domingo, dezembro 10, 2006

Surdo como uma porta


Lá vamos nós para mais uma explicação sobre a origem de expressões que usamos cotidianamente.
Hoje falaremos de...

Ser surdo como uma porta

Essa vem do tempo da Antiga Roma dos Césares. Naquela época, eles atribuíam divindade a tudo. Existia até um templo consagrado ao “deus desconhecido”. A idéia era cobrir todas as possibilidades!
Pois é.
Entre as muitas coisas a que eles atribuíam divindade, a porta era um exemplo. Os romanos a consideravam como deusa (o nome era exatamente este: deusa Porta). E lhes dedicavam oferendas, faziam-lhes pedidos... Fico imaginando um romano ajoelhado diante de uma porta, rezando:

“Ó divina Porta, fazei com que eu ganhe a aposta que eu fiz lá no Coliseu! Se perder não tenho dinheiro e o cara com quem apostei não é dois, mas é forte pra caramba!”
Um pedido dos mais comuns era mulher suplicando para arranjar marido.
“Portinha do meu coração, me tire do caritotus (caritó, em latim). Preciso arranjar um homem, senão vou ficar louca, entrar no primeiro cortejo em homenagem a Baco e me acabar numa bacanal!”
*
Quando os pedidos eram atendidos, ah, era festa! Beijavam as portas, davam presentes, choravam abraçados com elas, faziam carinho... mas se a porta não atendesse às súplicas (o que acontecia na maioria dos casos...), se ela se fizesse de surda, ah, os caras a cobriam de xingamentos, era um tal de "porta safada" pra cá, "sua surda sem-vergonha" pra lá...
Daí, se uma pessoa não atendesse às solicitações, ou mesmo se fosse deficiente auditiva, diziam que ela era surda como uma porta.
*

E aí está uma coisa interessante. De forma geral, somos piedosos e tolerantes com os cegos. Mas não é todo mundo que tem paciência para lidar com gente surda. O surdo gera nos outros impaciência. Talvez, até por conta da tradição da porta dos romanos. Além disso, a “surdez” - não a deficiência física, falo sobre aquele que não quer ouvir - é uma característica dos teimosos. E poucas coisas causam mais irritação que lidar com gente teimosa. Desde que não sejamos nós, é claro... Nós nunca somos teimosos, temos firmeza de caráter e defendemos com solidez o nosso ponto de vista. Teimosos são os outros...
*

E você? Tem paciência com quem não escuta direito?
M.S.
************************************************
Na Rádio Antigas Ternuras você está ouvindo (se não for surdo...) Astor Piazzola magistral em “Adiós Nonino”.
************************************************
Queridos amigos: me desculpem por não ter aparecido como de costume em seus blogs. Mas com a mega turnê mundial (que se encerra, pelo menos neste ano, hoje, na aprazível cidade de San Juan Del Merity, e outros afazeres que estão me consumindo o escasso tempo que tenho, fica difícil para eu visitá-los como tanto gosto de fazer.

27 comentários:

Paulo Assumpção disse...

Agora pegastes este professor de História que vos escreve! Desconhecia este culto romano à porta! Valeu mesmo pela curiosidade! Usarei em sala de aula! Se bem que meus alunos são, de um modo geral, surdos como uma porta! E eu me refiro àqueles que não querem ouvir as lições, pois dou aula para deficientes auditivos e estes, por meio dos intérpretes, costumam ser atentos ao que ensino. Em tempo, as revistas "Aventuras na História" e "Nossa História" também trazem pequenos artigos sobre a origem das expressões populares. Se ainda não leu, recomendo! Como você é um grande interessado no assunto, creio que vai adorar. Por falar nisso, gostei muito do encerramento (que pena) dos posts sobre o antigo seriado do Batman. Excelente a idéia de dividi-lo em dois a exemplo dos episódios do seriado. Um bat-abraço!

Claudinha disse...

Ei Marco!
Ah, esta eu também não sabia! Legal se prevenir de todas as formas possíveis!
Quanto à ausência, não fique preocupado, eu também ando correndo e devendo visitas a todos. Um beijão!

