domingo, março 16, 2008

É festa! Três anos de muita ternura no coração!


Bem, amigos do Antigas Ternuras... Hoje é dia de comemorações aqui no velho guarda-louças de antigas emoções. Há exatos três anos (1096 dias para ser mais preciso), começavam aqui as nossas transmissões para o universo blogueiro. Já contei como aconteceu. Foi por acidente, como as coisas prazerosas costumam acontecer. No dia 16 de março de 2005, minha querida amiga Isabela Saes, neta de um de meus ídolos, filha e sobrinha de duas amigas que tanto prezo, me avisou que tinha aberto o (excelente) blog Mente Inquieta. “Passa lá e dá uma força”, me disse ela. Passei, li e, na hora de comentar, ela, como eu, neófita em Internet, não tinha disponibilizado os “comments” para qualquer leitor. Só para quem estava cadastrado no Blogspot. Resumo da ópera: tive que abrir um blog para poder comentar e dar uma força para a minha amiga. Foi ali, de supetão. Botei o primeiro nome que me veio à cabeça, uma citação de uma das músicas que eu tanto admiro do meu prezado Tito Madi: “Ternura Antiga”. Para ficar diferente, resolvi inverter e passar para o plural.
*

Eu não conhecia praticamente ninguém do mundo blogueiro, só a própria Isabela (de cuja família sou amigo há muitos anos). Escrevia aqui para mim, sabia que no máximo era lido por meu amigo-irmão Luiz, que nunca me falta, graças ao bom Deus. De repente, nem sei como, o espaço dos comentários começou a ser preenchido. Magicamente, visitas apareciam de tudo quanto é lugar do Brasil e até de fora do país. Eu só coloquei contador no dia 25 de outubro de 2005; no momento em que coloco no ar este post já são 136.121 visitas. Bota aí mais umas mil de março a outubro e já dá para ver no que deu aquele atrapalhamento na hora de comentar no blog da Isabela.
*

De lá pra cá, já foram postados 356 textos, que geraram 5.567 comentários de uma gente maravilhosa que conheci virtualmente, uns até pessoalmente como o Paulo, o Evandro, a Helena, o Marcelo, a Márcia e a Bruxinha.
*
Revendo o meu arquivo, vi comentários de tanta gente que não aparece mais por aqui. Ou porque deixaram o ambiente blogueiro, ou porque não vêm mais por sei lá que motivo. Provavelmente por algo que escrevi aqui ou em comentários. Existe uma espécie de ética entre a maioria dos blogueiros: não se pode polemizar, não se pode discordar, que algumas pessoas ficam melindradas. Demorei a perceber isso, e sei que arrumei até algumas inimizades. Mesmo sabendo dessa tal “ética”, às vezes a minha natureza de virginiano sobressai e eu acabo deixando gente fazendo beicinho pra mim. Peço desculpas a todos que porventura ofendi de alguma forma. Não foi minha intenção criticá-los. Aqui, no Antigas Ternuras, se alguém discordar do que eu escrevo ou descobrir alguma imprecisão pode falar, pode escrever, aliás, eu vou adorar que me corrijam se eu estiver incorreto. Como já aconteceu trocentas vezes e eu sempre agradeci pelo toque que me deram. Não sou infalível, nem dono da verdade. Cometo erros como qualquer um. E respeito a opinião de todos, mesmo que diversa da minha.
*

Nesses três anos de Antigas Ternuras, nesses 1096 dias, passei e recebi tantas informações que quase transformam este modesto blog numa versão moderna dos velhos almanaques. E eu acho isso ótimo! Eu era fascinado por almanaques! Costumava ir na farmácia e pedir um exemplar. Lia o Almanaque Capivarol, o do Biotônico Fontoura, o que me caísse nas mãos eu devorava. Os almanaques eram dirigidos especialmente aos agricultores, visto que tinham informações sobre época de plantio, fases da lua, melhor período para colher a safra...Lá, por exemplo, dizia que se plantasse milho no dia de São José (19 de março), colheria as espigas no dia de São João (24 de junho). Mas eles também continham anúncios de remédio, palavras cruzadas, cartas enigmáticas, piadinhas, e, o que eu mais gostava: informações curiosas.
*

