segunda-feira, novembro 20, 2006

Sem fome de viver


Há poucos dias fiz um post aqui sobre distúrbios alimentares como a anorexia e a bulimia. Na semana passada, uma modelo faleceu por ser anoréxica. E em seguida, outra moça, Luise, também morreu do mesmo mal. O assunto está na pauta da imprensa. As três revistas de opinião mais importantes do Brasil dedicaram capa e matéria principal à modelo e a este problema que é mais sério do que eu imaginava( e já o cria como seríssimo!). Foi imensamente triste ver o depoimento da mãe da modelo na TV.
Bem, eu daqui de minha velha cristaleira de emoções, antecipei o grande assunto do momento, o que é estranho. Fiz este blog não para indicar tendências ou acompanhar problemas atuais. O viés daqui sempre será o passado, as coisas boas que gostamos de recordar. Mas aconteceu. Quando eu era moleque, as jovens não tinham essa obsessão por ter um corpo cadavérico. Acho tudo tão estranho...
*
No post anterior, lembrei de Karen Carpenter, definitivamente uma antiga ternura, desde que a ouvia no Rádio e me levou a comprar na loja Ultralar o disco “Now and Then”. Karen morreu devido a anorexia. Na época, muitos achavam que a partir de sua morte, as pessoas iriam pensar duas vezes antes de maltratarem seus corpos em busca de corpos magros.
O tempo passou e estes transtornos só recrudesceram.
*

Hoje, a anorexia é a doença de fundo psiquiátrico que mais mata no mundo. Mata mais que alcoolismo. Estima-se que 1,4 milhão de pessoas no Brasil sofram deste mal, que tem uma taxa de fatalidade oscilando entre 10 a 20% entre os pacientes. Isto significa dizer que em cada dez anoréxicos, de um a dois morrem devido a complicações decorrentes da doença. Ou seja, do total de pacientes de anorexia, cerca de 140 a 280 mil pessoas poderão ficar gravemente mortas pro resto da vida. Não é um valor pequeno...
*
No meu post anterior, citei o que vi e li, após um passeio pelos blogs de moças com este mal. Elas fazem um enorme esforço para não comer (elas dizem claramente que odeiam comida), mesmo sabendo que correm risco de vida.
*

Elas preferem morrer a serem gordas (elas se acham assim, porque na grande maioria, têm corpos com peso normal ou são até magras, mas se vêem como obesas). Aliás, a própria modelo que morreu, a Ana Carolina Reston, disse isso várias vezes antes de embarcar para o outro lado.
Depois do assunto entrar na pauta geral da imprensa, depois do que foi dito, quis ver o que estes blogs comentavam sobre a tal da “Ana” e “Mia”.
Num deles, o “I’m not politically correct” (elas adoram escrever em inglês; se não tem cuidados com o próprio corpo quanto mais com o idioma...), a sua autora postou um texto do qual pincei alguns trechos. Se quiserem lê-lo na íntegra, basta clicar no link:
*
“MULHERES INTELIGENTES ESCOLHAS INSENSATAS
Lindas,
Estava eu sentada em minha sala pensando em fazer um NF
(Nota do Redator: “NF” é “No Food”, Não Comer. Como eu escrevi, esse povo adora escrever em inglês), quando me aparece em primeira chamada no Jornal Hoje a notícia bombástica da modelo Ana Carolina Reston, que morreu de anorexia. Pasmei!
(...) Eu consigo conviver muito bem com a Ana (como elas chamam a Anorexia), e também com tudo o que vem junto com ela, mas com a morte, eu vou mais devagar. (...)
Anjos, eu sei, anorexia mata, claro que mata. Tenho consciência disso. Mas eu, assim como várias de nós, sei o limite. Ou não? (longa pausa)
Confesso Girls, fiquei chocada, de verdade. Mas não penso em parar agora. Pode realmente ser uma atitude estúpida, por que tenho consciência do que é a Ana, mas sei lá tipo, tenho um objetivo, que não necessariamente é a morte, mas... Bom, como dizem mulheres inteligentes escolhas insensatas”.

