sábado, janeiro 06, 2007

Prêmios Pipoca Fumegante e Refrigerante sem gás e sem gelo 2006


Chegou a hora dos mais aguardados prêmios do ano.
Como fiz no ano passado, para filmes e programas de 2005, eis que volta o Troféu Pipoca Fumegante para os melhores filmes e programas de TV e Troféu Refrigerante sem gás e sem gelo para os piores de 2006.
Serão premiados os melhores filmes nacionais e internacionais, além dos melhores programas de TV aberta e por assinatura. E também receberão prêmios os piores filmes e programas do ano que passou.
E vamos aos felizardos!
*

Na categoria Melhor Programa da TV aberta, não temos indicados. O ano de 2006 foi
tão ruim para as telinhas, que no entender da comissão julgadora do prêmio (ou seja, eu), nada se salvou. Talvez um ou outro capítulo da minissérie JK, um ou outro Globo Repórter, um trecho do Fantástico perdido...Mas na verdade, não deu pra ver destaque que mereça o prêmio Pipoca Fumegante na TV aberta brasileira em 2006.
*

Já na categoria Pior Programa da TV aberta, os concorrentes são tantos, que não foi possível chegar a um consenso. As novelas, TODAS, foram podres. Os que habitualmente são péssimos, como “A Diarista”, “Sob Nova Direção”, “Zorra Total”, “Domingão do Faustão”, “Turma do Didi”, neste ano conseguiram ser piores ainda.
De forma que o prêmio Refrigerante sem gás e sem gelo 2006 vai para TODA TV ABERTA no ano passado. Argh!
*
Na TV por assinatura, o caso é bem diferente. Aliás, ai do telespectador que não tem essa salvação da lavoura, especialmente nos finais de semana! Na categoria Melhor Programa da TV por assinatura, são vários os candidatos, a começar pelas minhas séries favoritas, como “Lost”, “Star Trek Enterprise”, “Ghost Whisperer”, “Smallville”, “Supernatural”, “24 Horas”, “Desperate Housewives”, todas em novas temporadas ao longo do ano. Todas foram excelentes! Mas o Prêmio Pipoca Fumegante 2006 nesta categoria vai para...
VIDA NO VENTRE – MAMÍFEROS, Especial do Canal National Geographic.

Absolutamente sensacional! O especial mostra como a vida se faz entre vários mamíferos, desde a fecundação, passando pela gestação, até o parto e os primeiros dias dos filhotes. Eu aprendi coisas incríveis que desconhecia por completo sobre o assunto. Eu, que fui um aluno medíocre em Biologia, arrebentaria numa prova, depois de ver a série e suas curiosidades. Vale a recomendação, quando o especial for reprisado. Tem mais de três horas de duração, mas não cansa de jeito nenhum. Não tem legendas, foi narrado (e muito bem!) pela Malu Mader. Imperdível!
*

Já o Prêmio Refrigerante sem gás e sem gelo 2006, para o Pior Programas da TV por assinatura, vai para a série MEDIUM. Até tem um argumento interessante: uma moça com poderes mediúnicos os utilizando para ajudar a polícia a solucionar casos intrigantes. Mas é chato de dar dó. A atriz que faz o papel principal tem o carisma de uma réstia de cebolas.
*
Passemos aos filmes.

