolência para com até a milésima geração dos que me amam e que guardam os meus mandamentos”.
*

Xiiii... Aí fedeu! Complicou a vida dos católicos! Pela quantidade de imagem de santos que tem as igrejas, olha, não sei, não... Mas se as palavras da Bíblia estão valendo... Deus vai cair matando sobre adoradores de imagens até os seus bisnetos!
*
Bem... Com a palavra sobre o assunto, a Igreja Católica. Vi e ouvi um padre falando sobre o mandamento: “Nós não adoramos as imagens. Elas são como uma fotografia, uma lembrança dos santos. Ao rezarmos diante de uma imagem, na verdade, estamos rezando para o santo que ela simboliza”.
Sei... Entendi... Então, pelo que consta, o mandamento não está escrito com clareza, é isso? Se Deus não quisesse que se fizesse imagem de santos, bastaria ter dito que não deveria ser feita nenhuma “fotografia”, nenhuma “lembrança”... Aaah, tá... Agora ficou bem mais claro! Como ele só recomendou que não adorassem, nem fizessem imagem de nada, então está claro, claríssimo!
*

Da mesma forma, o mandamento de Cristo “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” não é assim para ser levado tãããão ao pé da letra, não é? Com a Inquisição, as perseguições religiosas, a matança de judeus (mas, péraí... Jesus não era judeu? Não pregava para judeus? Não falava sobre o Judaísmo?), as guerras religiosas, o apoio à escravidão de negros, as decisões de Estados cristãos de mandar balas e bombas para cima das pessoas, isso é alguma forma de “amar o próximo”? Vai ver até é e eu não peguei o espírito da coisa.
*

Mas eu não quero só discutir as religiões judaico-cristãs. Um outro ramo também tem invocado o nome de Deus para fazer umas coisas que... huuuummm... não sei se Ele aprovaria. Fui assistir ao bom filme “Os caçadores de pipas”. Não sei se o livro é baseado em fatos verídicos. Não o li. Só vi o filme. Mas, de qualquer forma, parece que ele descreve com muita semelhança o que os talibãs fizeram no Afeganistão, depois que os tomaram dos soviéticos. Carácoles! Se existe inferno, aquilo era o próprio! Verdadeiras barbaridades eram cometidas, segundo diziam, por ser “a vontade de Deus”. Tem gente que diz que nós, ocidentais, deveríamos deixar os muçulmanos pra lá, com o jeito e a cultura deles. Mas no notável livro “Sobre o Islã – A Afinidade entre Muçulmanos, Judeus e Cristãos e as Origens do Terrorismo”, de Ali Kamel, ele assegura e demonstra cabalmente que os fundamentalistas islâmicos não querem aquela vida para eles; querem para todo mundo! E que não vão sossegar enquanto todo o mundo for seguidor do Islã na linha ortodoxa deles, em que “Deus castiga os infiéis” por qualquer coisa, como mascar chicletes, por exemplo.
*

Para complicar a situação, estive lendo um texto de um estudioso, chamado Christopher Hitchens e fiquei estarrecido. Vocês sabiam que não há consenso, mesmo entre os islamitas, sobre a origem do Alcorão? Eles dizem que é um livro santo, escrito por Maomé. Não é verdade. O profeta maometano morreu em 632 da nossa era e o primeiro relato sobre a sua vida apareceu 120 anos depois e foi perdido, sendo reconstituído de memória (já pensou na fidedignidade?), duzentos anos depois. Sunitas e xiitas divergem claramente sobre quem escreveu e como o livro foi escrito. A religião islâmica só “pegou” na Arábia a partir das guerras e conquistas árabes que eram tão mirabolantes, que pareciam ter mesmo ajuda divina. Se alguém ler o livro “Deus não é grande”, de Hitchens vai saber de muita coisa estranha sobre o Islã e sobre outras religiões. A verdade é que Deus não manda matar ninguém. Quem mata é o ser humano e dá essa desculpa indigna e calhorda.
*