Como podem ver, a moça se acha inteligente.
*
Vamos pro outro site. O “Psycothic Doll”...... (Lembrem-se: estou reproduzindo aqui trechos de blogs exatamente como foram escritos. Não estou mudando uma vírgula)

“Vocês já viram a capa da IstoÉ? Hipocrisia deles fazer esse furacão agora...se ninguem fez nada antes..verdade! Eles cobram tanto.. Uma agencia X uma vez me mandou ficar 3 dias bebendo líquidos..pra "enxugar" 1,5 kg. segui o conselho e pensei.. eles sabem o que estão fazendo. Quando dei por mim estava num quarto de hospital. Minha cabeça não é a mesma faz tempo Minha saúde também. Não aguento mais ter compulsão e vomitar. Mesmo querendo,não vou conseguir comer. Eu não vejo o que os outros vêem.
apenas 40 quilos. Um peso mais apropriado para uma menina entre 11 e 12 anos e 1.50 eles dizem. Não quero mais nenhuma amiga minha virando anjo. SE CUIDEM POR FAVOR. Uma promessa eu faço aqui hoje. Não quero vomitar mais.. Eu não posso. E mesmo determinada..sei que não vai ser nada fácil.
Só os mais fortes sobrevivem,diz a cadeia..
será que agente ainda se lembra do limite?”
*
Neste outro site, “Mais uma Ana Única e Bela”:
“vcs viram que a capa da época é sobre nós? e eles ainda se acham intelectualmente superiores ao ponto de não intenderem que Anna não é doença e sim estilo de vida. Porque eu quero me amar. Me sentir linda e não ter vergonha. Não mais comprar roupas tamanho GGGG e sim PPPP. Não tem nada que pague a alto-estima satisfeita. E não há nada também que possa me parar de lutar para tê-la. Nem a fome, nem as calorias, nem eu mesma. Nada. Porque eu sou forte e determinada. Vcs também, meninas! Somos mais fortes do que a fome, e tudo graças à Anna!”

O tempo vai passar, o tema do momento vai passar na mídia e pessoas vão continuar morrendo desse mal. Como foi visto, embora elas tenham consciência de que estão colocando a vida em risco, para elas é mais importante “atingir o objetivo”, que é ter um corpo cadavérico. Elas não têm fome de viver. Elas guardam o apetite delas para a aparência ilusória de um corpo magro.
M.S.



*********************************************************
Na Rádio Antigas Ternuras você ouve “Pais e Filhos” pela Legião Urbana.
*********************************************************
Desculpem-me não estar visitando os blogs de vocês com a freqüência que eu gostaria. Além de meus afazeres habituais, estou envolvido com a mega turnê mundial da peça “Nhoque em tempos de crise” em que atuo.

24 comentários:

Roby disse...

Pois é Marquinho, a coisa tá feia...por mais que eu leia sobre este assunto, fico a me perguntar em que ponto chega a pessoa, depois de colocar na cabeça que prefere morrer do que ser gorda.
Espero jamais passar esta experiência com meus filhos..porque não terei paciência pra lidar com isso tudo..
*
No meu tempo não tinha estas "demências" não..senão a coça pegava feio..ai de mim que viesse com frescuras de não querer engordar..rsr

Ahh quem me dera poder ver de pertinho sua atuação no palco!
Quem me dera...

Abraço grande amigo!

Claudinha disse...

Ei Marco, como vai a mega turnê?
Assim como você eu estou muito preocupada com estas meninas e sempre de olho em todas que quero bem. Triste! Eu sempre me senti um pouco, digamos, fofa demais. Estou sempre cuidando da boca, mas com uma profissional competente e comendo até chocolate (hummmmm). Este distúrbio é muito sério porque elas ficam esqueléticas e não se sentem assim. Ficam horrorosas e não se sentem assim. Li que os geneticistas já falam que tudo faz parte da Seleção Natural tratando de agir e eliminar genes de indivíduos fracos para o nosso mundo de hoje... Mas é sempre triste.
Beijo! (E boa sorte na mega turnê!)

Samara Angel disse...

oi querido Marco,é triste mas é uma realiade,indelizmnete nao se pode fazer nada,elas nao entedem que a verdadeira beleza vem de dentro pra fora, mas vim te ver deixar meu carinho e parabens nao sabia que eras ator,vc é tudo um pouco ne lindo,te adoro,bjssss

Lili disse...