Para Melhor Filme Brasileiro em 2006, os indicados nem são muitos. Tenho também que admitir que não vi muitos e talvez alguns que merecessem estar entre os destaques nem foram assistidos por mim. Paciência. Vale o que eu vi. E entre as poucas produções brasileiras que se destacaram no ano, cabe destacar o tocante documentário “Morro da Conceição”, o sucesso “Se eu fosse você” (filme bem feito e muito divertido), o simpático “Tapete Vermelho”, o hilário “Wood e Stock – Sexo, Orégano e Rock and roll”, que me fez passar vergonha no cinema de tanto que eu ri...
Mas o escolhido é...
O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS, de Cao Hamburger.
Filme tocante, que retrata os anos de chumbo da repressão, quando alguns pais tinham que sair “de férias” para não serem presos e, certamente torturados nas mãos do aparelho policial da época. Belíssimos desempenhos, roteiro bem construído, certamente vai render outros prêmios aos produtores, além do Troféu Pipoca Fumegante 2006.
*
Como Pior Filme Brasileiro, não tenho indicados. Como disse, não vi muitos e os poucos que assisti não mereceram o Refrigerante sem gás e sem gelo.
*
Na categoria Melhor Filme Estrangeiro de 2006, são muitos os candidatos. Não que o ano tenha sido particularmente favorável para as produções que chegaram aqui. Na verdade, achei tudo meio “mais ou menos”, nenhum filme neste ano para entrar para a galeria de “filmes imortais”. Mas certamente houve algumas belíssimas produções e até ficou difícil destacar algumas. Mas tenho que aplaudir “O Corte”, "Orgulho e Preconceito", "V de Vingança", "Pequenas Flores Vermelhas", “Volver”, “Boa Noite, Boa sorte”, “Capote”, “Pais, Filhos e Etc.”, "Uma Verdade Inconveniente", “O Grande Truque”, “O Ilusionista”, “A Era do Gelo 2”, “Cassino Royale”...
Todavia, o Prêmio Pipoca Fumegante 2006 nesta categoria, como no ano passado, vai para dois filmes:
CLUBE DA LUA (“Luna de Avellaneda”, Argentina, dir. Juan Jose Campanella) e PEQUENA MISS SUNSHINE (“Little Miss Sunshine”, EUA, dir. .Jonathan Dayton e Valerie Faris)
Dois filmes esplêndidos! O primeiro, mostra com muito humor e muita reflexão os efeitos do cataclisma econômico que assolou os argentinos há alguns anos. Um clube num bairro da Grande Buenos Aires era, nos anos 50 e 60, o grande catalisador das atenções e opções de lazer de uma coletividade. Com a debacle econômica, o clube passa a espelhar a decadência daquelas pessoas. Sumariamente falido, ele recebe uma proposta de venda para transformá-lo em um cassino, dando emprego para todos os sócios que, em grande maioria, estão roendo beira de penico. O destaque (entre muitos) vai para as duas cenas no restaurante, onde, na primeira, uma professora de francês toma um baita prejuízo de um “executivo” e depois vai a forra no ex-marido que a abandonou e não pagou pensão. A trilha sonora é admirável, especialmente o “sambinha” tocado por bandoneóns. Os grandes desempenhos dos atores merecem também ser destacados. Se sair em DVD, podem pegar para ver com as minhas bênçãos.
Veja o trailer, que dura 3 min e 6 seg.

*
“Pequena Miss Sunshine” é admirável em todos os sentidos. Filme extremamente barato (custou 8 milhões de dólares!), o que confirma mais ainda a célebre máxima de que não é necessário se gastar 200 milhões de dólares, encharcar um filme de efeitos especiais de computação, para se fazer uma grande obra. A história do filme pode ser resumida assim: uma tradicional família americana resolve levar a filha para concorrer ao título de Miss Sunshine, na Califórnia. Não sei se esse concurso existe, mas acho bem provável que sim. É a cara dos EUA. Ele mostra o quanto o americano, o quanto os Estados Unidos são cafonas, bregas de dar nojo. É impressionante como nós, os macaquitos, ficamos felizes por imitar, adorar, venerar a cultura americana, que perde de mil a zero da nossa própria cultura (veja bem: reconheço grandes realizações culturais americanas, mas no geral, ela é muito brega). Aqui, quando se quer parecer sofisticado, fala-se em inglês ou se imita o american way of life. Lá, os americanos sofisticados veneram a França, o francês, Paris, a cultura francesa. Aqui, os departamentos de marketing convenceram até as pessoas de baixo poder aquisitivo a ter vergonha do português a usarem camisetas com frases em inglês e darem nomes aos filhos de Jennifer, Stephanie, Jonathan, Máicol (escrevem Michael assim!) ou Wandergleysson. As nossas adolescentes falam um misto de português e inglês, crentes que estão abafando, quando na verdade estão sendo comuns, padronizadas.
Pois é. O filme mostra toda cafonice americana, por intermédio de uma família onde o pai é um perdedor nato, a mãe uma frustrada, o avô um sátiro drogado, o tio é gay e acabou de tentar o suicídio, o filho adolescente um rebelde sem causa e a pequena candidata ao título de Miss Sunshine, uma patetinha típica ianque. Nem vou destacar nenhuma cena, pois gargalhei de chorar em várias. Não dá para perder! Desde já, estou na torcida para que ele ganhe alguma coisa significativa no próximo Oscar.
Veja o trailer, com 2 min e 27 seg.

