quarta-feira, dezembro 06, 2006

Santo seriado, Batman! - Parte 2


Na capítulo anterior, vimos que Burt Ward estava com problemas envolvendo a Liga da Decência (que, provavelmente, era comandada pelo Coringa...) e o short apertado de seu uniforme, que revelava volumes proibidos.
Bem, pra resolver a questão, a Fox entregou um balde de gelo para o ator e disse: “se vira!”. O cara botou o “menino-prodígio” pra fora e o afogou no balde de gelo, na esperança de que, com o frio, ele se reduzisse a condição de uma bat-verruga (brrrrrr! Essa tortura nem o Sr. Frio tinha imaginado...).
O ator voltou para o estúdio, com o intuito de continuar gravando, mas os representantes da Liga da Decência, continuaram achando que o “pingüim” estava aparecendo no esconderijo (imagino com que interesse os representantes da Liga da Decência ficavam investigando a mala do Robin...).
A solução que a Fox arrumou foi uma injeção pra diminuir pinto (cruz-credo! o pesadelo de todo homem!). Foi isso mesmo que vocês leram! Deram um remédio para o Burt Ward com a intenção de fazer com que as jóias da família ficassem menores durante a gravação do episódio. E não é que isso agradou à Liga da Decência?
*

Mas passou um tempo, Ward começou a ficar preocupado. E se reduzisse de vez? E se escangalhasse o mecanismo do brinquedinho? Foi quando ele se rebelou e disse ao estúdio que não tomaria mais aquele remédio, nem se o Charada o obrigasse. O ataque de piti acabou colando. A Liga de Decência não apareceu mais e o Robin pode enfrentar os bandidos com todas as armas.
*
Muita gente acreditava que existia um componente homossexual entre o Batman e o Robin. Ô maldade...
De qualquer forma, o ator Adam West se encarregava pessoalmente de que a reputação do herói do seriado não chegasse até ele. O cara era um devorador de mulheres! No auge do sucesso da série, a mulherada ficava doida com os atores da série. Burt Ward estava recém-casado e preferia ficar comportado. Adam estava casado, mas acreditava que boi amarrado também pasta... E não faltavam moças para oferecer a bat-caverna pro rapaz estacionar o bat-bilau.
*
No programa Biography, no canal A&M Mundo, eu assisti ao especial sobre a série Batman. Teve um momento em que o Burt Ward contou que, num dia, entrou no camarim do Adam West pra ensaiarem juntos o texto e levou um baita susto. Tinha uma moça ajoelhada diante do West, "cantando no bat-microfone", se é que vocês me entendem...
Disse também o Ward que o companheiro de galinhagem de West era o Frank Gorshin, o ator que fazia o personagem Charada. Teve uma noite em que os dois saíram pra caçar. Passaram diante de uma animada festa. Entraram de penetras, na maior cara de pau. Quando a dona da casa descobriu que o “Batman” e o “Charada” estavam ali, obviamente não os mandou sair. Pelo contrário: Aí mesmo foi que a festa começou!
*

Vocês conseguem imaginar o Batman dançando numa festinha de embalo dos anos 60? Não? Vou ajudá-los nesse exercício. No primeiro episódio da série, o Batman foi a uma boate para procurar pistas sobre o Charada. Lá, ele pede um suco ao bartender (lógico! Já imaginou o Batman do seriado tomando uma cachaça?). Nisso, uma moça o tira pra dançar. E ele vai. E começa a fazer a dança do morcego, que virou um tremendo sucesso posteriormente, sendo conhecida como “Batusi” (ah, aqueles anos 60...). Ela foi criada pelo próprio West. Era assim: a idéia do ator era simular um ato sexual (ah, tarado!) de forma dissimulada. Uma espécie de dança de acasalamento. Batman levantava os braços, como se eles fossem cobras; depois, passava os dedos em “V” pela máscara, mexendo os braços de modo insinuante, levantando a capa como se fosse um Drácula pronto para dominar a vítima, mexendo a cabeça pra frente e pra trás, como se estivesse fazendo saliência... Até que começava a ver as coisas turvas, pois o suco tinha narcótico. E ele cai.
Achou que essa dança não te é estranha? Pois é. Em “Pulp Fiction”, John Travolta a imitou e depois foi imitado por trocentos desenhos animados (FormiguinhaZ foi um, que eu me lembro...). E você achando que tudo era uma invenção do Quentin Tarrantino... Rá!
*