Caro Marco, tive vontade - mas não coragem - de entrar nos blogs dessas meninas depois da morte da modelo. É muito triste mesmo. Você resumiu tudo: falta fome de viver! É a pura verdade.

Mas, diga-me: a mega-turnê vem pras minhas bandas? rsrs Se vier, vou correndo com meu caderninho de autógrafos e tudo!

Um beijo, querido.

Márcia(clarinha) disse...

Marco querido
que tristeza, puxa!!
Li com atenção tudo que escreveu e fiquei pasma, como essas meninas podem fazer isso, onde estão seus responsáveis?
Me choquei com as fotos, isso é auto estima? ficar assim é o belo? Meu Deus!
Pois é amigopratodavida, fui ontem ao Cirque, vc tb? Amei,vibrei como criança, fiquei extasiada com o ultimo numero, o balé no ar, que coisa linda né?
Ri tanto com os palhaços e o cara da platéia que minha barriga doeu, valeu cada minuto ali dentro, muito bom!
linda semana querido e boa tournê, sucesso sempre!!
beijosssssssssssssss

Anônimo disse...

Por isso tudo que li aqui e pelo que vejo e ouço no noticiário é que agradeço a Deus por não ter esse problema. Confesso que minha adolescência gordinha me inibiu e me impediu de viver plenamente. Sempre me escondia em roupas largas e nunca me enturmava muito, no máximo dois amigos.
Hoje tento uma alimentação saudável, mas os doces são meus melhores amigos. Não deixaria de comer, de saborear os pratos deliciosos da vida em troca de pele e ossos.
Não gosto muito de nhoque, mas já que vai atuar tão perto de mim, farei o possível para estar na platéia.

Beijos em seu coração.

Zeca disse...

Caríssimo Marco,

rebatendo sua frase no comentário deixado lá nas minhas Janelas - que me deixou muito feliz, por sinal - digo que o mundo precisa de pessoas como você, que trazem sempre temas tão interessantes, privilegiando o passado e não nos permitindo o pior de tudo, que é o esquecimento. Seus posts anteriores, sobre os Três Patetas, sua carta ao "tremendão" Erasmus de Roterdam e o respectivo direito de resposta dado ao Maltus, bem como os pertinentes textos sobre anorexia e bulimia (grandes males modernos), com todas as informações que tão bem sabe passar, além de nos informar, contribuem para o nosso crescimento como seres humanos. Tudo isso sem falar na delícia que foi "reencontrar" aquí A Feiticeira, um dos meus seriados favoritos de mil e novecentos e antigamente. Mas que ainda pode ser visto nos canais pagos de tv. Com tudo isso, você agrega, envolve e reúne as pessoas, fazendo-lhes enorme bem, de forma leve e descontraída. Assim, como quem não quer nada...

Enorme abraço, meu amigo.

Jéssica disse...

Eu detesto comer... como pouquíssimo, o suficiente pra me manter viva, de pé e desde pequena, sempre muito anêmica. Eu tô pesando 49 quilos mas meço só 1,60, altura imprópria pra modelar... e mesmo assim sou tão magra, imagina essas meninas, altas do jeito q são e pesando ainda menos q eu. Td em nome da pretensa fama e da grana ilusória muitas vezes. Enfim, quem sabe um dia a coisa muda, a partir das agências no mundo todo. Boa noite, ótima terça...
Obrigada pelo teu carinho comigo, vc é um amor, sabia? Beijo*.*

Claire disse...

O que permanece igual em cada doença tipo vício é a ilusão do controle. Notou como as meninas julgam saber 'em que ponto parar"? Pois é. Alcoólatras não assumidos e viciados tb costumam pensar assim.

BELWICCA disse...

