segunda-feira, novembro 13, 2006

Carta aberta ao Tremendão Erasmo (de Rotterdam)


Caro amigo Erasmo,

Espero que você e o seu ectoplasma estejam gozando de boa saúde espiritual. Desculpe se me dirijo a sua pessoa, assim, com tanta intimidade, mas não pude refrear o desejo de trocar umas palavrinhas com você depois de ter lido um trecho de seu “Elogio à Loucura”. Vi ontem num caderno do “Estadão” (sei que você não sabe o que é Estadão, é um jornal, uma decorrência da invenção do seu quase contemporâneo – morreu um ano depois de você ter nascido - Johann Guttemberg). O trecho é este, lembra?
*
"Senhor! Dá uma mulher ao homem, porque embora seja a mulher um animal inepto e estúpido, ela saberá temperar com sua loucura e com seu humor a nossa áspera e triste vida. É pela loucura, e unicamente por ela, que a mulher é mais feliz que o homem".
*

Não sei como eram as mulheres dos séculos em que você viveu, o 15 e o 16. Quer dizer, até imagino! Mas, acredite: as deste século são bem diferentes. Talvez até as de hoje sejam iguais às de antigamente e às de sempre no que tange à sua natureza. Desde Eva ou, se você não acredita nela, desde a primeira homo sapiens fêmea, tudo o que elas principalmente
querem é serem tratadas com dignidade, com respeito. Elas querem se sentir especiais. E na verdade o são.
*
Você as acha loucas? E o que dizer dos homens? Você os considera como sãos? Olha, posso falar de algumas coisas que acontecem em minha era na certeza de que você irá entender, pois, por incrível que pareça, o século 16 tem muito a ver com o 20/21. Quer um exemplo? Muitos homens decretaram guerra no seu tempo por interesses meramente financeiros (vide a invasão dos portugueses no Japão, mandando bala, para garantir o monopólio comercial, aliás, os portugueses foram os predecessores do que hoje chamamos de “globalização”). Nesta minha época também. Uma revolução científica estava em marcha no seu tempo (Galileu, Copérnico etc) e foram os homens da Igreja que tentaram detoná-la de todas as formas. Aliás, você deve lembrar do que os cristãos da sua época estavam doidos para entrarem com tudo na Ásia, exatamente como os batistas norte-americanos de hoje querem fazer no Iraque. E acredite: são e eram homens envolvidos com isso.
*

Você chama as mulheres de “ineptas e estúpidas” e que com a sua “loucura” saberão temperar a aspereza do homem. Rá! Tenho minhas dúvidas sobre qual sexo é estúpido, pode acreditar... ou melhor: tenho a impressão de que não são as mulheres. As estatísticas de mortes por razões violentas apontam os homens como enorme maioria entre vítimas e causadores de vítimas. Era assim no seu tempo? Sei que não faziam estatísticas na sua época, mas posso apostar que as “estúpidas e ineptas” não se metiam nas confusões que os seus “ásperos de triste vida” estavam envolvidos até o pescoço.
*
Caro Erasmo, você pregava que os cristãos tinham se afastado dos ensinamentos reais de Cristo, mas ao que eu saiba, o Filho de Deus tratava muito bem a mulherada na época dele! Nos Evangelhos, não li nada parecido com os adjetivos com que você mimoseou as moças.
*
No seu livro, a Loucura é feminina. Ué! Mas por quê? Você diz que o fato das mulheres se preocuparem com maternidade, dever conjugal, embelezamentos é uma loucura... Imagine a “doideira” que seria se assim não o fosse!
*

Eu sei que você defendeu grandes coisas. O livre-arbítrio, por exemplo. Ponto pra você. Isso seria de grande ajuda para os dois sexos.
Sua postura humanista reverberaria por muitos séculos. Sua proposta de eleição para governantes (contrariando as monarquias absolutistas da época) também foi muito importante. E é aí que eu fecho contigo!
Elejo a mulher que eu amo, por votação direta, para reinar soberana no meu coração. E me ensinar, com seus sábios conselhos extremamente úteis, a me transformar em um ser melhor. É pela sabedoria que elas são mais felizes que nós. É por isso que eu as ouço sempre.
*
Você devia ter experimentado em seu tempo...
(M.S.)
*********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você está ouvindo Emílio Santiago cantando “Mulher”.

14 comentários:

Anônimo disse...

kkkkkkkkk Acho que ele não falava da loucura propriamente dita, mas daquela em que se enquadra a maioria dos seres humanos. Podemos ter doidices e insensatez de vez em quando, não?? Pra isso somos normais, com sentimentos. Só que as mulheres são poços de sentimentos. Talvez daí o excesso de loucura!! Eu diria que os homens nos levam à loucura, ou seria o contrário??
Marco, sei que gosta de música francesa. Postei uma cantando, viu?
Beijus

marconi leal disse...

Hilário e profundo, Marco. Texto raro, raríssimo, do princípio ao fim. A idéia da carta, por si só, é espetacular. E a maneira como a escreves, então... Genial. Muito bom.

Grace Olsson disse...

Te encontrei no Rubo e vim te dizer que : " o acaso pode unir pessoas mais de uma vez...".Adorei sues textos...VOltarei depois para lê-los...Dias felizes pra ti

DO disse...

Bonito isto,Marco.
Até poderia concordar totalmente com vc ,não estivéssemos vivendo tempos tão esquisitos.
Parabens!
Abração!