Tem gente que até hoje chama esse tipo de informação de “cultura inútil” ou “cultura de almanaque”. Modestamente, eu discordo. Cultura nunca é inútil. E ela não se gerou espontaneamente nos almanaques: alguém estudou, pesquisou e escreveu ali. Em muitos casos, uma informação dada no almanaque gerava em mim uma baita curiosidade de eu saber mais. E ia procurar nos meus “Google” da época: as enciclopédias. Ou mesmo em livros específicos. Ah, se os jovens de hoje ainda tivessem esta preocupação! Atualmente, temos à nossa disposição muitíssimo mais informação que no meu tempo de moleque. Só que muita informação é igual a nenhuma informação, pois satura as pessoas e elas acabam não se interessando ou sequer sabendo triar o que existe por aí.
*

Nossa! Era tão bom quando chegava um almanaquinho e o Seu Henrique da Farmácia guardava um exemplar pra mim! Aqueles livrinhos eram minhas janelas para uma outra dimensão. Para quem não era dessa época, eis alguns exemplos de informação dos almanaques:
- Diz-se que o imperador Nero ficou profundamente entristecido com a morte de sua esposa, Popéia, que tinha morrido grávida (em decorrência de um pontapé que ele deu nela, em momento de fúria). Um dia, ele estava zanzando pelas ruas de Roma, para esquecer a sua tristeza, quando viu um rapaz, de nome Esporo, que se parecia muito com a falecida. Nero levou o rapaz para o palácio, mandou castrá-lo e se casou com ele.
- Uma elefante-marinho fêmea virgem só se deixará desvirginar por um elefante-marinho macho também virgem. Depois desse primeiro coito, ela dá para qualquer um e ele come todas que passarem na frente dele.

- O angu à baiana é um prato originário de Sergipe. O tutu à mineira foi criado em São Paulo. A caixa preta dos aviões é laranja. O Mar Vermelho é azul. Os palitos de fósforo não contém fósforo. A soda-limonada não tem soda. O papel de arroz não leva arroz na sua fabricação. O chapéu Panamá é fabricado no Equador. O banho turco foi inventado pelos romanos.
- A lata para conter alimentos foi inventada pelo comerciante inglês Peter Durand e apareceu em Londres, pela primeira vez, em 1830. O abridor de latas só foi inventado em 1860.

- Existe uma espécie de peixe, o mouthbrooder africano, cuja fêmea expele seus óvulos na água e depois vai catando um a um com a boca. O macho vai acompanhando o movimento. Ele tem pontos vermelhos em sua barbatana ventral que confundem e atraem a fêmea. Quando ela se aproxima para catá-los o macho ejacula na sua boca e acaba fertilizando ali os ovulinhos dela.

- O papa João XII freqüentava tabernas e prostíbulos e era bissexual: levava moças e moços da nobreza para a sua cama. Ele preferia caçar a sair em procissão, jogar dados em vez de rezar salmos. Nas festas de embalo que empreendia no Vaticano, ele levantava da mesa bêbado e ia para as cocheiras. Lá, entre uma mijada e outra, ele consagrava bispos, celebrava missa e até fazia brindes a Baco.
- Na Idade Média, em alguns países da Europa, o assassinato era punido com a forca. O cadáver de um suicida também era enforcado, visto que matou uma pessoa.
- Oliver Cromwell foi condenado à forca seguida de decapitação. Isso dois anos depois de morrer. E a sentença foi cumprida.

- O céu de Marte é cor-de-rosa, o de Urano é verde, o de Vênus é cor de laranja, o de Júpiter é preto.
- Em determinada tribo de índios do Brasil, na época do descobrimento, se alguém fosse capturado e condenado à morte, ele poderia passar a última noite com a filha e a esposa de seu captor.
- Os tubarões são imunes a qualquer doença, mesmo câncer. Seu sangue tem anticorpos que destroem qualquer vírus, bacilo ou bactéria.
- O que Átila, o rei dos hunos, e o papa Leão VIII têm em comum? Ambos morreram de ataque cardíaco em pleno ato sexual.
- O que Alexandre, o Grande, o rei Ricardo Coração de Leão, a rainha Cristina da Suécia, o tzar Pedro, o Grande e o papa Júlio III têm em comum? Todos eram homossexuais.