ACHO TOTALMENTE ESTUPIDOOOO!!!
Que coisa, prefere morrer. Nossa, eu acho que a mulher tem que ter carne pra ser bonita, que ânsia do povo dizer que mulher pra ser bonita e notada na rua tem que ser magérrima... tem que ser o puro osso. NAUMMMM, VAMOS ACORDAR GENTE. e NAUM VEM ME DIZER QUE OS PRODUTORES DAS AGÊNCIAS NAUM SABIAM. POXAAAA!!!
Desculpe pelo desabafo, eh que fico P da vida, quando vejo uma coisa dessas.
AHHH! Entra lah no meu blog, escrevo bastante mas... acho que vai valer a pena ler ateh o final, ler experiências de vida diferentes da sua eh bem interessante... PELO MENOS EH ASSIM QUE PENSO. Espero ansiosa pela sua visita...

BEIJAUM

Vera Fróes disse...

Marco, sei que os pais deveriam ser mais vigiantes, mas vamos combinar que as ag~encias ficam dando umas de "não sabíamos" o que é mentira. Quando eles pegam essas meninas para desfilar eles exigem que elas emagraçam.
Vi esses dias uma dona de Agência falando da Juliana Paes que entrou nas mais bonitas da People(acho que é essa revista) que se a atriz fosse trabalhar com moda teria que emagrecer uns 10 quilos. Vi Juliana no Faustão, está magrinha, se perder 10 quilos vira esquelética. Ainda bem que a Juliana não quer ser manequim. Acho que esse pessoal de Ag~encia deveriam ser responsabilizados pelo que acontece com a modelos, afinal, elas são empregadas da Agência. Vc viu que a L´Equipe(agência da Carolina) enviou fotos de quando ela não estava tão esquelética, para as revistas usarem. Eu queria que tivessem mostrado como ela estava no último trabalho.
Tenho problemas com o peso mas não vou estragar minha saúde para ficar nos padrões. Preciso emagrecer, mas com saúde, fazendo exercícios(estou caminhando e quando dá faço musculação) e com uma alimentação balanceada, sem radicalismos, que sei que não dá certo!
Puxa, isso quase vira um poste.

Bjos.

Anônimo disse...

Sou formada em Design de Moda e nunca gostei de modelos magérrimas em meus desfiles. Às vezes, era obrigada a contratá-las por pura falta de opção. Na faculdade, estudei psicologia da moda, que abordava a forma como a nossa auto-estima faz com que a nossa imagem no espelho fique distorcida.
Eu sempre fui gordinha, mas com o tempo passei a me alimentar melhor e emagreci. Jamais pensei em aderir à Ana. Nós, mulheres, somos muito cobradas pela sociedade a ter o corpo perfeito. Tenho muito medo de engordar de novo, e às vezes comento "tenho que emagrecer...". Meu namorado fica danado, "emagrecer? Onde?".
Deixo aqui uma frase das antigas: "Quando a cabeça não presta, o corpo é que padece". Diz ou não tudo?

Bjão!!

Anônimo disse...

Ah, sua mega turnê vai passar por bh?

Anônimo disse...

Marco, não poderia deixar de postar esta música aqui. Chama "Ana's Song", do Silverchair. O vocalista Daniel Jones tem sérios problemas decorrentes da Anorexia, e escreveu esta música.

Please die Ana
For as long as you're here we're not
You make the sound of laughter
and sharpened nails seem softer

And I need you now somehow
and I need you now somehow

Open fire on the needs designed
On my knees for you
Open fire on my knees desires
What I need from you

Imagine pageant
In my head the flesh seems thicker
Sandpaper tears corrode the film

And I need you now somehow
And I need you now somehow

Open fire on the needs designed
On my knees for you
Open fire on my knees desires
What I need from you

And you're my obsession
I love you to the bones
And Ana wrecks your life
Like an Anorexia life

Open fire on the needs designed
On my knees for you
Open fire on my knees desires
What I need from you
Open fire on the needs designed
Open fire on my knees desires
On my knees for you

Vendetta disse...

ai, Ternurinha, que tristeza isso...
Receba meu beijo alegre e certeiro na tua bochechinha linda!
e outro na outra!

Alê Barros disse...

Ah querido,

Coincidência vc ter postado aquele dia sobre esse assunto né? Fui lá dar uma checado no tal blog, mas não dá pra mim não...eu sou meio radical e ia acabar dando umas boas broncas na tal gúria que se acha!
Lembra que comentei contigo no post da bulimia/anorexia que eu tinha uma amiga assim? Pois é, conversei seriamente com ela e ela me jurou que vai fazer um check up...
Tomara...afinal, ela tem dois bebês...
Um beijo pra vc,
Adoro o seu blog!