*

Como Pior Filme Estrangeiro do ano passado, são muitos concorrentes ao Troféu Refrigerante sem gás e sem gelo. Teve um filme que nem lembro o nome, só lembro que era francês e tinha uma mulher canibal, uma coisa triste! Teve o “Matchpoint”, do Woody Allen, que todos dizem que é excelente, mas eu achei péssimo, um “Hitchcock de quinta categoria”. Teve o tal de “O Albergue”, uma excrescência em forma de celulóide. E ainda o “A Feiticeira”, que fez a Elizabeth Montgomery e o Dick York se revirarem em seus túmulos. Mas eu fico com...
JOGOS MORTAIS III.
Esse filme foi feito por um psicopata, especialmente dirigido aos psicopatas que eventualmente podem gostar daquilo. Credo...
*
Aí está, moçada. Sei que este meu prêmio exprime o meu gosto pessoal e que nem todos vão concordar. Mas esse é o grande lance. Se todos gostassem ou detestassem as mesmas coisas, a vida seria muito chata, não é mesmo?
Parabéns aos premiados e vamos ver o que vai rolar nas telinhas e telonas de 2007.
M.S.
**************************************************
Na TV Antigas Ternuras, você vê os trailers de “Clube da Lua” e “Pequena Miss Sunshine”.

34 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Meu caro,
Excelente este teu resumdo do ano que passou. Parabéns!
Um grande abraço,
Bosco

_Maga disse...

Oi Marco!

Como vais querido?

É sempre bom ver umas indicações e descobrir o que outros acharam da produção geral de 2007...

Deixei de ver televisão há alguns anos. As vezes ainda vejo algo, mas mais por morar com minha familia, e eles verem bastante TV, as vezes se torna inevitavel ver algo, mas por livre e espontanea escolha passo meses sem ligar a TV.

Mas tem um programa que gosto de ver de vez em quando e que minha mãe gosta muito: é um programa de entrevistas da TVE, chamado Sem Censura. Um programa já tradicional de entrevistas, mas muito bom. Eu gosto pelo menos. O resto da programação da TVE me parece muito boa também... só que como eu disse ainda, pouco vejo TV, então não posso confirmar por experiencia essa afirmação hehehehe

Parece pedante falar de uma televisão educativa, mas no fundo não é. Primeiro porque pega com uma antena parabolica - em SP não precisa, mas como não sou de lá rs - depois porque tem linguagem acessivele assuntos interessantes.

Também não vejo muito filmes... dos brasieliros que citastes não vi nenhum... mas gostei de Vinicius; Cinema, Aspirinas e Urubus... nem lembro mais, qta coisa aconteceu em 2006! Um filme argentino que gostei muito foi Conversando com Mamãe. Não ouvi ninguem comentar mas foi muito bonito.

Beijos

Claudinha disse...

