quinta-feira, dezembro 27, 2007

Sete vezes PAZ


O Natal se foi. Agora é pensar que mais um novo ano se aproxima, trazendo esperança de paz entre as pessoas. É tempo de pedir Paz. De forma ampla, a humanidade nunca teve paz. Desde que hominídeos se juntaram em pequenas tribos, começou a pancadaria. Em algum Momento 1 algum homem da caverna começou a olhar de banda para um outro e por sabe-se lá que motivo sentaram o tacape um no outro.
*
Da mesma forma que a violência surgiu, também surgiu o desejo de viver bem. Uns preferiam a guerra. Outros achavam melhor viver em paz. Já bastava a Natureza agressiva que rodeava aqueles seres quase indefesos na aurora dos tempos, que começavam a se achar os mais importantes do pedaço (e só piorou com o tempo...)
*

Recentemente, li um artigo do senador Cristóvam Buarque (PDT-DF), que foi, inclusive, o meu candidato nas últimas eleições presidenciais, onde ele fala dos sete tipos de paz. Muito interessante. Segundo descreveu, essa idéia é defendida pelo povo Aymara, índios que vivem na Bolívia e Peru.
*
Uma coisa curiosa. Aymara é o nome da minha irmã. E seria o meu se eu tivesse nascido mulher fêmea, segundo me contou minha mãe. Meu pai lia muito a Enciclopédia Lello Universal (para os mais novos, enciclopédia é uma espécie de Google do tempo dos Flintstones, ou seja, do meu tempo). Quando minha mãe ficou grávida de mim, ele escolheu dois nomes no Lello, um para menino e outro para menino. Os pais faziam isso nos tempos pré-ultrasonografia. Se fosse menino, teria o nome de um imperador romano conhecido como um grande filósofo; se fosse menina, nome da tribo andina. Fecha parêntesis.
*

De acordo com os Aymara, o primeiro tipo de paz é para dentro de cada um de nós. Com a saúde de nosso corpo, a clareza de nossa mente, a satisfação com nosso trabalho, a alegria com a pessoa que escolhemos para amar. Sem paz consigo mesmo, não há Paz.

O segundo tipo é para cima, paz com os espíritos de nossos antepassados, com o Deus de cada um. Sem paz com o mundo espiritual, ninguém fica totalmente em Paz.
A terceira paz é para frente, com o seu passado. Diferentemente dos homens brancos ocidentais que põem o passado para trás, os Aymara o colocam para adiante, por ser o visto, o vivido, o conhecido. Quem tem remorsos, culpas, dívidas não pagas, arrependimentos não pode alcançar a Paz.
A quarta paz é para trás, com o futuro de cada um. Pois quem teme o que virá, se apavora com o que terá de enfrentar, com a possibilidade de más notícias não está em Paz.

O quinto tipo de paz é para o lado esquerdo, com os nossos familiares. Desavenças domésticas, disputas, queixas, ranger de dentes com a família e com amigos próximos impedem de se alcançar a Paz.

A sexta é para o lado direito, com nossos vizinhos. Estar pacificado na própria casa e em desavença com a casa ao lado traz impedimentos para a verdadeira Paz.

A sétima e última paz é para baixo, com a terra em que você pisa e de onde tira o seu sustento. Se você provoca a tempestade ou a seca, se o solo tremer você não terá a santa Paz.
*

Reparem que das sete, as quatro primeiras dependem exclusivamente de cada um de nós. Duas (a quinta e sexta), envolvem a gente na nossa relação com o próximo e a sétima, depende além de nós, de uma ação política e social. E se considerarmos que vizinhos representam todos os seres humanos no planeta, esta é também uma ação sócio-política mas que se inicia dentro de cada um.
*

Façamos uma reflexão. Nós estamos realmente em Paz? Cumprimos com louvor estes sete passos recomendados pelo povo Aymara? Você quer a Paz? O que você faz por ela? O roteiro está aí, dado por um povo milenar, que nunca é ouvido, que é chamado pejorativamente de “selvagem”, por nós, os “civilizados”. Depende de nós. Depende de você. Depende de mim.
*
Feliz Ano Novo. Um 2008 com muita PAZ para vocês. Sete vezes Paz.
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Amor de índio”, bela canção de Beto Guedes e Ronaldo Bastos na voz de sonho de Milton Nascimento.