Alê Barros disse...

Ah querido,

Coincidência vc ter postado aquele dia sobre esse assunto né? Fui lá dar uma checado no tal blog, mas não dá pra mim não...eu sou meio radical e ia acabar dando umas boas broncas na tal gúria que se acha!
Lembra que comentei contigo no post da bulimia/anorexia que eu tinha uma amiga assim? Pois é, conversei seriamente com ela e ela me jurou que vai fazer um check up...
Tomara...afinal, ela tem dois bebês...
Um beijo pra vc,
Adoro o seu blog!

M.Eduarda disse...

Pois é querido.. a situação é complicada. Fiquei impressionada com o que as meninas escreveram nos blogs...

beijos

Jéssica disse...

Esqueci de dizer, mas eu gosto de nhoque.
Ah... e de brigadeiro tb...rs...
(vai lá no 'lugar gostoso' q vc vai entender)
Beijosssssssss

Loba disse...

Anorexia, bulimia, são vícios e como todo vício existem para ocupar espaços vazios no emocional, dando a ilusória sensação de prazer, né? E como todos adictos, os anórexicos precisam ser tratados clinica e emocionalmente. mas enquanto houver a pressão das agências e a falta de valores familiares (quase sempre estes valores são equivocados) teremos estatísticas absurdas como estas que vc mostrou! Parece que já existe um movimento na Europa em relação à não aceitação de modelos excessivamente magras... tomara que os profissionais da moda tomem consciência da grande responsabilidade que têm, não apenas sobre as tendências, mas tb sobre vidas.
Excelente o seu post!
Beijos muitos.

DO disse...

Sei que o sonho e a ambição leva estas meninas a fazerem estas loucuras,mas fiquei muito chocado,meu amigo.
Fico imaginando qtas e qtas histórias devem existir mundo afora.
Pra chorar,viu.
Abração!

Marco Santos disse...

Querida Roby: Esses transtornos alimentares tem a capacidade de devastação do álcool e das drogas. Da mesma forma que eu não consigo compreender como alguém se encharca de bebida ou utiliza entorpecentes, não dá para entender como alguém prefere morrer a ser gorda. Tomara, mesmo, Robyzita, que seus filhos nunca tenham esses transtornos. O mal vem crescendo no mundo de forma assustadora.
No nosso tempo, a ditadura da moda não prescrevia corpos esqueléticos. As modelos da minha época eram “modelos”, na acepção da palavra, quanto ao seus corpos. As tops da minha adolescência eram a Rose di Primo, e um bando de “Certinhas” que eram um “estouro”! Hoje, li no jornal que uma programadora de agência disse que se a Juliana Paes quisesse ser modelo, teria que emagrecer mais de 10 quilos! Eles querem cabides ambulantes para desfilarem aquelas roupas esquisitas.
Ah, sim. Eu adoraria levar a mega turnê da minha peça até a Suiça. Mas...
Minha doce Claudinha: A mega turnê vai de vento em popa! Centenas de pessoas já viram e aplaudiram delirantemente ao “Nhoque em Tempos de Crise”.
Sobre essas meninas-suicidas, eu me apiedo delas. E sei que elas vão enfrentar um barra no Outro Lado da Vida. Terão que prestar contas de seus atos. Vai ser duro.
Você cuidar da sua fofura, ou todas as mulheres também se preocuparem com suas silhuetas, é uma coisa bem diferente do que traçar “objetivos” estapafúrdios para o corpo, ficando com massa corporal bem abaixo do recomendável. Ah, se essas meninas adotassem outros “objetivos” para suas vidas! Trabalhar pelos necessitados, levar a Palavra de Deus aos desvalidos, fazer companhia a idosos em asilos...
Acho que o pior nessa doença é elas nunca se verem como realmente estão. Se alcançam o tal “objetivo”, não se satisfazem mais com ele e traçam outro mais abaixo ainda. Até o corpo entrar em colapso. Muito, muito triste isso...