Ei Marco! É a primeira vez que participo desta noite de gala...
Bem, eu concordo muito com você ao dizer que na tv aberta tudo foi ruim. Até diria quase tudo, porque gosto das séries brasileiras, mas nem por isto fui capaz de ver nenhuma. Já o canal pago, é outra coisa. Adorava a série O Toque de um Anjo, adoro Desespetate Housewifes (eu me encontro ali), Sex & the City que acabou, My Wife and Kids, That '70s Show e os documentários. Este vida no ventre, do NatGeo eu gravei em vídeo para as aulas de biologia. Primeiro foi a gravidez humana e em outro dia eu gravei a dos mamíferos. Foi bárbaro e já estou dividindo em etapas para fazer aulas neste ano. The History Channel também merece minha reverência nets ano que passou, aprendi muito lá e adoro. Quanto à sua lista cinematográfica, eu infelizmente não posso dizer nada... Ando longe dos cinemas...
Vi filmes interessantíssimos que tenho em dvd. Bem, vou anotando suas dicas e depois eu comento. Um beijão e um ótimo domingo para você!

rubo medina disse...

Marco, bem legal esse Red Carper do Antigas Ternuras, esses awards (também abacaxis) seus.. bem, deixe-me ser mais claro. Novelas brasileiras há muito desisti de ver pq nunca me trazem nehum diferncial. E acabo achando falta de tempo vê-las. Não tenho paciência. Das série da TV fechada que vc mencionou, vejo Smallville, Everybody Loves Raimond, The King of Queens (q vc nao mencionou) e gosto muito. São bem criativas. Scrubs também é legal. Agora, DESPERATE HOUSEWIVES é demais. Adoro! Inclusive aquele foco narrativo que me lembra MEMÓRIAS PÓSTUMAS... Daria meu award pra esse série.
Abraços.

Claudinha disse...

Corrigindo: "Desesperate Housewifes"
"neste"

Ah, o NatGeo mantém em seu site coisas curiosas como jogo de trívia e ciência do cotidiano (que eu uso para animar mais as aulas)

Beijos.

Márcia(clarinha) disse...

Marco queridoamigopratodavida!!
assino embaixo dessa sua retrospectiva, saio fora do contexto quando fala de TV, assisto tão raramente que nem posso opinar...
E lamento não ter visto ainda Clube da Lua e Pequena Miss Sunshine, justamente os dois melhores do ano pra você, me redimirei dessa falha, prometo!
Fica bem meu querido, lindo domingo
beijosssssssssssssss

cilene disse...

acho qie esse jogos mortais merecia o premio...TV aberta e de doer...mas as fechadas tambem..gosto dessa serie medium...mas vc tem razao e meia chata...

DO disse...

Grande MARCO

Gostei das premiações,hehehe
Claro que uma discordancia aqui,outra ali,mas eu assino embaixo dos "premiados",hehehe
Jogos Mortais 3,inclusive,deixou-me muito irritado. Como vc bem disse,só pode ter sido feito por psicopatas,mesmo.
Grande abraço!

Jéssica disse...

Ótima retrospectiva e o prêmios merecidos.
Tv aberta? arghhhhhhhhh
Pouco se aproveita.
Tv fechada, um pouco melhor, mas poderia ser melhor já q é paga.
Bom domingo, beijo*.*

Lili disse...

O seu pré-Oscar está maravilhoso! Um beijo!

Lena Gomes disse...

Olá, querido Marco! Parabéns pela sua premiação... eu não vi quase nada em cinema, do q vc citou, mas gostei muito do "Wood e Stock"! Não tenho TV paga, e "me viro" com a tv aberta. Eu me divirto com as bobagens q eu vejo, mas seleciono bastante. Gostaria de estar vendo Amazônia, mas não tenho muita paciência. Muito mal estou conseguindo ler meus e-mails! Bem, mas acho o máximo a sua premiação. E tem q ser assim: de acordo com o gosto de quem escreve, não é mesmo? Beijinhos pra vc.
Ah, vc já assistiu: Sob o sol da Toscana? Eu assisti agora, em dvd, gostei muito da fotografia.

