domingo, janeiro 06, 2008

Festa de Ano


Eu passei meu reveillon em uma pousada-fazenda. Sempre gosto de começar o ano em meio a calma bucólica, no silêncio das línguas cansadas, onde eu possa ficar do tamanho da paz, como diz a excelente música de Zé Rodrix e Tavito.
E depois do espocar da champanha, gosto de caminhar sozinho, fazendo minhas orações, mentalizando boas energias, coisas do gênero.
*
Estava do lado de fora da casa, em um descampado quando vi. O exato momento em que o Ano Velho dava a vez ao Ano Novo.
Na verdade, era uma reunião de Anos Velhos. Vi vários senhores de barbas brancas, com túnicas alvas, cada uma com um ano impresso. Eles inclusive se tratavam pelos números. Havia os mais efusivos, os mais quietos, uns mais alegres, outros mais tristes.
*

Eu me aproximei daquele estranho grupo e vi que todos rodeavam um menino com a inscrição “2008” na roupa. Dois velhos, o “1958” e o “1968” eram dos mais animados e faziam muitas recomendações ao guri:
- Olha, ano terminado em 8 dá muito certo. Quero ver você honrando a nossa estirpe! Veja só a responsabilidade, heim?
Um velho com a inscrição “2000” tentava interferir:
- Deixa o garoto! Não coloquem esse peso todo nas costas dele. Eu sei muito bem o que é começar cheio de expectativas...
Um outro velho, com uma inscrição “2001” acima de um “I love NY” entrou na discussão apontando o dedo para o 2000:

- Expectativa? Você roubou a minha expectativa! Levou erradamente a fama de primeiro ano do milênio. Eu sou o primeiro e verdadeiro ano do milênio e do Século XXI! Você é um farsante, 2000!
Eu estava pronto para apoiar o “2001” nos seus argumentos quando ouvi o “2002” falando:
- Deixa de bobagem! Isso de comemorar início do século com ano zero é uma novidade, sim, mas não deixa de ser uma curiosidade. Você está amargurado por conta das merdas que aconteceram no seu tempo. Começar século e milênio com avião derrubando torr...
- Melhor mudar de assunto! – propôs “1998” – Agora não é o momento disso.
*
Eu via todos afagando “2008”, os dois anos mais animados – “1958” e “1968” - faziam massagem nos ombros do garoto, como se ele fosse um lutador de boxe prestes a entrar num ringue. Num canto, sem que ninguém desse atenção, estava “2007”, com uma expressão entre a tranqüilidade do “missão cumprida” e a melancolia de um “fiz o que pude”.
Fui até ele.
*
- Eu quero te agradecer. Você foi muito bom para mim. Eu sempre vou me lembrar de você, pelas ótimas coisas que me aconteceram em seu tempo.
Ele me olhou sorrindo triste.
- Eu sei. E me alegro por conta disso.
Estávamos os dois ali, olhando um para o outro, sem ter o que dizer. Mentalmente revi meus muitos bons momentos no ano que passou, a concretização de um antigo sonho, os muitos sorrisos e as poucas tristezas.
*

Fomos interrompidos pelos gritos de “vai que é tua, garoto!” E vi “2008” saltitando e fazendo exercícios de alongamento, como um jogador de futebol na beira do campo. O velho ao meu lado olhou para ele e murmurou algo como “boa sorte”. Todos começaram a aplaudir o novo ano. Eu também bati palmas para ele. Mas, súbito, me voltei para 2007 e dirigi a ele meus aplausos. O velho, sorrindo, fez um gesto com a cabeça, agradecendo. Dirigi os olhos para “2008” no exato momento em que ele ia adentrar o “campo”. Ele me viu e, com um sorriso enigmático, piscou um olho para mim. O que ele queria dizer com aquilo? Eu ia perguntar algo para ele, mas pingos de chuva caíram sobre o meu rosto e eu passei a mão nos olhos para limpar as gotas, ao abri-los, a cena já tinha passado, tudo desaparecera. Eu estava novamente sozinho.
*
O céu se iluminava cada vez mais multicor com o estouro dos fogos. Ao longe, ouvia as pessoas cantando dentro da casa: “adeus Ano Velho... Feliz Ano Novo... Que tudo se realize... No ano que vai nascer...”
Eu me dirigi para lá sem pressa. Deixei que a chuva banhasse a minha alma por alguns instantes.
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Overjoyed”, de Stevie Wonder. Durante vários dias na passagem do ano cantei esta música, assim, inconscientemente. Depois, lembrei que uma das traduções possíveis para este título é “De bem com a vida” ou “Super contente”. Aí entendi porque estava cantarolando esta pequena pérola. Espero que todos vocês entrem neste alto astral também.
***********************************************
No blog Playground dos Dinossauros tem texto meu. Se alguém aí é do tempo do “Jerônimo, o Herói do Sertão”, apareça por lá. Se não é e quer saber do que se trata, vai também.

21 comentários:

Sandra Leite disse...

Marco,

Li muitos textos sobre passagem de ano, ano novo e confesso: o seu está primoroso. Essa analogia com o menino e com os galãs de 1958 e 1968 é lindaaaaa!!!
Moço que lapida as palavras: FELIZ 2008! Que ele te dê sempre motivos para celebrar!
Mas não vamos esquecer o bom e velho 2007...ele foi necessário pra travessia.

beijos

Só Magui disse...

De qualquer forma sua visão foi ótima. Não viu nada desagradável que viveu.Isso é bom sinal para 2008.
http://somagui.zip.net

SOS online disse...

Poucas pessoas podem dizer que passaram ilibadas o ano de 2007...eta aninho dificer sô !rsrsrsr
Enfim vim te conhecer, muito prazer, adorei o blog, culto, letrado, politizado e lindo. Fica aqui o meu convite para visitar os meus dois blogs http://s.o.s.miseria.blogspot.com onde temos hoje um texto do André Wernner sobre a AIDS e o meu outro blog http://criticaedenuncia.blogspot.com onde eu meto os pés pelas mãos falando hoje de Evolucionismo e criacionismo. Deixo aqui um grande beijo.
Alda Inacio

Erika disse...

Chorei com seu texto, Marco.
Lindo de viver.

A reverência a 2007 foi fabulosa.

Maravilhoso.

E que venha a nós os Feliz Todo Dia Novo, da sorte do número 8, né?

Beijos

"Oncotô? (Erika)"

Francisco Sobreira disse...

Caro Marco,
Muito bom começo de 2008 no seu blogue. Como sempre, você faz um texto humorístico sobre um assunto que, geralmente, é tratado em tom sisudo e, às vezes, com uma certa pieguice. Grande abraço.

Claudinha disse...

Olá Marco! Que bela maneira de começar o ano. Um texto ótimo, no seu melhor estilo. Lembrar o que viveu de bom é uma forma de viver sempre bem. Eu estou preparando um post de minhas antigas lembranças, onde quero homenagear os meus amigos, dispersos pelo mundo. Localizei vários deles no orkut, refizemos contato e vai ser o próximo post. Olha só, procurando uma amiga (prima distante) minha que mora hoje em São Caetano, caí na página de sua namorada, homônima dela. Eu já tinha visto no Jô com você. Peça à ela que me desculpe a invasão, não foi intencional, eu estava procurando em inúmeros perfis e até encontrei minha amiga e a irmã. O marido desta irmã está com um time aqui na cidade, o Santo André.
Desejo uma excelente semana para você e um ótimo início de ano!
Beijo.

Renata disse...

adorei essa história..uma das minhas favoritas!!!!! Bjos e mais uma vez feliz 2008...e olha, eu concordo que ano terminado em oito vai ser bom..rs...rs...

Saramar disse...

Enancatador!
Sua sensibilidade é emocionante.
Creio que poucos se lembraram de agradecer o ano velho e as horas felizes que nele passamos.

beijos

maristela disse...

Marco. Legal você assumir publicamente que reza. Eu acho orar o máximo. Assim como amo Overjoyed, tanto que já coloquei lá no bloguito. Dois bons motivos para você ter começado bem 2008.
bj

J.F. disse...

Marco,
Mais uma crônica primorosa. É necessária muita sensibilidade para escrever assim. A gente até "vê" o que você narra. Parabéns!
Abração, JF.

Liz disse...

Na minha peregrinação por blogs alheios, vi o teu...espero que a gente possa ir se visitando...
Ainda não criei uma identidade para meu blog, por isso que tento fazê-lo no minimo curioso!
Belo blog, eu volto!
Liz

Janaina Staciarini disse...

Ai, Marco! Que delícia vir aqui e ler um post seu... Adorei a reunião dos anos velhos... que venha o novo, não é?
Beijos!

Márcia(clarinha) disse...

Então 8 é O Cara?
Bora viver intensamente, realizar sonhos, abraçar queridos, beijar muito, escrever e ler demais, ser amigopratodavida, romper barreiras e permitir felicidade.
Que primor de texto meu amigo, sua cara!
lindos e felizes dias
beijos

Bosco Sobreira disse...

Você inaugurou o ano de uma forma agradável e nos presenteia com esse primor de relato.
2008 de muita paz, saúde, meu caro amigo.
Forte abraço.

Lena Gomes disse...

Espetacular... é o q posso dizer do seu texto. Simples e profundo. Muito bom. Parabéns, mais uma vez. Adorei. Não ouvi a música do S. Wonder, mas sei qual é. Bem, beijinhos!!! Eu tinha preferência pelos anos ímpares, mas o fim de 2007 foi tão ruinzinho pra mim, q vou botar "toda fé" na positividade do 08!!!

Liz disse...

Ah, vida a gente sempre espera algo melhor do ano que vem...Vamos viver o agora? Vamos mudar nossas vidas hoje? Esquecer o ano que passou, e partir para os proximos minutos?!
Obrigadinha pela vivita!

DO disse...

Muito lindo,MARCO.
É a nossa eterna expectativa. E não podemos deixá-la esmorecer.

Abraço grande!

http://www.ramsessecxxi.blogger.com.br

Lila Rose disse...

Pois então, meu amigo querido: vou ficar aqui durante o ano para ver você escrever um post que seja mais belo que este!!!

Sucesso!!!

Bisous.

luma disse...

Marco, fez seu balanço anual e a visão dos velhos anos passados oprime quando pensamos que mesmo velhos, queremos que eles saudavelmente sobrevivam e num compartilhar de lembranças que na hora do acontecido, nos trouxeram a sensação de satisfação, mesmo que ilusória. Não dá para enterrar os velhos anos!
Feliz ano bebê!! Beijus

Moacy Cirne disse...

Voltando de Natal e do Ano Novo, leio, com admiração, seu texto. Parabéns, parabéns. Abraços.

Dominique disse...

Olá, Marco, já vim ao seu blog outras vezes mas sempre me surpreendo em cada nova visita!

Esta, por sinal, fora muito interessante. Apesar de que considero outro ano, com oito, muito especial também, pois uma pessoa de quem gosto enormemente nascera neste ano: o de 1978. Talvez não seja um ano de boas lembranças no todo, mas merece ser levado em consideração para que 2008 venha com a energia e a esperança de cada um dos "oito" que se foram.

Espero que nos visitemos e certamente voltarei para me fartar um pouco mais desta sua boa literatura!

Fica aqui o convite para o meu cantinho e também um abraço tão novo e cheio de expectativas quanto 2008!

Até a vista!