Linda menina Samara: Acho que podemos e devemos fazer algo, sim. Eu não conheço ninguém que esteja anoréxico ou bulímico. Mas escrevo para quem me lê, fazendo alertas sobre o mal. As pessoas têm filhos adolescentes, precisam saber dos perigos que os rondam.
Obrigado por seu carinho e atenção, querida.

Querida Lili: É, eu entrei em vários para escrever este post. É lamentável o estado psicológico e espiritual dessas moças (se bem que tem um rapaz anoréxico também). Essas pessoas correm atrás da ilusão. E uma ilusão que pode ser fatal...
Bem que eu gostaria que a nossa mega turnê mundial fosse até o Nordeste... Mas, quem sabe?

Marcíssima, minha querida amigapratodavida: É muito triste, sim. Os pais têm alguma culpa. Mas pelo que li nos blogs delas, elas os iludem com roupas largas e vomitando ou tomando laxantes para expulsar a comida do organismo. Nos blogs delas, algumas contam as coisas que fazem para enganar os pais. Se você viu o depoimento da mãe da Ana Carolina, viu que a moça sempre disconversava quando se falava em alimentação e magreza. Pois é. Uma apóia a outra! Elas escrevem que de mãos dadas, enfrentam tudo com a ajuda da “grande amiga” delas, a “Ana”...
Não, querida, não fui ao Cirque de Soleil. Mas fico feliz por você ter se divertido lá. Deve ser um belíssimo espetáculo, mesmo.
Querida Bruxinha: Temos que conviver saudavelmente com o biotipo que temos. Eu passei quatro décadas da minha vida sendo magro como um vara-pau, recebendo o apelido de “filé de borboleta”, “fio dental”, “Marco Costela” etc... E comia feito um lobo! Hoje, tenho que segurar um pouco a minha boca. Mas ainda assim, solto a “frieira” que mora na minha barriga e como mesmo!
Imagino que adolescentes cheinhas sofrem mais do que os adolescentes costumam sofrer (como eu sofria! Como sofrem os adolescentes! Ó dia, ó vida, ó azar...), mas atentar com a própria vida é inadimissível.
Querida, ficarei muitíssimo feliz por tê-la na platéia da minha peça, quando estivermos na sua cidade.

Grande Zeca: Ahhh... Você é um amigão, mesmo! Muito obrigado por sua amizade. Eu tenho muito que agradecer à nossa queriDira por nos ter apresentado.
A minha proposta aqui no Antigas Ternuras é trazer entretenimento com sustância cultural, levar às pessoas a refletires e botar um molho de humor. Neste assunto, não há nada para rir. O caso é sério. Temos todos que refletir sobre tudo isso.
Que bom que você curte meus textos, caro Zeca. Fico muito feliz.

Querida Jéssica: “Detesta” comer? Puxa... Eu AMO comer. Mas se você tem a consciência de que PRECISA comer o mínimo necessário, menos mal. 49kg em 1m60? Está magrinha, querida. Cuide-se. Com esse corpinho, até uma gripe safada pode deixá-la abatida. Sim, as agências de modelos têm MUITA culpa nessa história. As modelos são quase empurradas por elas para a anorexia. Li noutro dia que muitas modelos dizem que não engordam de ruins que são”. Parece que a Gisele Bundchen come feito uma aloprada e não engorda (por enquanto...Veremos no futuro, quando o metabolismo desacelerar com a idade...). Mas a imensa maioria delas, come uma folha de alface com cream-cracker e vai vomitar tudo no banheiro depois.
Você gosta de nhoque? Então devia assistir à minha peça!

Cara Claire: Você está certíssima. A anorexia e a bulimia agem no organismo como o álcool e a droga. A pessoa sempre acha que pode parar quando quiser, mas alguns têm predisposição genética para o alcoolismo e a dependência química. E aí não conseguem parar sem auxílio de jeito nenhum. É mal sem cura. Só se pode controlar.