41 comentários:

Renata disse...

Marco, vc é mesmo um amigão...estou tendo uma certa dificuldade em fazer estas reflexões de fim de ano..rs.. Mas adorei este roteiro. Não conhecia esses 7 tipos de paz, e só de ir lendo o post, várias fichas foram caindo para mim, obrigada!!!!!! Vou usar seu "roteiro" com certeza!!!!

Um bjo grande, um ótimo 2008 e que vc encontre toda a paz que necessita!

Claudinha disse...

Olá Marco! Adorei este texto e vou seguir o exemplo do povo Aymara. Desde criança eu percebi que as pessoas mais simples (como aquelas que transmitiam seus ensinamentos boca a boca, como aquelas que aprenderam as lições observando a natureza)eram as mais sábias. Eu aprendi a respeitar o conhecimento profundo que sempre nos transmitem. E você disse bem, são chamados selvagens...
Um excelente 2008 para você, muita saúde, sete vezes PAZ!
Beijo.

benechaves disse...

Oi, Marco: mais três belas postagens! E sobre a primeira das três, o termo usado por vc 'inflando o volume da bolsa escrotal' é, realmente, ótimo. Não conhecia tb a origem de 'meia-tigela'. Acho que esses políticos brasileiros são todos de 'meia-tigela', não? Sobre a segunda, digo apenas que antigamente ainda existia uma certa tradição nesta data do Natal.(Embora Jesus não tenha nascido no dia 25 de dezembro). Hoje existe somente um consumismo desenfreado atacando o bolso de todos nós. O espírito natalino vai se esfacelando ano-a-ano.[O mais interessante disso tudo é que o sempre velhinho Papai Noel nunca morre, né? Todo mundo morre e ele fica ali, firme e velho pra chuchu(rs)].
E sobre a chamada Paz, creio que nunca existirá, apesar de clamores pelo mundo afora. A guerra parece sobressair. E os homens ainda se dizem humanos, hein? Humanos na guerra?? A palavra 'humano' significa 'bondoso', humanitário'. Mas, somente vemos violência e morte a todo instante. Acho uma hipocrisia, o lado estritamente egoísta do animal racional. E onde mora a razão?
Contudo, que vc e todos os seus tenham Paz no ano que chega, um 2008 bem Feliz tb para todos nós.

2008 abraços...

ZECA disse...

Amigo, PAZ!

Sempre que lembro ou comento algo passado (para a frente) que me traga sentimentos bons de ternura e saudade, lembro do "Antigas Ternuras"
e, claro! de você.
Que todos alcancemos todos os sete tipos de PAZ para que possamos repassá-los como uma corrente.
Que o novo ano lhe traga (para trás) muita PAZ e todas as realizações.
Como sempre, mais um maravilhoso texto de sua lavra...
Fique com o meu abraço e o meu carinho.

Erika disse...

Querido Marco, a maior e melhor reflexão de final de ano é ter o prazer de ter pessoas como vc na lista do meu coração.

Feliz Todo Dia Novo para vc e os que vc ama.

Beijos

"Oncotô?"

Chuvinha disse...

Eu espero que em 2008 a palavra PAZ seja praticada o tanto o quanto foi escrita por voce. Feliz Ano Novo!

guiga disse...

Adorei este post!
Desconhecia por completo esta tribo, esta filosofia de vida. Mas, pergunto-me, essa tribo nunca teve desavenças? Nada? Houve sempre Paz? Onde quero chegar é que, obrviamente a Paz depende apenas de cada um de nós, da nossa relação com o outro e com o meio que nos rodeia. Mas, falar é muito fácil. SOmos seres de emoções, algumas bem fortes. E, muitas vezes temos tendência a reagir sempre que alguém tem um acto menos correcto connosco. Começa assim um ciclo vicioso! Sinceramente, acho que será muito difícil chegar a uma Paz global. Talvez seja egoísmo, mas já fico feliz por estar em Paz comigo mesma e com as pessoas que amo.
Feliz 2008! :)
Mas, pretendo passar cá dia 31! ;)
Beijos! *.*

Janaina Staciarini disse...

Sete Tipos de Paz? Humm. Todas em nós, né Marco?
Feliz 2008, querido.
Beijos.

Ale Barros disse...

Meu querido amigo,

Vim agradecer a mensagem bonita que deixou lá no meu cantinho e te desejar um ano de 2008 cheio de grandes realizações em todos os campos...no profissional, no pessoal, sentimental...porque vc é um cara que merece todas as bençãos de Deus...
Obrigada por estar comigo neste ano, de ter rido comigo dos tantos micos que paguei e vivo pagando...e continuaremos juntos em 2008...
Um beijo no coração,

sirocha disse...

Marco, eu não conhecia nada a respeito dessa tribo mas gostei da maneira de pensar deles. Eu tambem acredito que a paz completa envolve nosso relacionamento com o mundo espiritual, emocional(paz interior), nosso relacionamento com proximo, e com a terra. A ideia dos Aymara veio complementar tudo isso. Haja o que houver em 2008 desejo que voce tenha perfeita e completa paz!
Bjs
Simone

BABI SOLER disse...

Feliz 2008 pra você também.
Muita paz!

Tina disse...

Oi Marco!

Realmente muito sábia esta definição, se todo mundo aplicasse a gente chegaria lá.

Feliz Ano Novo querido, de paz.

beijos,

Theo G. Alves disse...

marcão querido,
o meu desejo é que possamos ter toda a paz que existir por aí. sei que você teve um ano bom, mas espero que o próximo seja ainda um bocado melhor.

da longinqua currais novos, o desejo de felicidade que tenho há de chegar também até voce.

um grande abraço e toda alegria pra você para os de seu coração.

Luciana Farias disse...

Marco, nos últimos tempos, tenho feito muitos balanços em minha vida. Se não alcancei ainda os sete tipos de Paz, até que não falta tanto para isso... :-)))

Estou aqui no sítio, descansando o corpo e a mente. Já está bem melhor. O meu pai, que andou pagando a língua depois de colocar aquele post no blog dele sobre o diário de um sitiante, teve que correr atrás de telhas para o terraço, HAHAHA. E só depois que foi pra SP, ou seja, estou aqui infiltrada no computador dele.

Que você tenha um 2008 MARAVILHOSO, viu????

beijocas,

Lu.

Bosco Sobreira disse...

Beleza de texto, meu caro amigo. Rico, bem escrito, fiel a seu estilo inconfundível.
Que 2008 lhe seja rico em paz, harmonia e muita saúde e que continue a nos presentear com Antigas Ternuras.
Forte abraço.

Anônimo disse...

precisamos reaprender o espírito da paz...
pegar estes exemplos e colocar dentro de nós...

te beijo!!!

Feliz 2008

Taís

Saramar disse...

Marco, você é inigualável nas lições que nos dá de presente.
Que coisa maravilhosa esse "roteiro" da paz, sete vezes, em cicloperfeito.
Sempre sonho que todos os seres estão fazendo alguma coisapara manter a paz, preservá-la acima de qualquer interesse... sonho.
Esta sua lição é o caminho.
Muito obrigada.

beijos, feliz 2008 para você.

Dominique disse...

Peço licença, Marco, para entrar e dizer que seu texto foi o que trouxe paz e reflexão para mim. Encantador este teu blog, principalmente por trazer-me lembranças tão boas de épocas idas.

Parabéns pelo blog!

Um Bom Ano Novo e Paz em todos os seus sete sentidos! :)

Um abraço

Anônimo disse...

Tudo começa e termina dentro de nós, e é só lá que podemos encontrar as respostas que procuramos. Que a Pas esteja conosco. Meu abraço. Jota Effe Esse.

Anônimo disse...

Eu quis dizer PAZ.Jota Effe Esse.

Márcia(clarinha) disse...

FELIZ ANO NOVO amigopratodavida, que tenhamos sete vezes sete tipos de amor, de respeito, de carinho, de esperança e de harmonia.
Que 2008 nos encha de alegria, comida na mesa e trabalho para quem precisa.
Obrigada pelo carinho, pela amizade, pela presença, você é uma das boas pessoas que me fizeram gente, obrigada por isso.
Carinho para seus familiares.
dias lindos
beijos

adelaide amorim disse...

Caro Marco, que as sete faces da paz embalem teu ano novo. E que teus textos continuem a nos enriquecer como este...
Beijos e muita alegria!

Cherry disse...

Então...
eu acho Marco, que os 7 tipos de paz são super viáveis, mas pro povo Aymara. Para nós, daqui da (dita) civilização, envolvidos com a modernidade, a globalização, com a evolução tecnológica fica meio copmlicado aplicarmos os 7 tipos. É complicado, é necessário. É contraditório é... é complicado. Mais o impossível existe? Enfim...
Um bom 2008 pra vc!!!
Beijos!

maristela disse...

Marco. Que a paz que você almeja e deseja para todos nós venha mesmo. E, com ela, lhe traga também inspiração para um novo e belo livro. bj

Francisco Sobreira disse...

Pois é mesmo, caro Marco, como diz você: o indígena, relegado a último plano, trucidado aos montões desde que o Brasil foi descoberto, é dotado de muita sabedoria. Das 7 formas de paz enumeradas, acho que a mais valiosa é a da pessoa consigo mesma. Mas como é difícil isso, como são difíceis as outras formas. Aproveito pra renovar os votos de um 2008 ainda melhor do que possa ter sido o 2007. Grande abraço.

apoiofraterno disse...

Interessante abordagem sobre a paz, meu amigo. Que 2008 seja um ano repleto dessa paz interior para que um dia possamos alcançar a paz verdadeira. Feliz Ano Novo!

Lena Gomes disse...

Oi, Doce Marco. Feliz ano novo pra você. Comentando o seu comentário no meu blog, vc foi exatamente ao ponto que eu tenho tentado atingir: aprender ocm as adversidades! Como tenho passado por umas situações chatinhas, tenho tentado aprender com elas, tirar lições e não cometer os mesmos erros futuramente. Acho que já é um grande avanço. Quanto ao seu post sobre a paz, nada mais pertinente ao nosso momento, não é? Muito interessante "olhar por esse ângulo", dos 7 lados... vamos tentar, sim, por em prática. A teoria, a gente até que conhece, mas acaba sendo difícil a prática. Quando o sangue ferve, a gente já fez a besteira, etc... mas não custa tentar. As campanhas estão aí, paz no trânsito, etc. Mas com a boa vontade, o primeiro passo está dado. Te desejo tuuuuuuuuuuuuudo de bom, e como vc mesmo disse, menos no futebol, é claro, hahaha... beijocas, um feliz 2008 pra ti.

Fabiana disse...

Oi Marco!
Muito bom seu post!
Paz e menos violência no mundo foi um dos pedidos que eu fiz ontem a meia noite. Primeiro agradeci pelo bom ano e depois pedi não só coisas boas pra mim, mas pra todos, pois não adianta a gente estar bem se a maioria está ruim, né? A gente não se sente feliz da mesma forma. Parece que o sonho de muita gente é todos estarem bem ao nosso redor.
Ontem joguei minhas flores para Iemanjá e pulei sete ondas! Rsrs! A água estava morna e deu muita vontade de dar um mergulho, de deixar na água tudo de ruim do ano passado e de dar uma renovada, limpada na alma. Mas eu não ia ficar muito a vontade de vestido branco transparente!!! Rsrsrs!
Um beijo e feliz 2008 pra vc, Marco!!!

Paulo Assumpção disse...

Grande Marco, que a Paz - em seus 7 sentidos - esteja contigo neste Ano Novo! Muito obrigado pela mensagem de final de ano! Agora, me diga uma coisa: depois da entrevista no Jô - assisti e li o post sobre os bastidores - ainda sobrou um exemplar do seu livro para eu comprar? Tentei encomendar na Siciliano e eles me disseram que não têm. Acredita nisso? ;-)
Ainda assim, quero o meu! Em qual das suas contas na Suíça devo depositar o pagamento? Vou querer autógrafo, hein! Aguardo resposta! GRANDE abraço!

itiro disse...

Vamos olhar para trás com bastante esperança para o ano que se inicia!
Um grande abraço, ótima postagem educativa!

José Viana Filho disse...

Valeu pela dica Marco, adorei sua descrição.

E perguntaram para uma criança do afeganistão o que era paz, e elea respondeu:

É o intervalo entre duas guerras. Forte né?

ABs e um excelente ano novo.

benechaves disse...

Marco: passando aqui à cata de novidades. Olha: já coloquei 'os filmes que vi e revi em 2007'. Passa lá e dê uma conferida, ok?

Um abraço de Ano Novo...

DO disse...

Apesar da correria não poderia deixar de vir aqui e desejar ao amigo e familia, um 2008 repleto de saude,paz e realizações.

Grande abraço,MARCO


http://www.ramsessecxxi.blogger.com.br

Karina disse...

Maravilhosa essa lição do povo Aymara. A paz começa dentro de nós e essa época é bastante propícia para reflexões.

Um 2008 iluminado pra vc.

Bjks carinhosas

apoiofraterno disse...

Marco, você está intimado a visitar o APOIO e comemorarmos juntos o primeiro aninho de vida...rs. Quando der, óbvio.

Márcia(clarinha) disse...

Sete e sete são quatorze três vezes sete vinte e um tenho sete amigos e não posso perder nenhum, rsss[meio furada essa história, eu tenho mesmo um milhão de amigos]
dias lindos amigopratodavida
beijos

Dilberto disse...

Rapaz, pelo visto os Aymara, hein?! E seus pais, também: apesar de bem diferente, é um nome bonito! Acho que todos nós devemos apoveitar a ocasião e olhar bem para os lados antes de "atravessar" o novo ano! Obrigado pelo carinho das palavras e de todo o 2007! Que 2008 termine de coroar todos os teus bons feitos do ano passado! Saúde, paz e sucesso para meu primo cem por cento! Abração!

P.S.: tem notinha nos Morcegos!

Bruxinhachellot disse...

Paz em 2008 Marco e paz por todos os lados, os de dentro e os de fora. Muita tranquilidade para ti, em sua caminhada e em seu coração. Se algumas palavras fossem ouvidas, muitas gerras seriam evitadas.

Beijos tranqüilos.

Samara Angel disse...

oie meu querido amigo,saudades estive ausente,viajando um pouco olhando o mar batendo nas pedras,rissss,adoreii seu texto nao conhecia esses tipos de paz,só vc mesmo ne,te adoro,deixo meu carinho e uma linda segunda feira ,um ano novo cheinho de amor,carinho é o que nos traz paz,bjsssssssss

claudia disse...

Feliz Ano Novo querido

Sucesso para você
e vinte vezes paz.

tem blog novo, quando tiver tempo o endereço :
http://oxigenio2008.blogspot.com

eliane disse...

Oi, Marco
Seguindo os fios da vida, passando pelo Lello dos nossos dias, em busca de algo que me falasse sobre a tribo Aymara, cheguei ao seu blog. E gostei muito desta postagem.
Estou "pegando emprestado" pra enviar pros meus amigos. Tudo bem?
Obrigada, um abraço e toda Paz para você.