Yumi Yabiku disse...

queridoooooo, claro que topei fazer a peça com voce! o q atrapalha são os nossos desencontros! vc bem q podia fazer um msn neh! e concordo em tudo q vc escreveu, menos o match point... olooooko, vc nao gosta do dostoievski?! se vc gosta de dostoiesvki é impossivel nao ter gostado de match point!! ahhaauh um beijoooo, um maravilhoso 2007 pra vc!!

Márcia(clarinha) disse...

Saudade...
beijossssssssssss

Paulo Assumpção disse...

Grande Marco! É bom vê-lo de volta à ativa! Muito bem oferecido o prêmio Refrigerante Sem Gás e Sem Gelo 2006 na categoria TV aberta para TODA a programação. Por conseqüência, foi mais do que justo não haver vencedores do Pipoca Fumegante na mesma categoria! Quanto à TV por assinatura, lamento muito ter perdido "Vida no Ventre". Agora, mais ainda! Espero realmente ter a oportunidade de conferir o vencedor do Pipoca Fumegante. Não sabia que acompanhava "Smallville"! Esta última temporada foi mesmo a melhor da série (a atual ainda não disse a que veio). Com relação aos filmes, só assisti - aos 45 do 2º tempo de 2006 - a um dos vencedores do Pipoca Fumegante: "Pequena Miss Sunshine". De fato, merecedor deste e de qualquer prêmio que já tenha arrebatado ou que venha a ganhar. Sou mais um na torcida para que seja, no mínimo, lembrado no Oscar. Por fim, gostaria de parabenizá-lo pelas homenagens prestadas no post anterior. Em especial, ao Braguinha. Fora o reconhecimento por sua vasta contribuição à nossa música, imagino que ele tenha sido um ser humano literalmente carinhoso. Você que teve a sorte de conhecê-lo pessoalmente pode confirmar a minha impressão. Em tempo, para a garotada, "2º Grau" é tão antigo quanto "Científico". Atualmente é "Ensino Médio". Isso até que algum "burrocrata" da educação invente uma nova terminologia. Mais uma vez, um ótimo 2007 para você! Abração!

Roby disse...

Marquinho, que bom estar de volta...
Pra já desejo que tenhas um ano só de alegrias e muitas, mas muitas emoções no lado afetivo..
Uiaa..olha wue promete ser show pra ti viu?
Meu lado bruxa me diz isso..rs
*
Jogos Mortais 3, este filme não aguento...não foi feito pra mim..rs
*
Upa grande kilido.

Francisco Sobreira disse...

Marco, Suas listas nos pegam, principalmente, pelo humor. Percebi na lista de melhores filmes que alguns fizeram parte da minha. De realições brasileiras, acho que só vi "O Maior Amor do Mundo", que, pra mim, foi um dos melhores filmes do ano passado. Não vi esse filme argentino, mas anotei o título pra quando ele sair em DVD (se sair). E você tem toda razão quando diz que o sujeuto que não tiver um TV por assinatura, está perdido. Um grande abraço.

Saramar disse...

Marco, você é um mágico (ai, ai, de novo?)
Conseguir listar tantos filmes e programas assim e ainda opinar sobre todos, meu Deus! É uma tarefa e tanto.
Como confio plenamente em sua sensibilidade e no seu bom gosto, irei assistir tudo que indicou.
Obrigada por esse serviço de utilidade pública, muito bem feito (risos).

beijos

M.Eduarda disse...