Agora eu queria falar dos vilões da série. Eram um capítulo a parte. Tinha os quatro principais, que apareceram mais vezes: Coringa (César Romero), Pingüim (Burgess Meredith), Charada (Frank Gorshin) e Mulher-Gato (Julie Newmar, em duas temporadas, Eartha Kitt na terceira, e Lee Meredith, a Dra. Ann, de “O túnel do tempo”, no Batman, o longa-metragem). Mas além deles, houve outros, alguns representados por pessoas famosas, como Vincent Price (o Cabeça de Ovo), Roddy McDowell (o Traça), o pianista bandeiroso Liberace (Chandall), Victor Buono (Rei Tut. Quase que o Charlton Heston e o Yull Brinner fizeram o personagem...), Zsa Zsa Gabor (Minerva), Joan Collins (Lorelei), Eli Wallace (Sr. Frio) etc.
*

Vou fazer um breve resumo dos quatro atores que fizeram os vilões mais famosos:
César Romero (1907-1994), que fazia o Coringa, era neto do libertador cubano Jose Marti, mas nasceu em New York. Era um exímio dançarino e fez vários musicais, principalmente com a nossa Carmen Miranda.

Além de Batman, ele atuou em outros seriado famosos, como em O Zorro, A Feiticeira, Magnum e Agente 86. Morreu em 1 de janeiro de 1994, aos 86 anos, de complicações respiratórias.
*

Frank Gorshin (1934-2005), o Charada, desde menino se envolveu com Teatro. Adorava fazer imitações de ídolos do cinema, como James Cagney, Cary Grant e Edward G. Robinson.

Apresentou-se como comediante em clubes noturnos até entrar para a TV e se apresentar no famoso Ed Sullivan Show. Por sua atuação como Charada, foi indicado para o prêmio Emmy. Participou, mais tarde, de Jornada nas Estrelas, onde ganhou mais uma indicação. Atuou na Broadway e nas séries televisivas Combate, Chaparral e As Novas Aventuras de Superman. Faleceu recentemente, em 17 de março de 2005, vítima de câncer no pulmão.
*

Burgess Meredith (1907-1997), o Pingüim, foi um reconhecido ator teatral nos anos 30. Estreou no cinema em 1936 e a partir dali fez inúmeros filmes (incluindo a série “Rocky”, com Sylvester Stallone e Dois Velhos Rabugentos, com Walther Matthau e Jack Lemmon).

Combateu os nazistas na II Guerra e depois foi considerado como “testemunha hostil” no Comitê McCarthy de atividades anti-americanas, por se recusar a entregar colegas. Graças a isso, teve a sua carreira interrompida, só conseguindo trabalho nos anos 60. Era ecologista e defensor do meio ambiente. Como o “Pingüim”, o seu “Querk! Querk! Querk!” ficou famoso. Morreu em 1997, de Mal de Alzheimer.
*

Julie Newmar (nascida em 1935), a mais famosa Mulher-Gato. Era dançarina exímia, tendo atuado dançando na Los Angeles Opera Company. Por ser extremamente linda, participou de inúmeros concursos de beleza. Estreou no cinema, em 1952, e em 1954, participou do célebre “Sete Noivas para Sete Irmãos” (dir. por Gene Kelly). Atuou com brilho na Broadway, em diversos musicais. Foi convencida a virar a Mulher-Gato por seu irmão menor. Foi uma sensualíssima Catwoman. Tem um diálogo dela com o Batman que é inesquecível:

Batman: eu farei tudo para reabilitá-la, Mulher-Gato.
Mulher-Gato: Case comigo.
B: Eu disse tudo,mas menos isso. Uma esposa, por mais linda e carinhosa que fosse, prejudicaria demais a minha luta contra o crime.
MG: mas eu o ajudaria. Eu posso me reformar, eu juro.
B: E quanto a Robin?
MG: Robin? Ah, já sei, o mataremos!