- Se alguém fosse escrever toda a história do planeta Terra, desde o seu surgimento, num único volume com mil páginas, cada página cobriria quatro milhões e meio de anos. A Idade dos Dinossauros gastaria trinta páginas. O primeiro mamífero apareceria na página 984. O homo sapiens surgiria no final da penúltima página. E tudo o que aconteceu na humanidade, desde a pintura nas cavernas até os dias de hoje deveria ser condensado numa única palavra no final do livro.
*
Não é legal saber dessas coisas? Pois é. Resolvi comemorar o aniversário do Antigas Ternuras relembrando minha paixão pelos almanaques. Meu muito, muito obrigado a cada um de vocês que habitualmente vêm aqui ler meus textos e ainda me cumulam de prêmios, selinhos e carinhos. Foram três anos muito prazerosos, sem dúvida. Em diversas vezes, por conta de minhas atribuições, já pensei em dar um tempo aqui no blog. Mas acabo permanecendo, visto que adoro escrever coisas aqui e ler os textos dos meus muitos amigos virtuais. O melhor presente de aniversário deste blog é a presença de cada um de vocês, que são minhas sempre eternas ternuras.
Um brinde!

M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Where Did Our Love Go”, com Diana Ross & The Supremes. Essa também é do meu tempo. Nos bailinhos, a gente botava essa para animar a moçada. A pista fervia! Vamulá, moçada! Vamos sacudir a caveira, aê!

31 comentários:

isabella saes disse...

Querido, parabéns para nós!!! É uma experiência incrível mesmo ter um blog. principalmente, porque escrever é, para mim, a mais incrível forma de libertação!!! Portanto, continuemos nos libertando a cada dia e alimentando a nossa alma e a dos nossos visitantes também! Um grande beijo e obrigada pela referência a mim, Bella.

p.s: adoro quando um post meu vira polêmica!!!

p.s2: veja "Na Natureza Selvagem", o novo do Sean Penn. É imperdível.

J.F. disse...

Marco, fico feliz de participar da festa de aniversário do "Antigas Ternuras". E... sem essa de "dar um tempo", que este blog é leitura obrigatória e prazeirosa de muita gente! Abração e parabéns.

Claudinha disse...

Olá meu querido amigo. Vim deixar meu beijo e meu abraço de parabéns ao Antigas Ternuras e à você. Você tem uma maneira toda especial de nos reportar às melhores fases de nossas vidas, as nossas próprias ternuras. É só abrir o blog e aparecer aquela saudade cor de sepia que muitas vezes até dói.
Eu também adorava os almanaques e até uns 6 anos atrás, ainda encomendei uns para a farmácia. Agora não vejo mais em lugar nenhum. Muito bem lembrado.Que bom também poder comemorar com seus amigos que deixaram de ser virtuais. Que Deus continue iluminando seu caminho para que possamos aprender sempre com você.
Beijos!

* Fico feliz em saber que sua mãe está bem.

Zeca disse...

Marco!

Parabéns, amigo! Três anos de antigas ternurar para todos os seus leitores gerou uma multiplicação de ternuras difícil de calcular. Foram, no mínimo, 5.567 novas ternuras (uma para cada comentário). Mas como muitas delas geram filhotes, fazendo com que outros blogueiros publiquem textos inspirados aquí, imagine a dificuldade desse cálculo!
Que venham muitos e muitos outros três anos. E o meu obrigado também para a sua amiga Isabela, por ter sido a geradora (para não dizer genitora) do seu blog.

Grande abraço. Parabéns!

Mimi disse...

Ternurinha, Parabéns!!!!


Nossos blogs começaram mais ou menos na mesma época, sabia???
Só que os meus eu enforco e mando decapitar! Depois eu crio outro, e mais outro e mais outro. Todos levam o teu link, como eu carrego tuas histórias no meu coração.

Parabéns novamente e saiba que eu adoro cultura útil ou inútil, nunca é demais!

beijos

Jack disse...

Quero bolo!!!
Muita gente que começou a blogar antes de mim já parou... eu ando meio devagar quase parando, se é que vc me entende, mas ainda não consigo pensar em largar o vício... :)
Boa semana e felicidades!
Bjocks

itiro disse...

Parabéns pelo aniversário!!!
É sempre um prazer ler os seus textos. Também era vidrado em almanaques que eram distribuídos em farmácias. Aqui, existem desde o tempo coloniais com mais ou menos o mesmo formato, mas são vendidos em bancas. Eu leio os substitutos, que são jornaizinhos que trazem o mesmo tipo de informações, sem as previsões de tempo e com muita propaganda e por isso, grátis.
Espero que continue a nos brindar com os seus posts por muitos e muitos anos!!!
Um grande abraço!