Marquitooo! Estava com saudades de ler vc! Olha concordo com o pior filme estrangeiro, esse foi realmente de dar dó. Se bem que eu colocaria mais alguns na lista!
Pequena Miss Sunshine foi DEMAIS! Acho que foi o melhor do ano na minha singela opinião também.
A única coisa com a qual não concordei muito foi o melhor da tv aberta. Eu adoro A grande família e gostei muito de Cobras e Lagartos, além de Sinhá Moça.
Bom, sei lá! Gosto não se discute ehehe!
beijão!

Roberto Queiroz disse...

Marco, passando para avisar sobre o meu novo blog (que dividirá minhas atenções com o the cave). O endereço é http://claque-te.blogspot.com (a estrutura é diferente do the cave porque no claque-te eu falarei de filmes específicos que mexeram com a minha paixão cinematográfica e com a minha indignação). Abraços do crítico da caverna.

Luma disse...

Bem, não posso falar de tv, porque assisto pouco e quando estou indo dormir; coloco no MGM pra dormir bem embalada.
O pior dos piores, é mesmo esse terrível filme de terror, Jogos Mortais, que pra mim merece uma pipoca naufragada em grosselha. No pior dos fundamentos, ele conseguiu ser um terror.
Feliz ano novo Marco!!!!
Beijus

Janaina Staciarini disse...

Adorei suas escolhas, Marco!!
Concordo com quase tudo. Detesto os humorísticos que você citou aí.
Beijão!!

Mut disse...

Estou louco pra ver o Miss Sunshine. E assino embaixo sobre o Ano... , realmente o melhor filme de 2006. Que , convenhamos , não foi lá um ano muito bom pra cultura pop.

Abração!

Zeca disse...

Caro Marco,

não posso opinar sobre sua seleção por não ter visto nenhum dos filmes comentados. Mas confio no seu bom gosto e discernimento.
Quanto à tv aberta, ví uma série que me encantou: Hoje é dia de Maria. O conto de fadas com uma heroína às avessas, que fugiu da madrasta, brigou com o diabo, não aceitou o príncipe e deu uma volta completa em seu mundo, até retornar ao lar. È uma mistura de diversos contos de fadas, mas com personagens brasileiros, nossa música, nosso folclore e, especialmente (sem falar na ave que era o máximo!), os 'personagens' maravilhosamente construídos com sucata e aquelas fantásticas roupas de papel. Não sou muito ligado à tv, mas essa série me pegou em cheio.
Aproveito para comentar a beleza que ficou seu post anterior, com as merecidíssimas homenagens aos que se foram para uma festa em que comemoram, felizes, sua passagem que tantas antigas ternuras deixaram aquí na Terra.

Grande abraço, meu amigo.

eu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
eu disse...

Olá,
Olha Tv aberta está cada dia pior, Tv paga razoável mas temos q aplaudir nosso cinema, que cada dia está melhor!
Belas escolhas !
Muito bom conhecer teu blog.

Beijo grande .

Vera Fróes disse...

Marcos, o que gostei de ver tanto na tv aberta ou fechada, foi o Supernanny, porque elas ensinam com regrinhas simples como lidar os filhos. E, o que se nota é que os filhos são sem educação e agressivos porque querem chamar atenção dos pais.
Gosto de séries mas dificilmente lembro dos horários deles.
Vi poucos filmes no ano que passou, não posso opinar.

Bjos.

Vendetta disse...

acoeneuff Ternurinha... cansei de ler...

então, vamos começar a listinha de 2007?

beijinhos saudosos

Anônimo disse...

Oi Marco! Estou de volta ao Antigas Ternuras. Dos teus melhores, concordo com tudo. "O ano em que meus pais saíram de férias" é realmente muito bom, junto com "Clube da Lua" e "Pequena Miss Sunshine". Sem falar no maravilhoso "O Corte". Quanto aos programas de TV, não posso comentar muito. Assisti quase nada.

O meu sistema de comentários no Roda de Chimarrão pifou total. Não sei o que houve e ainda não consegui colocar um novo. Tentei este mesmo do blogspot, mas não deu certo. Se você souber de outro, me avise por favor.