Deus que me perdoe, mas se eu pudesse mudar de planeta e ir passar uns tempos nos anéis de Saturno, olha, eu topava! Eu estou sempre dizendo que a natureza humana é virótica, destruidora. Para cada Tereza de Calcutá tem mil Fernandinho Beira-Mar. Sob situação de tensão, o homem costuma resgatar seu passado bárbaro e aí, nem Deus segura! E muitas maldades são feitas, muitas bobagens são ditas justamente invocando o Santo Nome de Deus! Sabem aquelas frases do início do post? A primeira, foi dita por Adolf Hitler. O jogador de futebol foi o Maradona, depois de marcar um gol com a mão, fazendo tabelinha com o Todo Poderoso. O deputado “ungido” por Deus para ganhar tantas vezes é o João Alves. E são os traficantes cariocas que se cumprimentam dizendo “Fé em Deus”. Aliás, eles combinam assaltos, invasões de outros morros, enfrentamentos com a polícia dizendo este mesmo “mantra”.
*
Quero dizer que eu acredito em Deus, faço orações e procuro, dentro de minhas falhas, ter um comportamento cristão. Mas olho o mundo ao meu redor e reflito sobre o quanto o Criador deve estar, com todo respeito, com o saco cheio da humanidade.
John Lennon disse numa canção que "Deus é um conceito com o qual medimos a nossa dor". Temo que, de alguma forma, Lennon tenha razão. Não por eu não acreditar nEle, mas por perceber que a pessoas só pensam verdadeiramente no Ser Altíssimo quando estão passando por algum problema. No mais, Ele seria apenas um mero pretexto.
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Theme from Exodus”, peça magistral tocada por 101 Strings. Boa Páscoa para todos!

30 comentários:

Zeca disse...

Marco,

depois de tudo isso, não há mais o que comentar, senão posso acabar sendo castigado por Deus. Seu post está magnífico, espelhando, com muito bom humor, como se usa o Seu Santo Nome em vão.

Feliz Páscoa, meu amigo!

P.S.: Eu não tenho nadica de nada de sadomasoquismo, Deus me livre! Aquele conto é apenas uma tentativa de dar uma outra visão a uma "ficada".

Márcia(clarinha) disse...

Meu amigopratodavida e para todas que vierem.
Vim deixar meu carinho e desejar que sua mãezinha se recupere sem seqüelas, que o riso encha seus dias e que sua mão ainda o afague por muito tempo.
Não sei o que dizer mas saiba que meu coração está repleto de amor e energia positiva para vocês.
Obrigada pelas palavras, pelo sincero carinho, pelo respeito e por sermos de verdade.
Feliz Páscoa amigopratodavida.
beijos

Dominique disse...

Primeiramente, Feliz Páscoa, Marco! Espero que este feriado seja muito bom para você.

E enfim, não vou falar sobre seu post desta vez...

E por que não?

Porque eu concordo com tudo o que você disse! Simplesmente o maior erro que o ser humano cometeu não foi inventar as armas (e este erro já condenou-nos pelo resto da vida!), mas sim inventar o conceito de religião, do qual as pessoas se valem para discriminar, agredir, subjugar, destruir. O erro da humanidade é criar rótulos para se diferenciarem e menosprezarem uns aos outros. E infelizmente a religião, seja ela qual for, fora criada tão somente para isso.

E agora que já comentei (crente que não ia comentar pois me sinto tão indignada quanto você com o que vem acontecendo ultimamente no mundo e que todos apregoam ser "em nome de Deus"), vou dizer até logo e te deixar um grande abraço!

Até mais, querido!

Marcos disse...

Realmente muito controverso. Jesus, judeu, não é tido como santidade pelos judeus; o segundo testamento contradiz em muito os mandamentos do primeiro. "Deus é um cara gozador, adora brincadeira", já dizia o chico, e deixou, entre palavras que não dizem, apenas insinuam, a interpratação que os espertalhões desejam para se darem bem em nome Dele. Cheguei à onclusão que Deus e religião são duas coisas totalmente diferentes. Deus não precisa de religiões, elas que precisam dele.