Lili disse...

Não sabia a origem, mas achava que era coincidência quando ouvia algum italiano dizer "Madonna santa, ma sei sordo come una porta!" Vivendo e aprendendo. Viva Marco!

BEjão e ótima semana!

Márcia(clarinha) disse...

Humm, eu me declaro sem paciência aos surdos que nem portas, aff! falo,falo e não me escuta? que coisa! rss
Adorei saber a origem dessa tão usada expressão.
Quanto a mega-hiper-escandalosa tournê mundial eu só tenho que tirar meu chapéu com orgulho, afinal eu pude ver com meus olhinhos e escutar com meus ouvidinhos[que não sao surdos] além de beijar a bochecha do mega-ator sensasional amigopratodavida Marco, yeh!
San Juan Del Merity foi demais,rssss :)
lindos dias querido,
beijossssssssss

Roby disse...

ssr..Markito, os romanos rezando para a porta foi o máximo..rs
E eu que pensava que esta expressão
era de origem brasileira.
FANTÁSTICO!!
*
Meu amigo, e saber que tu estás tão pertinho de nós aqui de casa..que bom se tu viesses a Suiça tb amigo, prepararia um jantar regado a muito carinho de todos nós, meu marido e filhotes!
Estou torcendo que sua turnê seja bem produtiva ..vai ser uma experiência e tanto não é??
*
Abraço grande meu amigo...e não te preocupes com as visitas, te esperamos o tempo que for necessario.

DO disse...

Não podia imaginar que a explicação seria esta,MARCO.
Achei magistral,hehehe.
Mas eu não tenho muita paciencia não. Aqui em casa mesmo,meu pai não escuta direito ( ou não presta atenção )...e eu so falo uma vez!!
Rsssss
Uma otima semana à vc.
Abração!!

Francisco Sobreira disse...

Marco. Chego aqui através do Balaio do amigo Moacy. Me agradou o humor presente na sua página. E, como você, sou torcedor do Mengo, embora ele tenha aprontado poucas e boas aos seus fiéis torcedores. Gosto muito de cinema e , entre os filmes que você lista como os preferidos, só uns 2 ou 3 não estão entre os meus. No mais, um abraço.

Márcia(clarinha) disse...

Marco,
será que até o final da semana a gente marca um chope e tira simbolicamente um amigo oculto? tem blogueiro gente do bem que está me cobrando isso, poderia ser aqui na galeria Gourmet ou na Pressão.....topa? dizquesimdizquesim...te ligo quando tiver tudo acertado, ok?
beijossssssssssss

Vera Fróes disse...

Marco, não tenho muito paciência com gente que não ouve(por falta de atenção é claro!). Perco a paciência com facilidade.
Gostei da sua turnê. Se já vai a San Juan del Merity, o que mais vc quer???rssss
Falando sério, desejo todo o sucesso que vc merece. Ainda vou te ver. Quem sabe vc vem a Santa Maria, numa dessas megas turnês?

Bjos.

Alê Barros disse...

Oi querido,

Tudo bem vai...está desculpado pelo sumiço de meu blog, mas não acostuma não viu???rs Porque eu já me acostumei em ter vc por lá...
Ah, e obrigada pelo elogio...hihihi
Adorei saber mais esta, surdo como uma porta e sinceramente eu tenho paciência com quem não ouve direito porque meu avô que já faleceu e morava comigo era meio surdinho, especialmente no telefone. Quando vc ligava e ele não entendia, simplesmente mandava vc praquele lugar sem dó nem piedade...kkkkk...depois dizia que era trote...s
Beijos e boa semana

Lino disse...

Tá certo, Marco. Quer dizer que a deusa, às vezes, era surda?

Saramar disse...