Samara Angel disse...

oieeee meu querido e gentil cavalheiro ,Marco vc é um sonho ou uma realidade,sabe que me senti dançando com vc,como naimagem que postei!,vc tem o dom de transmitir serenamente cada palavrinha com tanto carinho que foi maravilhoso, te adoro,desejo um lindo feriado e quanto as mulheres ,brigaduuuuu pelo elogio,vc é mesmo especial, beijos

Lili disse...

Gostei mesmo foi do seu elogio às mulheres! Já disse que você é único? Beijos, querido, e ótimo feriado!

Claire disse...

Muito 10, Marco!! Meus parabéns. Q idéia ma-ra-vi-lho-sa esta do seu post! Para mim, um dos seus melhores (sei q vc não está pedindo opinião, mas como sou metida, dou assim mesmo). Excelente!
Obs. :Espero q o discurso pró-mulheres não seja só fachada...rs

Claudinha disse...

Ei Marco!
Excelente idéia e um post muito bem bolado. Toda mulher tem um pouco de loucura que dá tempero à vida. Parabéns! Beijo.

Jéssica disse...

ké isso, mininu, endoidô, foi? falandu cus morto, sô... sartei de banda...rs...
Pra lá de excelente, cá pra nós, esse loku num tava com nd...
e concordo, as mulheres, por serem mais sensíveis, acabam se tornando mais sábias... Ah, o seria de vcs se num fosse nós, né?
Bom feriado, beijo*.*

ronie disse...

Não te chamarei mais de Marco, o Singular (by Lúcio), nem de Mr. Ternurinha (by aargh...lémon). Doravante serás Marco, o Conquistador da Tijuca (basta trocar o nome do bairro se estiver errado). O público feminino se derrete ao vê-lo em ação. Ah, bem feito Erasmo viu com quem foi se meter? rs rs rs rs

Marco Santos disse...

Querida Luminha: Eu sei que o nosso bom Erasmo não estava falando sério... Mas, de qualquer forma, acho que ele axagerou ao chamar as mulheres de "estúpidas e ineptas", não acha?
Não consegui fazer o arquivo do seu blog tocar. Pena.

Uau, grande Marconi! Estes elogios vindos da parte de um baita escritor como você me servem como grande estímulo! Obrigado!

Querida Grace: Obrigado por sua visita. E quem sou eu para discutir com o Acaso...

Grande DO: Os tempos são esquisitos... Pra lá de esquisitos!

Linda menina Samara: eu que tenho de agradecer por suas palavras carinhosas. Escrevo boas palavras para as mulheres por que elas me são mesmo especiais. Uma delas então me é muuuuito especial.

Sou nada, querida Lili... É gentileza de sua parte... De qualquer forma, obrigado, viu?

Mas cara Claire, a sua opinião conta muito pra mim! Sério! Tenho o maior respeito por sua capacidade e intelecto. Fico muito feliz por você ter gostado do meu post. Obrigado.

Minha doce Claudinha: Que bom que apreciou. A "loucura" das mulheres é infinitamente menos insana que a dos homens. Obrigado pelos elogios.

Querida Jéssica: Tive que ler duas vezes para entender. Ainda bem que você não escreve seus belíssimos textos desta forma...
O que seria de nós, homens, sem vocês? Nem quero imaginar! Você está certíssima!

Grande Ronie... Sempre tão hilariante...

Valeu, moçada! Abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim!

Evandro C. Guimarães disse...

Maravilhosa a sua carta, grande Marco. Mas deixe-me defender o "tremendão" um pouquinho: não podemos cobrar de alguém que seu pensamente esteja em desacordo com a conjuntura histórica em que viveu. O "tremendão" assim procedeu porque esta era a visão de mundo da sua época e, por mais que alguém tenha alguns pensamentos á frente de seu tempo, é impossível fugir completamente da sua conjuntura histórica.
Não concorda?

Vera Fróes disse...

Marco, gostei do puxão de orelhas no Erasmo(não pode ser confundido com o Tremendão porque essa respeita e admira as mulheres), onde já se viu chamá-las de estúpidas e ineptas. Estúpidos são os homens que fazem de tudo para ter poder e que depois para se manter no poder vende a alma ao demo.
O seu último parágrafo..."Elejo a mulher que eu amo, por votação direta, para reinar soberana no meu coração." me mostrou o homem lindo que vc é. Gosto de homens que não estão preocupados em ter um monte de conquistas e sim ser feliz com uma. Eu sou feliz porque encontrei um homem assim. Imagina se vou querer perdê-lo? De jeito nenhum!!!

Bjos procê tbm.

Saramar disse...

Marco, que saudade de você! Só estou podendo visitar os amigos nos finais de semana. Mas, assim que chego, minha primeira visita é nestas ternuras, imensas, imensas.

Como se diz, por aí, li este texto de joelhos. É magnífico!
Vou confessar que minha admiração por você cresce a cada dia, a cada texto porque sinto sua alma maravilhosa, sua mente iluminada e sua rara inteligência. Raríssima (imitando o meu querido Marconi, outro gênio)!

Essa blogosfera é realmente um berço de talentos iniguláveis e você brilha sobre todos eles, porque o talento nada significa sem esse humanismo (hummm...Erasmo, Erasmo).
De minha parte, agradeço-lhe esta defesa das mulheres. E, claro, concordo com você, em tudo.
Obrigada, meu querido, muito obrigada por nos tratar como merecemos e mais ainda, por ensinar aos outros.

Beijos