Querida Belwicca: Antes de mais nada, obrigado por sua visita e por seu comentário. É um prazer para mim tê-la por aqui. Vou retribuir a visita assim que puder.
A sua “ira santa” tem todo o cabimento, mas é inútil com essas pessoas. Elas dizem que a gente “não entende” o caso delas. Entendemos, sim. Elas sentem a auto-estima lá em baixo por não terem o corpo que desejam, e que só serão felizes se emagrecerem. E fazem todos os sacrifícios para alcançarem este “objetivo”. Isso nós entendemos perfeitamente. Mas não aceitamos. Nenhuma pessoa com a cabeça no lugar aceitaria. Elas não estão no juízo perfeito. Quem não entende são elas. Não tem sentido preferir a morte a ter um corpo fora do padrão estético da moda. Padrões mudam com o tempo, já mudaram tantas vezes e continuarão a mudar. Mesmo porquê é absolutamente discutível considerar o padrão magreza como exemplo de beleza.

Querida Vera: Você está certíssima. Os pais podem e devem ser mais vigilantes. Mas as agências de modelo têm muita culpa no cartório. E sim, elas deveriam ser responsabilizadas pelo que ocorre com as modelos anoréxicas. Só que o mal já se espalhou para bem além do mundo da moda. A Carla Sobrado não era modelo.
Se você leu as minhas respostas anteriores, já viu a minha opinião sobre o assunto. Os pais têm que acompanhar mais de perto. Mas não é fácil. Essas meninas se esmeram na arte de enganá-los...
Querida, escreva o quanto quiser. Eu leio tudo e respondo com o maior prazer.

Querida Anne: Acho da maior importância o seu depoimento, como alguém que vive no mundo da moda. Sim, o corpo padece por conta de uma cabeça má.
Minha mega turnê mundial não passa por Belo Horizonte, infelizmente. Eu ADORARIA representar aí, tenho ótimos e grandes amigos por essas bandas. Mas por enquanto, não tem nada previsto para aí. Snif...
Impressionante essa letra. Não conheço a melodia, mas a letra é de fazer refletir...

Vendettinha querida: Sim, é muito triste. Mas temos que fazer algo sobre isso, não acha?
Obrigado por seu carinho!

Querida Ale: Os blogs dessas pessoas são realmente impressionantes! Eu li vários e fiquei pasmo! Todas têm consciência de que a “Ana” pode matar, mas acham que podem controlá-la e que com elas nada de mal acontecerá. Até que a casa caia...
Eu fico muito feliz por vê-la aqui. Obrigadíssimo pelo seu carinho.

Querida Eduardinha: Você nem imagina o que mais tem por lá, meu anjo... O caso é muito grave.

Querida Loba: Que prazer em tê-la aqui. Tudo o que você falou está correto. E sim, na Espanha e agora no México, há restrições proibitivas para modelos com índice de massa corporal muito abaixo do normal. É um caminho. Mas é pouco. Há que se fazer algo por quem não é modelo e entra nessa espiral viciante. Que bom que você gostou da minha proposta para discussão.

Grande DO: Não só o sonho e a ambição, mas a aspiração por um corpo que elas QUEREM ter. E que não conseguem alcançar nunca, pois sempre vão desejar menos e menos.
O mal é grave. No Brasil e no mundo. É de chorar mesmo. Se eu tivesse filhos adolescentes, estaria muito atento a isto.

Valeu, moçada! Obrigado por participarem e comentarem. Abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim.

Anônimo disse...

Querido amigo: botei um post do Fruit de la passion sobre a Ana ... Afinal, acho que o Fruit é a própria anti-anorexia ... rssssssssss Quando puder, dê uma espiada. E muito sucesso para sua peça! beijo!

Anônimo disse...

Gente, existe meninas que entram nesta loucura por terem sido abusadas sexualmente.
Temos que ter cuidado antes de julgar
Claro que uma menina que pesa 40 Kg e acha que tem que emagrecer não é normal. É doente. Assim como viciados e drogados precisa de tratamento.
Assim como não podemos julgar os maníacos, não devemos julgar os anoréxicos.
Só acho que deveria ter alguma lei que autorizasse os pais ou parentes internarem essas pessoas à força, sendo OMISSÃO de SOCORRO essas pessoas não serem tratadas por que querem.
E também deveria ter um dia de REPÚDIO TOTAL à ditadura da moda. Pois ela estimula a quem já tem a tendência a desenvolver essa doença. Se tem foto de modelo anoréxica é porque as agÊncias aceitam essas doentes.