Obrigado pelo apoio, Marcão. Resolvi ficar, depois não reclame, hehe

Lulu on the Sky® disse...

Feliz Páscoa Marco.
Desculpe mas não vou entrar em discussão com seu post justamente pra evitar polêmica com os demais q não seguem a mesma religião.
Só acredito q as pessoas devem ter um respeito maior por Deus.
Big Beijos e Feliz Páscoa.

Itiro disse...

Grande Marco,
excelente e corajoso o texto de hoje. Muita gente pensa o mesmo, (como é o meu caso) mas tem receio de ferir as sensibilidades e crenças cristãs, da infelizmente , maioria do povo brasileiro. Seria importante termos essa mesma mente e atitude aberta de questionar as verdades dogmáticas de qualquer parte que sejam emitidas essas verdades. Mas fazer o quê. É a mesma atitude das pessoas de boa vontade que retransmitem mensagens alarmantes e novos mitos urbanos pela internet sem checar a veracidade ou a origem...
Mesmo assim, uma feliz páscoa!!!

Claudinha disse...

Olá Marco!
Emocionou-me Exodus,a primeira música que dedilhei no violão, encantada com os filmes preferidos do meu pai. Quanto ao texto, muitíssimo bem escrito (como sempre, toca na ferida. Quantas e quantas vezes usamos Seu santo nome em vão? Quantos não se esconderam sob seu manto para praticar injustiças e crimes hediondos, como alguns que mostrou aqui. Que Ele seja pretexto sim, mas não um mero pretexto e sim a razão de mudarmos, tranformarmos nesta Páscoa as nossas vidas, refletindo sobre nossos erros e nossa conduta e sendo pessoas melhores, fazendo dEle e de suas lições razões para viver bem.
Uma boa Páscoa para você e os seus!

adelaide amorim disse...

Tenho um amigo agnóstico que costuma dizer que não põe em dúvida a existência de Deus - põe em dúvida é o conceito que os homens fazem dele. E pelo visto, está coberto de razão.
O jeito é procurar o melhor caminho usando o bom senso, não é mesmo? Todo mundo sabe o que é e o que não é certo, bem resumido na frase atribuída a JC: não faças aos outros o que não queres que te façam.
Errar em nome de Deus deve ser bem mais grave que errar por conta própria.
Beijo e uma ótima Páscoa, amigo Marco.

Janaina Staciarini disse...

Ahhh esses posts polêmicos demais eu fico de fora... Feliz Páscoa, querido. Que em sua casa esteja tudo em Paz.
Beijão.

Renata disse...

Queridíssimo, uma feliz páscoa para vc!

As religiões são sim todas controversas, mas Deus não é religião... (pelo menos para mim)

bjos com saudades!

Cris ツ disse...

Belo texto, Marco! Penso bem por aí e, lembrando-me tb do Lennon em Imagine... "Nothing to kill or die for, No religion too"...

Uma linda Páscoa pra vc tb , meu amigo!
Beijos

Samara Angel disse...

belíssimo texto como tudo que vc escreve a dedo,assino em baixo pq tb penso igualzinho seria maravilhoso ir para o anel de saturno ou venus, sei la,numa nave espacial esquecer dessa terra que é um inferninho mesmo, meu querido desejo uma linda pascoa iluminada ,muito amor,paz e luz em sua vida,sabes que te adoro, bjss

cartassemselo disse...

OI Marco,

Desejo que voces tenham uma feliz pascoa cheia de esperaça de uma vida abundante de paz em um mundo bem diferente desse aqui rssr...
O assunto é polemico e pode ate desagradar alguns leitores, mas a verdade deve ser dita mesmo.
Hoje em dia usar o nome "Santo" de Deus se tornou fonte de lucro. Por isso é tão popular, já notou como tem surgido livros sobre Jesus, os mandamentos, desenhos animados absurdos usando Jesus e agora saiu até um jogo de video game tipo Street Fighter com personagem como Adão,Eva Jesus e Satanás(Fonte: revista Mundo Estranho, março de 2008, seção “internet”, p. 71.) E mesmo que sejam polemicos, mesmo que não digam nada além de absurdos, mesmo que não tragam nemhuma cultura espiritual e na maioria das vezes deturpem a verdade, acabam vendendo milhoes de copias, deixando os idealizadores da obra milhonarios.
As vezes eu tenho a mesma vontade que você, de sumir desse mundo louco. Fico imaginando até onde vai a tolerancia divina.
Uma coisa é certa, "De Deus não se zomba" Ele não terá por inocente o que tomar seu nome em vão.
Mas deixa queto por enquanto pq a vingança é de Deus.

Um abraço
Simone

isabella saes disse...

Querido, leia O Caçador de Pipas. Se vc só viu o filme, vale a pena ler o livro tb. É tão lindo quanto!! Grande beijo, Bella.

Mimi disse...

Assim que comecei a ler seu post pensei n"O Caçador de Pipas" e concordo com o Baba do guri: o único pecado real é roubar!

Sobre as religiões, nada tenho a dizer que já não foi dito e receio que o Islã seja a chaga dos nossos tempos. Sobre os símbolos: sim eles têm poder, canalizam a fé de quem precisa deles.

Eu daqui sigo sempre rezando por você e pelos que você ama. (Li seu comment na MárciaClarinha, Ternurinha). Rezo também pelos meus entes queridos que sofrem também.

beijo suave como uma brisa distante

Francisco Sobreira disse...

Marco,
Bom o seu texto, esclarecedor, como sempre. Hoje não me preocupo com religião, em nome da qual tantos males foram cometidos (ver a Inquisição). Como gosto de futebol, sei há muito tempo que foi Maradona que disse aquilo. Também sabia sobre a declaração daquele inefável João Alves, mas desconhecia a frase de Hitler. Um abraço e uma excelente semana.

DO disse...

Maravilhoso o seu texto,MARCO.
Cr�tico na medida certa,sem ser ofensivo.
"Para cada Tereza de Calcut� tem mil Fernandinho Beira-Mar." - Esta frfase defi ne muito.
Parabens!!

Abra�o e otima semana!

guiga disse...

Pois, o problema do ser humano é querer ocupar o lugar de Deus, porque Ele disse isto, Ele fez aquilo... blablabla. Matar e ir para a guerra em nome de Deus... Pelo amor DEle!!!

Hoje não há "loool".

Bom início de semana! *.*

claudia disse...

Meu querido.
Você foi muito feliz no seu post, sabe que religião é e sempre será um tema polêmico, mas parabenizo você pela sutileza com que colocou o tema. Adorei.
Sabe Marco, sou católica, acredito em Deus, por que não vejo outra razão para que uma rosa floresça sem a mão de Deus, é lindo não é? E a nossa gestação??? Assim como a dos animais, vc. pode ver algo mais perfeito?
Porém, não consigo acreditar nas leis, tábuas...mandamentos...etc...etc...etc...e que Deus me perdoe.
Não consigo...
Acredito sempre numa "força maior", e muitas vezes imagino até mesmo ser um "ente querido", ou Nossa Senhora de Fátima...mas acredito. Para mim é um fato inexplicavél, mas acredito.
Li numa reportagem, há algum tempo que existiriam poucas guerras se não houvesse religião.
Não sei.
Talvez se não houvesse as "leis", o mundo seria mais cruel ainda...
Tenho muitas dúvidas, assim provavelmente como todo mundo, mas procuro sempre ser equilibrada. Acho que o equilíbrio nos faz melhores e mais humamos.
Isso talvez seja o que Deus espera realmente de nós.
Além de muito amor.
Um beijo no coração e parabéns pelo post.

Tina disse...

Oi Marco,

Realmente uma polêmica - na qual eu não entro... mas achei seu texto muito bom.

beijos e boa semana,

Lino disse...

Marco:
Você pisou, ao mesmo tempo, em vários calos. Mas a visão, no geral, é muito idêntica a que tenho.
Ao longo dos anos os fiéis foram transformando Deus em utilitário. Dão e recebem. Rezam e são atendidos. A idéia de algo maior, mais profundo, foi sendo colocada de lado, prevalecendo a ligação direta entre o fiel e seu Deus, que o atende, inclusive na hora de massacrar o inimigo.
O fundo do cristianismo e do islamismo é bem diferente. São religiões centradas no fazer o bem, em elevar as pessoas, promover o entendimento. Mas, hoje, é exatamente isso o que não fazem.
No final, a religião virou uma grande indústria e é preciso faturar com ela, em todos os sentidos.

Anônimo disse...

Olá Marco, você está bem? Gostei do post. Gostei de ler você. Beijos, obrigada pela força. Fique com DEUS, cuide-se.

MMartha disse...

Olá Marco, você está bem? Gostei do post. Gostei de ler você. Beijos, obrigada pela força. Fique com DEUS, cuide-se.MMartha.... Errei... rss

Moacy Cirne disse...

Seu texto é muito bom (o Deus bíblico, para mim, não passa de um personagem literário, cujos valores são meramente ficcionais). Só não concordo num ponto: não me parece que Ali Kamel seja um autor sério. Um abraço.

BABI SOLER disse...

Se não estamos cansados imagine ele.
Saturno é uma boa opção.

Isabella Kantek disse...

Demorei, mas passei. Estou devagar como pode perceber. rss
Como sempre, um ótimo post. Lembrou-me de uma aula em que enquanto a professora tentava comentar sobre a importância literária e histórica da bíblia, metade dos alunos discutiam questões religiosas. Pegou fogo! Mas...não há crescimento sem diálogo, resta saber se do outro lado existe uma mente disposta a dialogar e expandir...
Abraços.

Bruxinhachellot disse...

Marco, o texto é polêmico, mas foi muito bem fundamentado. Agora temos ainda a situação da perseguição aos participantes do "Falun Dafa" na China. Como pode acreditarem que uma meditação pode ser coisa do demônio ou contrária ao governo? Isso eu chamo de ignorância e é essa ignorância que desde os tempos passados vem sujeitando os povos aos mandos e desmandos das autoridades, sejam elas religiosas ou não.
Sabe sou batizada, comungada e crismada na igreja católica, mas como não acredito em Santos, não cultuo imagem e não suporto a hierarquia papal, não me considero mais católica, muito menos apostólica romana.

Beijos poéticos.

maristela disse...

Marco. Tá difícil. Passei esses 55 anos tentando ser um "cadinho" melhor do que devo ter sido em outras 500 reencarnações e às vezes me pego rogando praga pro motorista que me corta na esquina. Isso é o micro da coisa toda.
Belo post.
Vai lá no blog, tem um desafio que acho que é do teu tamanho.
bj

Mimi disse...

Vim te beijar o rosto e apertar sua mão! Hoje é dia do Teatro, Ternurinha! E também é dia do palhaço, pode me dar os parabéns!
;-)

Dora disse...

Grande texto, Marco...(pode ser também um texto grande...rs)!
Falou muito sobre o Deus da religião judaico-cristã. E me lembrou de minhas leituras do Antigo Testamento que me metiam medo quando Jeová se enfurecia...A fúria de um Deus é coisa de louco!!!
Mas,no meio de toda essa história em que se sobressai a idéia do que seria ter Fé e distinguir o Bem do Mal, eu ainda fico em dúvida se continuo a seguir a religião católica, em que fui criada...
Só de pensar no papel da Igreja Católica, na Inquisição, etc, nos papas( vc contou de um que adorava "baladas"...rs), nos cristão fanáticos, não consigo deixar de duvidar de tudo...
Beijos para você.
Dora