DO disse...

Pode ter certeza que nós é que somos presenteados sempre que vc posta,MARCO.
É sempre um prazer enorme vir aqui e aprender com vc.
E bendita seja sua amiga Isabela,heheheh

Abração e que muitos outros anos estejam por vir.

Tin-tin.

Márcia disse...

Parabéns amigopratodavida!!
Que se façam mais 3 e mais 3 e mais 3 com tanta informação, humor e alegria.
Obrigada por tudo e perdoe minha ausência, ando assim, assim mas com você sempre no coração.
dias lindos,
beijos

Bruxinhachellot disse...

Viva!!! Adorei conhecer a origem do Antigas Ternuras. O meu labirinto também nasceu assim.
Esses almanaques eram muito legais. Foi com eles que aprendi muita coisa legal.
Parabéns amigo!

Beijos poéticos.

Lula disse...

Marcão, meu querido amiguirmão...
Com muito prazer venho parabenizá-lo pelo rompimento do triênio e nada mais agradável do que oferecer-lhe como presente a quebra do jejum do GLORIOSO contra os mulambos! Desta vez a imparcialidade do juiz foi fundamental!
Dois beijos: Meu e da Marne.

maristela disse...

Marco, com um dia de atraso venho trazer meu abraço sincero e dizer que é uma alegria ter seus comentários lá em casa. Longa vida ao Antigas Ternuras!

Tina disse...

Oi Marco!

Parabéns pelo aniversário! Mas saiba que os maiores ganhadores somos nós, que temos o prazer de ler tanta coisa boa por aqui. Obrigada!

beijo grande e que continue sempre a nos brindar com suas doces ternuras!

adelaide amorim disse...

Beleza, Marco!
Se o AT não existisse, tinha que ser inventado depressa, porque tinha que haver um veículo pra você nos contar tanta coisa que, sem você, a gente nunca ia saber. Ou não saberia com tanto prazer de ler como aqui.
Beijos e muitas ternuras, novas e antigas!

Isabella Kantek disse...

Parabéns, vida longa ao blog!!!
Queria ter essa facilidade para escrever linhas e mais linhas assim com tanta naturalidade. Chego lá...

Concorco contigo, imagine só, que bobagem seria dizer que esse tipo de informação é inútil...enfim.
"Cultura nunca é inútil. E ela não se gerou espontaneamente nos almanaques: alguém estudou, pesquisou e escreveu ali."

=)

Marcos disse...

Parabéns, Marco!
O teu blog É um almanaque, e dos bons. Concordo quando diz que nenhuma cultura (ou conhecimento) é inútil. Nem que seja para quebrar osilêncio constrangedor numa roda de novos amigos, a dita cultural inútil passa a ser útil.
Que venham muitos outros tr~es anos.

Lino disse...

Compartilho com você o gosto pelos almanaques e pela cultura dita inútil, que não o é.
Quando aos blogs, sou dos que também gostam de dar opiniões, mesmo discordando do que está sendo dito. E no caso do meu blog, gosto da polêmica.

Fernanda disse...

AEEEEEEEEeeeeeee, Marco!!!! Parabéns para o Antigas Ternuras!!!! 3 anos de muita cultura e muita informação!!!!!

Beijinhos

Makoto® disse...

Eu sou um dos sumidos. Ando bem sem tempo para blogs, a começar pelo meu próprio, que já quase não tem atualizações. Feliz coincidência chegar na época do aniversário. Quanto aos almanaques, também tenho um certo gosto por esse tipo de leitura, embora já não compre esse tipo de publicação.

BABI SOLER disse...

Parabéns pelo aniversário do blog.
Que venham mais e mais textos incriveis.

Mimi disse...

Posso ser sincera? Eu estava doida pra ler seu comment num texto meu. Obrigada por ter visitado! Muitos beijos e parabéns novamente, Ternurinha!

bbjo

Moacy Cirne disse...

Com certo atraso (quando estou em Natal, como agora, o meu mundo virtual passa a exitir numa dimensão mais "lenta"), dou-lhe os parabéns pelo aniversário do blogue. Em tempo: também gosto muito de almanaques. Abraços.

cartassemselo disse...

Oi Marco!

Espero que sua mãezinha esteja bem! Vim dar os parabéns pelos tres anos! Eu peguei o bonde andando mas mesmo assim posso dizer que o antigas ternuras tem trazido muita alegria, cultura e diversão a mim e a outros. Gosto de tudo que voce escreve. A cultura de almanaque é otima. Eu adorava ler os exemplares da minha tia que colecionava todos com especial carinho.
Desejo que você continue por ai,e que sua inspiração nunca acabe.
Adorei conhecer você e suas ternuras!

Um grande abraço!
Simone

Dominique disse...

Mesmo atrasada chego para te dar meus parabéns!

E como eu ri dos almanaques! Aqui em casa ainda tem um monte deles, que eram de minha mãe e agora são de minha propriedade. Dizem que é velharia, mas eu (como futura historiadora e, secretamente, apaixonada por este tipo de leitura) guardo cada um deles; principalmente os do Biotônico Fontoura que minha mãe comprava para me lembrar porque eu tinha (quando pequena) de tomar aquele troço horrível todos os dias. :)

Saudades daquela época, sabia? Mas sabe como eu mato estas saudades? Vindo aqui desde antes de 02 de dezembro 2007, mesmo antes de ter um blog, apenas para dar uma espiada, apenas para relembrar coisas boas. E isto jamais aconteceria, Marco, se não fosse por você, meu amigo.

Por isso, parabéns pelos três anos do Antigas Ternuras! Seu blog já é de casa e sem ele a blogosfera seria muito sem graça, sem conteúdo, sem criatividade, enfim, sem tudo aquilo que este espaço tem.


Um abração a ti!


P.S.: E que venham os próximos três anos! Seus leitores os aguardam!

Até mais!

Dora disse...

Marco! Caríssimo Marco. Parabéns pelo seu aniversário de blog.
Devo confessar que, ao ler aquela parte ali referente ao papa que "gostava de baladas"( você é uma peste...rs) eu ri tanto que até me esqueci do resto do texto!!!
Como você sabe, escrevo mais poemas do que prosa e tenho o costume de visitar blogs de poetas...Mas, o seu, desde que o conheci, me tomei de amores por ele, e venho sempre que me batem as saudades...
É ótimo!!!! Não pense em abandoná-lo(como disse...). Fique mais uns 100 anos por aqui. Depois, quem sabe...? rs
Amigo, brincadeiras à parte, desejo-lhe sempre boa sorte e sempre sucesso.
Permaneça no universo blogueiro.
E quero ler Carpe Diem por aí, por muito tempo!!!!!!!!!!!!!!
Beijos e abraços.
Dora

luma disse...

Marco, parabéns pelos três anos! E lembro como se fosse hoje do dia em que puxou minhas orelhas "Meu nome não é Marcos, é Marco" e até hoje tomo cuidado com isso!!
E com o tempo passamos a conhecer o caráter, peculiaridades das pessoas e se voltamos é porque houve afinidade. Se alguém não volta mais, é porque não encontrou nada que fosse atraente para si. Atraimos pessoas iguais a nós e isso é muito bom! Parabéns mais uma vez e que venham mais anos pela frente!! Beijus

Francisco Sobreira disse...

Caro Marco,
Que bom o seu blogue estar chegando ao terceiro aninho. Ele é mais novo do que o meu pouco mais de 2 meses. Parabéns, amigo, e que o "Antigas Ternuras" prossiga por muito tempo, nos deliciando com o seu humor e os seus conhecimentos. Grande abraço.

Juliana disse...

Olá Marco!
Cheguei aqui em minhas andanças pela internet.
Gostei da cara do seu espaço, da proposta, da história.

Abraços!

Lola disse...

Parabéns!!!!!!!
Se puder, dê uma passadinha no "Consciência" e veja se pode ajudar de alguma forma...
Beijos e parabéns pelo blog, mais uma vez!!!

Isabella Kantek disse...

Passei para ver se tinha novidades e aproveitei para reler algumas sabedorias. Abraços e uma Boa Páscoa!

Ronie disse...

Parabéns Marco Ternurinha. Sumi do pedaço né?! Não tenho comentado nem sei pq!!!(Acho que foi depois daquela carta infame do Império do Mal que me enviou, que parei.) rá rá rá...