Em 1983, ela teve um filho com Síndrome de Down e se afastou da carreira. Mas às vezes aparece em Convenções de antigos seriados para alegria dos fãs (veja no foto ao lado).
*

Quando o sucesso da série estava decaindo, tentaram inserir uma Bat-Girl para dar uma forcinha aos Cruzados Embuçados. Não deu muito certo. Mas era um prazer ver a Yvonne Craig, um verdadeiro avião!, entrar em cena com aquela roupinhas justas (ainda bem que a Liga da Decência já tinha parado de encher o saco!) que faziam a delícia e a fantasia dos garotos. Yvonne nasceu em 1937 e era bailarina antes de se transformar em atriz. Chegou até a dançar no Balé Russo de Denham.

Uma vez, estava jantando num restaurante, em Los Angeles, quando Patrick Wayne (filho de John Wayne) a abordou, perguntando se era atriz. Não era. Mas o seu acompanhante disse que sim e assim estreou no cinema. Quase fez o papel principal em West Side Story. Além de atuar em Batman, ela participou de outras séries, como Viagem ao Fundo do Mar, Dr. Kildare, Agente da U.N.C.L.E., Meu Marciano Favorito e Jornada nas Estrelas. Com o tempo, ela parou de receber propostas e hoje só costuma aparecer em convenções de seriados. Escreveu sua auto-biografia “From Ballet to the Batcave and Beyond”.
*
Além dos heróis e dos vilões, ainda apareciam regularmente na séria o Comissário Gordon (Neil Hamilton 1899-1984), Chefe O’Hara (Staford Repp 1918-1974), Alfred (Alan Napier 1903-1988).

Muita gente quis e fez participações especiais naquela famosa cena da janela, quando Batman e Robin subiam pela bat-corda e alguém aparecia para dar um alô. Os mais famosos, que eu lembro, foram Sammy Davis Jr., Besouro Verde (Van Williams) e Kato (Bruce Lee), que também atuaram com a Dupla Dinâmica num episódio, Jerry Lewis, Edward G. Robinson, Ted Cassidy (o Lacraio –ou Tropeço- da série Família Addams), entre outros. Teve um artigo em que li, afirmando que Frank Sinatra e até Bob Kennedy andaram perguntando se dava para aparecer também...
*
Em 1968, com baixos índices de audiência, a série foi cancelada pela Fox. Algum tempo depois, a NBC quis produzir o seriado, mas a Fox tinha destruído os cenários e ficaria caro demais reconstruí-los. Que pena...
Mas ela sempre seria reprisada (aliás, a Fox a está reprisando pela TV a cabo...). Nenhum quarentão esquece aquela musiquinha famosa, que hoje faz enorme sucesso como ringtone de celular... Ah! Santa saudade, Batman!
MS.

***************************************************
Na TV Antigas Ternuras, você vê o Homem-Morcego dançando...Santo mico, Batman!

23 comentários:

Claudinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Claudinha disse...

Ei Marco, é a terceira vez que tento comentar aqui. Comentei ontem e meu comentário sumiu, comentei agorinha mesmo e não apareceu.
De qualquer maneira, eu fico contente por aprender mais sobre o homem morcego.
Beijo.

DO disse...

MARCO

Esta polemica sobre o "equipamento" do Robin eu não sabia. Se bem que,eu confesso,aquele danadinho sempre me interessou,hehehe
E fiquei impressionado que ele acabou ficando gordão,heheheh

Gostei do video. Lembro da tal dança e achava tão ridicula,hehehe
Abração e parabens!!

Anônimo disse...

Menino, você superou a postagem anterior!! Gostou do presentinho?? Mais tarde mando notícias!! E não deixou o link pra mim!! Beijus

Lili disse...

A bem da verdade a Liga da Decência era bem indecente: onde já se viu ficar olhando as "coisas" dos outros? Que coisa!