Marco, por favor, fala sério (risos)!
Ou eu sempre fui surda como a própria ou então voc~e, seu engraçadinho, criou essa nova deusa!
Eu chorei de rir com a foto, imaginando os pedidos....
Você tem algum repelente aí? Não consigo sair do blog...ainda mais com essa lindíssima, maravilhosa música.

beijos e obrigada. Você é um gentleman.

celina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
celina disse...

olá marco,
muito bom voltar a te ler e começar o dia com um sorriso.
alguém já disse que o pior surdo é aquele que não quer ouvir? :)
abrs.

Anônimo disse...

ahahahah, fico imaginando o tal romano também.
e mais, fico me imaginando fazendo pedidos a uma porta.
mas descobri que sou surda, pior que uma porta...
mas tudo bem, se houer conserto, ainda escutarei a bela Adiós Nonino!

te beijo

boa semana

Taís Morais

Vendetta disse...

ai, Ternurinha....
Eu tenho paciência sim, e vc tem mais ainda pois toda vez que vai lá no meu divã, comenta nos posts passados... uma delícia isso!
Eu me sinto muito honrada e querida!
assim também te considero, querido amigo
Muitos beijos

Jéssica disse...

Olha, adorei saber da sua explicação...rs... goado q até pouco tempo atrás eu achava q era 'porca'...rs... pode??? e nunca parei pra pensar o pq da 'porca'...rs...
Pior q falar com uma pessoa surda, é ver tv ao lado de uma, a gente sim é q fica surdo pois põe o volume no máximo...rs...
Beijos e qto a ir nos blogs, comigo não se preocupe, sinto falta dos teus comentários, mas entendo.
Sucesso!!!
Beijo, muito beijo*.*

Thulio disse...

Caramba! Muito bom esse especial sobre o surgimento de girías/expressões. Gostei muito.
Realmente devia ser muito engraçado abrir a porta de casa e ver alguem orando para ela.
- Ei, sai dai que essa porta é minha. Vai orar em outra porta!
rs...
Espero sua visita lá no blog.
Grande abraço e tenha um ótimo dia.

Anônimo disse...

Em verdade não tenho paciência. Mas eis que também venho a sofrer desse mal.

Beijos de chocolate.

Sujeito Oculto disse...

É sério isso? Tá brincando! Também as pessoas sempre precisaram de qualquer coisa para se apegar, agradecer e culpar. Uma espécie de Síndrome de Estocolmo. Eu costumo ter paciência com pessoas cegas ou surdas, mas com burrice eu tenho um pouco menos!

Karine disse...

Também acho: teimosos são os outros! E eu não sou como uma porta... hãn? Que foi que você disse??

Janaina Staciarini disse...

Ahhhh que delíciaaaa!!! Esta eu não conhecia!
Eu tenho paciência com quem não ouve direito. Eu não tenho paciência com quem não entende as coisas, percebe a diferença?

Sandrinha disse...

Nossa! Essa eu também não conhecia... Adoro vir aqui sempre aprendo algo novo. Beijos

luciocruviana disse...

Quem viaja tem sempre algo para contar... Welcome back.

Márcia(clarinha) disse...

Amigopratodavida, kd vc?
recebeu meu e-mail?
beijosssssssssss

marconi leal disse...

Adorei saber de mais essa. Do deus desconhecido eu sabia, mas nunca tinha ouvido falar da deusa Porta! Abração.

Marco Santos disse...

Grande Paulo: UAU! Eu te mostrei coisas que você não sabia??? Que legal! Esse é o grande motivo para o Antigas Ternuras estar no ar: fazer as pessoas pensar e lhes acrescentar conhecimento.
Eu compro, às vezes, o Nossa História. O assunto origem das expressões sempre me interessou. Onde tem explicação para elas eu corro atrás.
Aqui no AT fiz duas séries mais ou menos fixas: uma sobre origens das expressões e a outra sobre antigos seriados clássicos. Já fiz, como você viu, posts sobre O Túnel do Tempo, A Feiticeira, Os Três Patetas e Batman. Vem mais aí. Aguarde.

Minha doce Claudinha: Que bom que gostou! Pois é. O tempo escasso não me tem permitido visitar os amigos como eu gostaria.