Um Feliz 2007 e muitos filmes magníficos!

Anônimo disse...

Belisa Figueiró: O comentário aí de cima é meu, viu? Não sei o que aconteceu, mas meu nome ficou de fora... hehehe. Abração!

Theo G. Alves disse...

Grande Marco,
ainda nao vi alguns dos filmes indicados, alguns como o tal do Jogos Mortais 3, por escolha propria, mas nao tenha duvidas: nao vi, mas o escolho como pior do ano também a julgar pelos dois primeiros.

das séries de tv por assinatura, acho que sempre vale uma citação para Sopranos (tenho certeza de q sou um mafioso em potencial, de tanto que adoro essas coisas) e Nip/Tuck.

Mas bom mesmo é voltar por aqui.

Um grande abraço!!! Um grande ano!!!

Sandrinha disse...

Muito boa sua retrospectiva.
Vou assistir para dar minha opinião "Clube da Lua".

marconi leal disse...

Olha Marco, eu acho que dizer que a nossa TV não serve para nada seria exagero. Aqui em casa, por exemplo, retirei a tela de uma 14 polegadas e deu um ótimo lixeiro para a cozinha. Estou voltando. Abração.

Marco Santos disse...

Grande Bosco: Fico feliz por ter apreciado.

Querida Maga: É sempre um prazer pra mim vê-la por aqui. Às vezes vejo o Sem Censura. Tem algumas entrevistas boas, outras nem tanto. Mas para entrar numa relação de meus melhores, precisa ter me acrescentado algo mais. O documentário “Vinícius” venceu o Prêmio Pipoca Fumegante de 2005. “Cinema, Aspirinas e Urubus” também esteve entre os indicados naquele ano. O “Conversando com Mamãe”, não assisti.

Minha doce Claudinha: Primeira vez no Prêmio Pipoca Fumegante? Então, sinta-se à vontade no tapete vermelho.
A série brasileira do ano passado foi “JK”. Começou bem, ao meu ver, mas depois se perdeu. Das séries que citou, também gosto de “Desperate Housewives” e gostava da cancelada “Toque de um anjo”.
Para uma professora de biologia, o “Vida no ventre: Mamíferos” foi sopa no mel, não é? Gosto também do History. Sobre os filmes, pena não ter cinema aí na cidade em que você vive.

Grande Rubo: Também gosto muito de “Desperate Housewives” (especialmente da Teri Hatcher...). Ela esteve como indicada nas duas edições dos Prêmios Pipoca Fumegante até agora.

Marcíssima, amigapratodavida: Bom saber que concordamos nas opiniões sobre TV. O Pequena Miss Sunshine ainda está em cartaz. O Clube da Lua, agora só em DVD.
Gosto muito de te ver por aqui e adoro te ler no seu excelente blog.

Querida Cilene: Parece que temos a mesma opinião sobre os filmes e programas indicados, não é?

Grande Do: A gente pode divergir no varejo, mas no atacado acabamos por concordar, não é? O Jogos Mortais III é de doer, né não?

Querida Jéssica: Que bom que concordou comigo.

Querida Lili: Beijo procê.

Doce Helena: A série Amazônia está excelente. Se continuar assim, é certo pintar na próxima edição do Pipoca Fumegante.
Acho que vi o Sob o Sol da Toscana, mas não estou bem certo.

Querida parceirinha Yumi: Eu não tenho MSN por não ter tempo de ficar horas no computador (além das que eu fico, escrevendo e visitando meus amigos blogueiros). Sobre o Matchpoint – Ponto Final, eu definitivamente não gostei deste filme. O forte do Woody Allen são os diálogos espirituosos e bem engendrados. Neste, não tem disso, as falas são banais, a trama é previsível, é...não gostei. Na minha modesta opinião, Matchpoint tem tanto a ver com Dostoiévski quanto Chitãozinho e Chororó tem a ver com as Pastorais de Beethoven. Mas parece que sou a única pessoa do planeta a ter essa opinião. Que bom. Como disse o Nelson Rodrigues, “toda unanimidade é burra”.

Grande Paulo: Como leitor de gibis, sou fascinado pelas histórias do Super-Homem. (Comprei a caixa de DVD com “As aventuras de Super-Homem”, antiga ternura minha, a série com George Reeves. Dia desses, faço um post). Gosto muito de Smallville, sim. E gostei de todas as temporadas. Faço algumas restrições, como colocar na série onde Clark Kent ainda é um rapazote, personagens como Lois Lane, Jimmy Olsen, Arqueiro Verde etc. que, nos gibis, só encontram o Super-Homem adulto.
Que bom que gostou do “Pequena Miss Sunshine”.
Braguinha era uma graça de pessoa e foi muito atencioso comigo.
Segundo Grau virou Ensino Médio? Putz... Tô velho, mesmo...

Querida Roby: Bom ano novo procvê também. E Deus te ouça, querida bruxinha!

Grande Francisco Sobreira: Eu não vi o Maior Amor do Mundo. Mas vou pegar o DVD, quando sair. Que bom que concordamos com os indicados.

Querida Saramar: Seus comentários tão carinhosos me deixam até sem jeito... Mas pode ver todos estes filmes que eu indiquei. São excelentes.

Querida Eduardinha: Também estava com saudades de você por aqui. Queria ter te visto nos comentários do post anterior, quando desejei tudo de ruim para o time das Forças das Trevas, que, coincidentemente, você torce.
Agora falando sério. Que bom que gostou do “Pequena Miss Sunshine”. É muito legal, mesmo. Sobre novelas, ah, querida... Não gosto mais não...

Grande Roberto: Na primeira oportunidade, vou lá te visitar.

Querida Luminha: Jogos Mortais III não é filme: é um desvio patológico!

Querida Janaína: Que bom que concordamos!

Grande Bruno Mutante: Pode ver o Pequena Miss Sunshine com minhas bênçãos. Curiosamente, não vi o “O Ano em que meus pais saíram de férias” em listas de melhores. E foi um excelente filme.

Grande Zeca: Obrigado por confiar no meu gosto.
Sobre o Hoje é Dia de Maria, este programa foi Prêmio Pipoca Fumegante 2005 (quando passou a série). Excelente! Concordo contigo. Inclusive pretendo comprar a caixa de DVD.

Querida Valéria: Vou retribuir a sua amável visita tão logo possa.

Querida Vera: Não vejo Supernanny. Se você diz que é bom, então deve ser mesmo.

Querida Vendettinha: ???????????

Caríssima Belisa: Já li a sua lista. Concordo com quase tudo. Não vi alguns que você mencionou.
Sobre iserção de comentários, ihhh...Esqueceu que eu sou uma anta pra essas coisas de informática? Ó, quem pode te ajudar é o Paulo. Ele é um dos que me socorrem quando estou com dificuldades.
E vamos ver essas telas de 2007!

Grande Theo! Que prazer vê-lo por aqui! Eu não vi a série Sopranos, mas me sopraram (ui!) que ela é muito boa. A conferir!

Querida Sandrinha: Tenho certeza de que você vai gostar do Clube da Lua.

Grande Marconi: Pois é... De vez em quando os caras até acertam uma...

Valeu, moçada! Abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim!

Bel disse...

Ah, eu também dei os prêmios "Pipoca Mofada", "Pipoca Quentinha" e "Pipoca Derramada", mas minhas avaliações foram bem diferentes das suas. Amei "Match Point" e apesar de não gostar do nível da TV aberta, não acho que seja tudo tãããão péssimo assim. Enfim, estudo "Rádio e TV", preciso assistir.
Passa lá pra ver... hehehe
E viva as diferenças!!!