Adorei saber sobre os vilões, Marco. Você é insuperável.

Um beijo e ótimo dia!

Anônimo disse...

A dupla dinâmica sempre vai deixar saudades. O mais engraçado foi a história do "brinquedinho" do Robin ser reduzido para agradar a Liga da Decência.
É bom conhecer um pouco sobre os atores que fizeram os vilões, afinal sem eles a dupla dinâmica não ia ter a quem dar socos e pancadas.

Beijos e boa sorte na mega turnê. Se der eu vou.

Karine disse...

Ah, não venha tentar me convencer de que o menino prodígio era um másculo muito másculo! Com aquele shortinho? Aham, tá bom...
E a Liga da Decência devia ir a uns shows das bibas brasileiras pra descobrir como elas amarram o bilau! E vc acredita que tenho um primo que é prima? E é muito engraçado, pq ele fala: "ai, que ódio, esse trem no meio das pernas só atrapalha..." E puxa pra trás e põe a calcinha!
Meu Deus, ainda bem que ele (a) não frequenta blogs... hehehehe
Beijo, bom restinho de semana!

Giulia disse...

Santa inspiração, Batman! (e fôlego para amealhar tanta informação).
Amigo Marco! Simplesmente ótimos os escritos sobre o Batman - quanta coisa, algumas até pitorescas, que eu não sabia sobre os atores, e sobre o seriado. Adorei!
Bom final de semana procê.
Beijos

Vera Fróes disse...

Marco, esse seu poste está super hilário. Ri muito!!! Coitado do Robin com o pinto no gelo. Peninha...rssss.

Bjos.

Mut disse...

Eu devo ser a única pessoa no mundo que prefere o Homem Aranha a qualquer outro super-herói. Talvez pq eu me identifico com o nerd master do Peter Parker.

Anônimo disse...

Marco, não estou conseguindo entrar no meu mail, dá uma olhada aqui e veja se consegue copiar
http://feeds.feedburner.com/LuzDeLuma
Bom fim de semana! Beijus

Márcia(clarinha) disse...

Aff! e lá venho eu capenga de saudade aprender mais um cadinho sobre os vilões,rssss
santa sabedoria Marco amigopratodavida...
lindos dias querido,
beijosssssssssss

Thulio disse...

Oi. Sou novo aqui no seu blog, vi um link dele na página do Rubo (Na ponta do lápis).
Isso é que eu chamo de fã eihn... Pelo tamanho e pela quantidade de informações deste post (inclusive a dancinha do Batman..rs...), deu para perceber que você não perdia um capitulo sequer não é?
Infelizmente eu nasci no final dos anos 80 e não existia mais essa série na minha época.
Vou passar sempre por aqui.
Grande abraço e um ótimo dia.

Moacy disse...

Cara, parabéns pela postagem sobre o Homem-Morcego. Ótimas informações. Os batmaníacos merecem suas "antigas ternuras". Um abraço.

Anônimo disse...

Santa generosidade a sua!!! Estes dois bat posts são um verdadeiro presente de Natal! E a história do bilau do Robin é de chorar de rir ... porque não é o do nosso namorado, claro ... rsrsrsrs beijo você!

rubo medina disse...

Marco, você usou tons picantes pra falar da "encomenda" do Batman, mas usou com tanta inteligência que ficou engraçado. Pode acreditar que até eu teria coragem de usa-los... rs.
Parabéns por essa criatividade, recheiada de eufemismo, para denominar uma coisa que fiquei aqui morrendo de medo de que essa injeção ainda exista... rs.
Abraços.

Luna disse...

Oi Marco.
Assisti o seriado do Batman aos seis ou sete anos... Adorava o homem morcego na pele do Adam West.
Sabia de cor todos os episódios...
Mas, acho que hoje não consigo assistir (se bem que ainda não tentei)...
Sou viciada em Arquivo X e Stargate hoje em dia... Assisto muitos episódios durante a madrugada e até escrevi um artigo sobre a forma patética como se trata os seriados no Brasil, você começa a assistir e de repente, some... Ninguém pergunta se você está gostando ou não.
Sempre assim...
Mas valeu pelo post, não sabia que o equipamento do Robbin tinha causado tanta polemica...
Abraços

Jéssica disse...

Oi, querido Marco... amigo pra sempre.
Desculpe o sumiço, ando doente, estive internada, mas aos pourquinhos tô retornando.
Vc perguntou num comentário no meu blog sobre o meu aniversário, é hoje, querido, passa lá, tem bolo. Obrigada pelo carinho... adoro vc, teus posts, teu jeito de ser, de me tratar, de tratar as pessoas. Você emana luz até no virtual, imagino então pessoalmente.
Bom domingo, beijo*.*

Anônimo disse...

Marco não sei o houve, mas espero q ñ tenha sido vírus.
Infelizmente não vou poder ir ao teatro hoje, coisas de família, uma grande família de descendência italiana. A primeira coisa que gostei foi a música que encheu o teatro antes da apresentação.
Desejo muito sucesso pra todos os integrantes do Nhoque.

Beijos de frutas.Wpi

Saramar disse...

Marco, realmente fantástico! Completo, perfeito!

"fazendo saliência" é muito engraçado e bem típico daqueles tempos, não?

Fiquei nostálgica demais, lendo essas delícias. Ah! a infância!

beijos, querido

Marco Santos disse...

Minha doce bat-Claudinha: Gostou do post? Que bom!

Grande Bat-Do: É... O Burt Ward ficou gordão. Está parecendo um vendedor de apólice de seguro. A dancinha do Batman chega a ser engraçada de tão ridícula. Mas o John Travolta bem que gostou...

Querida Bat-Luminha: Ainda não tive tempo para acessar o link que você me mandou. O bicho está pegando pro meu lado. mas, de qualquer forma, obrigado!

Querida Bat-Lili: O pessoal da Liga da Decência era um bando de tarados, isso sim! O que tem de hipócrita nos EUA é uma grandeza, não acha?

Querida Bat-Bruxinha: Pena você não ter podido ir. O espetáculo de São João de Meriti foi fantástico!
Quanto ao Robin e sua mala, os caras da Liga de decência eram uns indecentes!

Querida Bat-Karine: Pô, livra a cara do Menino-Prodígio, vai... Eu sou fã do Batman...
Mas você, heim? Rá! Rá! Rá!...

Querida Bat-Giulia: Eu sou apaixonado pelos antigos seriados clássicos. Daí, resolvi fazer uma série de posts sobre eles, com as informações que eu tenho. E se você está gostando, maravilha!

Querida Bat-Vera: Viu só que malvadeza com o pobre do Robin? Imagino que o pinto dele tenha pego uma bat-gripe...

Grande Bat-Mut: É...Cada um com o seu herói preferido... Mas voc~e sabia que o George Harrison escreveu "Taxman" baseado na musiquinha-tema do Batman em seriado? O George Martin contou essa história.

Bat-Marcíssima, amigapratodavida: Gostou? Ah!... Que felicidade!

Grande Bat-Thulio: Obrigado pela visita. Vou retribuir assim que puder.

Grande Bat-Mestre Moacy: Fico feliz por ter gostado.

Querida Bat-Fugu F.: Pois é. Ainda bem que não foi comigo!

Grande Bat-Rubo: Eu não quero nem pensar nessa tal de injeção! Cruz-Credo!

Querida Bat-Luna: Eu ainda assisto com saudades aos antigos seriados. gosto tanto deles que resolvi contar em posts as histórias que sobre eles sei. E se você está gostando, beleza!

Querida Bat-Jéssica: Fico feliz por você ter se restabelecido. E por ter apreciado os meus bat-posts.

Querida Bat-Saramar: É uma felicidade enorme sabe que você se agradou com os meus posts!

Valeu, moçada! Bat-abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim!

Claire disse...

Ei, faltou o Cliff Robertson q interpretou o vilão Shame, "vergonha", uma sátira ao personagem de Alan Ladd no faroeste "Shane" (Os Brutos Também Amam).

marconi leal disse...

Um verdadeiro tratado batmanístico, Marco. Maravilha.