Querida Lili: A expressão italiana certamente vem de sua origem latina. E fico até imaginando dois italianos, cheios de gestos, falando isso...

Marcíssima, amigapratodavida: Também confesso não ter muita paciência com surdos... Acho que o Universo me castigará me transformando num velho surdo para eu aprender a ser tolerante...
Eu me orgulho de tê-la na minha platéia. Por essas e outras, você é a minha amigapratodavida.
Sobre o amigo oculto da semana que vem, tudo bem. Me diz o dia e a gente vai.

Querida Roby: Pois é... Para você ver... Essas explicações são mesmo muito interessantes.
Querida, essa história de San Juan del Merity é gaiatice minha. O nome da cidade, daqui de pertinho, na Baixada Fluminense, é São João de Meriti. Pode parecer que é Espanha, mas é o velho Brasil... Minha mega turnê mundial não chega a tanto, infelizmente!

Grande Do:

A explicação é essa, sem dúvida. Sobre ter paciência com surdos, é como eu escrevi: a gente tem piedade e paciência com os cegos. E nenhuma com quem escuta mal...

Amigo Sobreira: É um enorme prazer tê-lo aqui. Já retribuí a sua visita e fiquei muito feliz com o que li lá. Se você é da Nação Rubro-Negra, mais um motivo para admirá-lo.

Querida Vera: Eu também, amiga... Eu também. Não me orgulho disso, mas sou mesmo impaciente com quem escuta mal.
Eu adoraria ir pro Sul, levar a nossa peça. Ainda mais que ela se passa em uma cantina italiana, já pensou?

Querida Alê: Por mim, estaria todos os dias nos blogs dos meus amigos, mas...
Que bom que você é paciente com quem escuta mal. Precisaria ser como você.
E o seu avô, heim...

Grande Lino: A deusa Porta era surdíssima! Só ouvia quando lhe interessava...Danada, heim? Parece certas pessoas, certos governantes...

Querida Saramar: Não! A deusa existe! Pode acreditar! (Pelo menos, os romanos acreditavam nela...)
Eu repelir a sua presença aqui? JAMAIS! Eu me sinto absolutamente honrado e feliz sempre que você vem...

Querida Celina: Eu fico particularmente feliz quando te leio.

Querida Taís: Na hora do sufoco, a gente apela pra deusa Porta, pra deusa guarda-roupa, pro deus desconhecido... Ré! Ré! Ré!...

Vendettinha, querida: Claro que eu tenho o maior prazer em ler e comentar todos os seus posts. A honra e o prazer são também meus.

Querida Jéssica: Eu vejo na figurinha que te acompanha a tal porquinha... Também não entendo a razão. Mas deve ser uma “porquinha” bem bonitinha!
Você tem razão: ver TV perto de surdo é um suplício. E ouvir música?

Legal, grande Thulio. Que bom que gostou. Eu ri muito da sua história do “passa daqui! Vai rezar noutro lugar!” Rá! Rá! Rá!... mas o pior é que eles não rezavam só, não. Arriavam oferendas também. Já pensou?

Querida Bruxinha: Também tenho receio de sofrer desse mal...

Sujeito Oculto: Aguarde que vou te visitar assim que puder. É da natureza humana correr e se apegar a alguma coisa quando o bicho pega...

Querida Karine: Também reconhece que os outros é que são teimosos, não é? KARINE! ESTOU FALANDO COM VOCÊ!

Querida Janaína: Que legal você ter paciência. Eu não tenho muita, não...
Sim, percebi a diferença. Também tenho problema com os teimosos...

Oi, querida Sandrinha: Um dos objetivos do Antigas Ternuras é tentar passar conhecimentos... Que bom que você gosta de aprender coisas novas.

Valeu, grande Lucio! Um abração! Estou devendo um post...

Grande Marconi: Pois é. Quando quiser pedir alguma mezinha, vá até a sua porta. Mas fale alto, ela não escuta direito...

Valeu, moçada! Abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim!