sexta-feira, abril 07, 2006

TV Tupi


Vou falar do tempo da TV a lenha. Quem tem menos de 40 anos fará: "oooohhhh!!!" e quem tem mais dirá: "aaaahhhh!!!".
Houve um tempo em que os aparelhos de televisão tinham válvulas que precisavam esquentar. A gente ligava e esperava um tempinho para a imagem aparecer aos poucos. E em preto e branco.
Existiu uma época em que a gente, para mudar de canal, tinha que girar o seletor de canais, que fazia "trec, trec, trec", quando passava pelos canais (de 2 a 13).
Naquele tempo, era comum a televisão ter problema no controle vertical e ficava baixando umas faixas de cima para baixo e nós tínhamos que controlar num botãozinho que havia embaixo do painel.
Neste passado remotíssimo, depois de uma ventania, a antena (em duas seções, que eram danadas para fazerem as linhas de nossas pipas engancharem) costumava perder a posição de sintonia. Aí o pai da gente subia no telhado e ficava mexendo nela pra lá e pra cá, e nós, da janela, informando: "Mexe mais! Tá com chuvisco! Tá quase bom! AÍ! AÍ! NÃO MEXE! NÃO MEXE!"
Pois é.
*
Neste tempo existia a famosa TV Tupi, uma emissora dos Diários Associados. No Rio, era Canal 6. Em São Paulo, Canal 4. Em Recife, Canal 6 (viu, Paulinho Patriota?).
A sede carioca ficava no bairro da Urca, no prédio onde ficava o famoso Cassino em que Carmen Miranda se apresentava. No meu tempo de moleque, lá era uma espécie de Hollywood. Todo mundo queria ir até lá, participar de algum dos programas de auditório (eu era doido para participar do "Circo do Carequinha", mas minha mãe trabalhava e não podia me levar).
*
O lado televisivo de minha infância/adolescente passa necessariamente pela Tupi. Não que eu, meus irmãos e meus amigos passássemos muito tempo diante da TV. Naquele tempo preferíamos brincar, correr, soltar pipa, rodar pião, jogar bola de gude. Tanto que não existia naquele tempo criança com problema de colesterol – e olha que comíamos doces em quantidades industriais, fora a comida gordurenta da cantina do colégio. Meninos gordos eram raros e os que existiam era por conta de herança genética. Mas eles corriam, brincavam tanto quanto a gente.
E a televisão era nossa distração, mas principalmente era nossa fonte de idéias para brincadeiras.
*

Foi na TV Tupi que eu assistia a (para mais informações ou ver imagens, clique no nome dos programas) Bonanza, Bat Masterson, James West, O Homem de Virgínia, Daniel Boone, Zorro (o Lone Ranger, aquele do "aiô Silver!") e depois chamava os meus amigos para brincar de faroeste. É curioso lembrar que uma TV que tinha um índio como símbolo, passava tantos filmes em que os peles-vermelhas "levavam ferro" a três por dois.
*

Foi no velho Canal 6 que eu via National Kid, e depois amarrava uma toalha nas costas e saía correndo pela casa, cantando aquela famosa musiquinha: "taaaaaannnnn...Tan-tan-tan-taaaaannnn..."
Também na Tupi eu assistia a "A Estrela é o Limite", com J. Silvestre e a deliciosa Neide Aparecida (fase em que começaram a aparecer espinhas na minha cara e cabelo na mão), imaginando sobre o que eu poderia responder para ir lá no programa e ganhar aquele monte de brinquedos.
*
Durante um tempo, eu morei com a minha tia, que era muito rígida com horários para "criança dormir". Eu queria assistir a "Clube dos Morcegos" (minha grande amiga Suely Franco atuava neste programa. Quem diria que futuramente trabalharíamos juntos em Teatro?), que passava muito tarde. Era uma briga danada! Quando eu conseguia convencê-la a me deixar assistir, acabava dormindo no meio do programa. Ela me acordava e me mandava para a cama, com uma bronca carinhosa (ô, saudades de minha tia!).

Mas a minha grande lembrança da TV Tupi é o programa do Capitão Aza! Ele começava falando assim: "Alô, alô Sumaré! Alô, alô Embratel! Alô,alô Intelsat 4! Alô, alô criançada do meu Brasil! Aqui fala o Capitão Aza, comandante-em-chefe das forças armadas infantis desse Brasil!". E então cantava uma musiquinha assim: "comandando uma astronave, rasgando o céu, vou pisando em estrelas, constelações..." Ah, grande Wilson Viana! Estive com ele alguns anos antes dele falecer e conversei com o meu velho herói, olhando para ele com os mesmo olhos de menino que viajava e pisava nas estrelas junto com o Capitão Aza...
*
Na Tupi eu assistia ao Repórter Esso, com Gontijo Theodoro. Outro que, mais tarde, eu conheci pessoalmente e tive a chance de falar para ele que a sua figura fazia parte de minha infância, assim como o comercial das "Gotinhas Esso" e aquele indefectível prefixo tocado por pistons (ou seriam cornetas?).

Na minha velha TV Tupi eu assistia ao Vigilante Rodoviário (já em reprise), cantando com alegria a música-tema: "De noite ou de dia/Sempre no volante/Vai pela rodovia/Bravo Vigilante"... Lembro de ter pedido a minha mãe um cachorro policial igual ao Lobo. Claro que eu não ganhei...
*
Mas eu não via só filmes de heróis. Tinha os desenhos também. Speed Racer, Cavaleiros da Arábia, Os Herculóides, Popeye, Turma do Pica-Pau, Space Ghost, Jonny Quest, Jambo e Ruivão, Zé Colméia, Dom Pixote, Super Mouse, Plic, Ploc e Chuvisco, Pepe Legal e Babalu, Corrida Maluca, Brasinhas do Espaço...

*
A minha lembrança das tardes de domingo na casa da minha tia era lanchar às 17 horas, assistindo a Disneylândia e depois emendar com Os Flintstones. Tudo isso na Tupi.
Sem contar os seriados que são minhas caríssimas antigas ternuras: Os Monstros, Besouro Verde, A Feiticeira, Jeannie é um Gênio, Viagem ao Fundo do Mar, Túnel do Tempo, Terra de Gigantes, Thunderbirds, Stingray, Jornada nas Estrelas, o meu querido Batman!
*

Se tinha novelas na Tupi? Claro que tinha! Vi Antônio Maria, com Sergio Cardoso; Nino, o italianinho, com Aracy Balabanian e Juca de Oliveira. E ainda tinha o Grande Teatro Tupi (foto, à esquerda), com Sergio Britto e Fernanda Montenegro (quem diria que um dia eu iria trabalhar com o Sergio?)

e o Teatrinho Trol (foto à direita), que, não tenho dúvidas, me ajudaram na minha formação de ator, mesmo inconscientemente.
Foram inúmeros os programas que assisti na Tupi. Flavio Cavalcanti, Clube do Guri, Abertura (com Glauber Rocha enlouquecido fazendo um programa ultra-dinâmico), Almoço com as Estrelas, do Aérton Perlingeiro.
*
Com a decadência dos Diários Associados, o império de Assis Chateaubriand ruiu como um castelo de cartas. Em 1980, a Tupi saiu do ar definitivamente. Acho que até hoje tem ex-funcionário querendo receber o que ela não pagou.
*

Em 1996, eu fiz um curso de dublagem no prédio da Tupi. Depois de tantos anos, eu conseguia entrar lá. Dava pena ver o abandono, restos de cenário por toda parte, retalhos de sonhos de tanta gente, inclusive dos meus próprios sonhos. Lembro que eu andava por lá e às vezes fechava os olhos, me encostava em uma daquelas paredes e tentava captar as vibrações de outrora. Mentalmente pedindo a H.G. Wells que me transportasse no tempo até aqueles dias gloriosos. Talvez, quem sabe, o Capitão Aza me levasse na sua nave, rumo as estrelas. As estrelas da TV Tupi...
(A minha infância pode estar desaparecendo, como a Tupi, ou morrendo, como no caso do Carequinha. Mas os momentos vividos, ah, esses vou levar comigo para sempre, até o dia em que eu for para aquela repartição pública do filme "Depois da Morte". Aí a complicação será escolher UM só momento...)
M.S.
*************************************
Este post é dedicado ao meu Quarteto Fantástico: Claudia, Claudinha, Dira e Paulinho Patriota. Sempre fantasio que, em algum lugar no passado, nós assistíamos televisão juntos e eu sempre me levantava e perguntava para eles: "Vamos brincar de quê?"
Somos cada um de um estado, mas tenho a impressão de que todo final de semana nos reunimos em um barzinho para bater papo.
M.S.

35 comentários:

Claire disse...

Meu tempo, tudo isso! todas, todas as lembranças - um ou outro programa eu não via, mas poucos ; eu recordo de ouvir sobre eles na infância. E ontem, não sei porquê, me lembrava de "Vigilante Rodoviário". Deve ter sido alguma associação de idéias q fiz quanto a seriados brasileiros, talvez; não lembro como a lembrança brotou. Mas surgiu. Curioso. E "Batman", a tv em p & b, os defeitos mais comuns... "Zorro", "Speed Racer", "Corrida Maluca"... Tudo na minha infância. Lembro q qdo o SBT começou, reprisou "Batman", q pela primeira vez pude assistir a cores...Aí soube quais eram as cores das roupas da Batgirl, do Robin (q eu achava um gatinho). Q tempo aquele.

Claudinha disse...

Vale chorar? Já me emocionei logo ao ver o indiozinho. Será que não estávamos juntos mesmo? Meu Deus que saudades! Lembro demais da propaganda da Madrigal: "Já é hora de dormir, não espere a mamãe mandar"... e eu e meu irmão íamos para a cama, sem desobedecer, a propaganda passava as 21:30h. Eu adorava Bonanza, aiô Rintin! Daniel Boone, parecia meu tio. "Nacionaro Kido", ultra seven, ultra man, bisavós dos power rangers. A TV telefunken de caixa de madeira. J. Silvestre, esta é a sua vida... Me apaixonei por speed racer, até conhecer o misterioso corredor X seu irmão, adorava Babalu e Pepelegal, Maguila e era sempre a Batatinha quando íamos brincar de Manda Chuva (por que será?). Tínhamos um circo e fazíamos apresentações para os vizinhos. Tudo teatral. Depois ganhávamos Grapette. Vilmaaa! Fred, ah que vida, Jetsons! Feiticeira, por que não posso ser como ela? Mas eu certamente seria a Serena... Agora queria citasr todos os outros gostos que também são os meus, mas o que mais me comoveu agora foi fazer parte do quarteto fantástico, e assim será para sempre! Seremos um quarteto que a tecnologia uniu e estaremos sempre unidos para salvar o planeta e para nos divertir. Até daqui há pouco, agora vou viajar um pouco nas lembranças que você atiçou. Beijos, mil beijos!

Claudinha disse...

Na verdade, que quero fazer parte do Quinteto fantástico.

Márcia(clarinha) disse...

aaaahhhh!!![sou desse tempo]
Uau! que delicia de lembranças fui relembrando uma a uma sentindo saudades,lembro de cada programa de TV P&B [depois colocavam papel colorido na tela,lembra?]dos desenhos animados,dos filmes...enfim,tudo que você falou.
Maravilhoso seu texto, vivemos na mesmo época,aprendemos a gostar das mesmas coisas e sentimos falta da criança que fomos e que hoje não encontramos mais.
Adorei recordar minha infância e juventude.
Obrigada
lindo dia,
beijosssssssssssss
*Me diz a hora da apresentação na semana santa,tá?

Fernanda disse...

Nossa, adorei o post!! Tudo isso que vc falou, a minha mãe me conta até hoje. Devia ser um tempo muito gostoso e muito mais simples do que esse que vivemos hoje! Um tempo mais saudável para as crianças...

Kisses

Dira disse...

Marco, eu n sei o que mais me emocionou hje no seu post. Eu nem devia estar aqui que estou com um monte de texto pra revisar e entregar na segunda. Mas quem disse que eu posso passar um dia sem tomar uma dose de vc? Agora, meu querido, a dose hje foi caprichadíssima. Me deu vontade de levantar do pc, e ir ligar para vc so pra te dizer um monte de coisa, mas mas... vamos ao post.
Quanto estive aí, a Eva me levou na Urca e foi me falando da TV Tupi. Eu tenho 40 anos, quando ganhei a nossa primeira TV foi em 75. Então n lembro do Vigilante, e de muita coisa que vc falou. Mas Terra dos Gigantes, Túnel do Tempo, Daniel Boone (ai ai, eu amaaaava), Perdido nas estrelas (oh! céus, oh! vida). Só foi um ano de deslumbre, depois cai nas malhas das pastorais e entrei no mundo político aos 11 anos. Quase n tive tempo de ser criança. Aliás, n tive mesmo, já que tive que optar pelos livros se quisesse estar dentro dos movimentos políticos. E naquela época, a TV era a bruxa dos "politizados". Mas eu amava a Feiticeira, eu amava a Jeannie. Aquele comandante Nelson era um saco, chauvinista, machista, mas eu bem que queria ser a genia dele...rs Bons tempos. Ouvir a Samanta gritar: mamãaaaaaaeeee era o máximo. Dos programas de auditorio n peguei nenhum. n lembro. se eram de noite, nunca nos deixaram ver tv de noite, as crianças dormiam de 19 horas, sem choro e nem resmugos. Ai, Marco, mas fazer parte de um Quarteto Fantástico? Foi demais, e depois de encher-me os olhos de lágrimas eu pergunto: vamos brincar de que, agora? Meu carinho, meu abraço, e minha amizade. Amo vc.

Dira disse...

consertando ai: resmungos e às 19 horas.

Theo G. Alves disse...

marco,
nao cheguei a ver a tupi. mas na minha casa tb tinha tv preto e branco com seletor.
lembro q so vim descobrir q o seletor servia p mudar de canal aos 7 anos, pq minha mae nao me deixava mexer e a gente so assistia a um canal... nunca mudava.
a primeira vez em que girei o danado, escondido, e vi aparecer a imagem depois do nervosismo de uma sequencia de chiados e canais fora do ar, foi um achado. eu tinha descoberto a américa antes de colombo.
um grande abraço!!

Marco Santos disse...

Ah, doce Claire! Voc~e nem imagina com que delícia escrevi/descrevi tudo isso no post. Tinha momento em que eu parava de escrever para não chorar. Que bom ter tanta gente viajando comigo nesta capsula do tempo. Que ótimo fazer você lembrar com carinho de suas antigas ternuras. Um beijo!

Minha mui querida Claudinha: Foi Deus, por intermédio da tecnologia quem uniu o Quinteto Fantástico. Como foi ele também que me levou e trouxe para perto dos meus olhos os demais frequentadores deste blog, como a Marcia, o Théo, a Claire, a Fernanda, o Bruno e tantos outros. Se o meu texto fez abrir a sua canastrinha de saudades, já me sinto gratificado. Sim, estaremos sempre juntos, embora distantes no espaço. (embora acredite piamente que um dia nós todos tomaremos um Grapette juntos, repartindo um saco de balas Juquinha). Um beijo carinhoso.

Querida Marcia: Faltou eu dizer no meu post que a minha tia botou plástico colorido na tela da TV para dar a falsa impressão de estarmos vendo TV em cores. Rá! Rá! Rá!
Que bom tê-la aqui sempre encontrando um antigo bibelô perdido em minha cristaleira de emoções. Ainda diremos juntos muitos "aaahhhs". Um beijo!

Querida Fernandinha: Eu e sua mãe devemos ser da mesma geração. Então peça para ela visitar o Antigas Ternuras de vez em quando. Tenho certeza de que ela se lembrará de muita coisa que eu trago aqui também para os seus olhos. Beijão!

Diramiga eterna, fraterna, para todo sempre, amém!
Desde que eu comecei a te ler senti que tínhamos muitas identificações. as mesmas que senti lendo o Paulinho Patriota, a Claudinha, a Claudia do Oxigênio...
O que escrevi aí em cima para a outra componente do meu Quarteto Fantástico vale pra você. Eu me emociono só de pensar que emociono você. Pela tela do monitor minhas/suas palavras nos acarinham, nos confortam, nos ensinam. Eu sempre serei muitíssimo grato à Internet por me trazer a minha namorada e por me trazer amigos como você.
Vamos brincar de quê? Ora vamos brincar de sermos felizes por sermos amigos e nos querermos tanto bem. Beijo, beijo, beijo!

Grande Théo! No meu tempo, eu também não tinha permissão para mexer no seletor de canais. tinha que pedir à minha mãe ou aos meus tios. Quando finalmente consegui a alforria, de pode ligar a TV sozinho, trocar de canais quando eu bem quisesse, aahhh, acho que foi a primeira vez em que me senti "adulto" (embora ainda fosse um pirralho...)
Um grande abraço para ti!

Yumi Yabiku disse...

auhauhahuahu droga, eu até queria comentar alguma coisa.... ¬¬ mas vai ser impossivel! ahuauhahua um bjooo

Rubo Jünger Medina disse...

Marco, super legal esta informação sobre a TV à lenha (...rs). Essa manobra toda pra regular a imagem. Controle remoto, nem sonhar. Hoje, quanta mudança! Imagina o pai da gente em cima do telhado gritando: "Tá bom, vou virar mais, assim?..." E a mãe: "Não! Não!Tava bom! Você mexeu e piorou!"...rs. Devia ser engraçado. Outra: e se estivesse chovendo? Adeus TV. Será que eram bons tempos? Só o tempo dirá ou poderia ter dito.
Obrigado pelas visitas e pelo link. Vou lincar você agora mesmo. E só vou ali pegar um "rango" pra colocar post novo. Não perca! É uma história de antigamente também. Coisa contada por pais. Abraços.

celina disse...

e eu que imaginava ser você um menininho... céus! nem o teatrinho trol escapou! beijo e carinho.

Marco Santos disse...

Yumi, você é uma figuraça! É por isso que adoro os seus escritos...Beijo!

Grande Rubo! olha, todos nós somos frutos de nosso tempo. E isso vale para os bons e para os maus momentos. Eu costumo ter nostalgia por um tempo em que não vivi, como os anos 30, 40, 50...em que imagino as tão boas coisas que rolavam na época. mas, pelos meus escritos, você vê que os anos de minha infância tiveram também momentos inesquecíveis e que faz com que os que nem eram nascidos na época se deliciarem com eles. É ou não é?
Pelo menos duas vezes por semana eu faço uma ronda por todos os blogs cujolink está no "Outras Palavras". como você entrou lá, estarei sempre te lendo. Um abração!

Mas eu sou um menininho, querida Celina! Um menininho que viveu muitos anos, mas sempre serei um guri. Especialmente aqui no Antigas Ternuras...Um beijãozão!

Evandro C. Guimarães disse...

Que texto sublime, Marco! Senti falta até das coisas que não conheci. hehehe! Obviamente muitas eu cheguei a conhecer. De vez em quando precisamos mesmo dar uma mergulhada de cabeça nestas antigas ternuras.
Por isso que este seu espaço é precioso!
Um grande abraço!

Paulinho Patriota disse...

Mano Marco:

Estou aqui com os olhos rasos d'água (o logotipo!) e envolto em sonho nostálgico.

Subverto a convenção das horas de André Malraux para dizer que o tempo da TV Tupi marcará o eterno dentro da gente.

São posts de excelência assim que preenchem o meu espaço vazio da saudade. Inesquecível,tanto quanto a televisão criada pelo paraibano (alô,Diramiga!)Assis Chateaubriand que,"louco" - a expressão é de Lima Duarte - queria a transmissão em cores no já distante 1950...

Querido amigo,muito obrigado pela tua imelhorável amabilidade ao me colocar no quarteto de fidelíssima afeição recíproca,permuta da reverência.

Esta atualização é para ser relida toda vez que o nosso memorial espicaçar o momento anterior,porquanto sabe a infinitude.

Igualmente a ti,nós sempre brincávas de "artista" depois de vermos os faroestes. Semelhante a ti,assisti a novela "Antônio Maria" (terá sido antes de "Victoria Bonelli"? Foi realizada em 1971?),que aqui era patrocinada pela margarina Bem-te-vi: ah,o "gingle" ecoante. Quanto ao bonequinhos da Esso,eu os tive,pois papai era revendedor desta companhia,e nós o ganhamos no Natal.

Ao acabar a leitura,noto que prestaste tributo ao abismo dos dias. Caminhei no passado,no qual ergui uma história que acabou,igual a um edifício assediado pelo destino: memória amarelecida mostrando o que foi e não é mais. Construção sedimentada tão-somente na sapata do pensamento.

Tenha um sábado bem cordial.

********

PS: meu caro,passei dois dias fora da grande rede,os relâmpagos aqui,repito,estão terríficos,a ponto de estarmos pensando num pára-raios à nossa casa... Por isso,perdoe-me só vir de comentar hoje,quando a borrasca deu uma trégua.

Paulinho Patriota disse...

Leia-se "nós sempre brincávamos de 'artista'".

******

Se não compro os livros de Sidney Sheldon,os seriados ("Jennie é um gênio","A feiticeira",com aqueles efeitos especiais quase espantosos para a época),criados por ele são uma constante na minha afetiva reminiscência de pré-adolescente.

Tchau.

Sonia Vollmer disse...

Marco,

Realmente é uma gostosura ler os textos que você escreve. Não dá vontade da gente parar. Foi o que aconteceu comigo!

A gente vai relembrando tudo o que se viveu e é uma delícia poder viajar no tempo, neste tempo que, nos anos está longe, mas, emocionalmente, foi ontem!

E isto a gente deve a você, que nos faz entrar no túnel, sentado em frente à telinha.

Obrigada pela viagem e um beijo da Sonia

Alvanir Lima disse...

Puxa, quanta lembrança boa de uma época distante mas sempre presente na memória "dos que tiveram infância". Por sua causa perdi a sessão de cinema hoje porém, nem sei se valeria tanto quanto eu ganhei relendo suas "memórias" que também são minhas... Só por ser um pouco (só um pouco) mais velho do que vc e, também saudosista, preferi ficar aqui lendo suas aventuras. A TV Tupi realmente era um marco (sem inicial maiúscula "M" senão vira referência ao amigo em questão). Foi com uma profunda tristeza que me lembro, até hoje, do último dia de transmissão: os atores todos (ou grande parte deles) reunidos no auditório ainda na tentativa de evitar o óbvio e salvar seus empregos... agonizava a TV e nossos sonhos. Avise à sua amiga Claire que até o Batman achava o Robin um gatinho... mas isso é outra estória. Sei que não posso me estender muito e, só por isso tenho um último "complaint" a fazer: eu me senti diminuído em nossa grande amizade quando vc confessou que não tem muita simpatia por argentinos e vascaínos. Que vc tenha ódio dos argentinos eu até posso entender, mas o amigo aqui é vascaíno e ficou sentido. Um abraço vascaíno em vc apesar de ser framenguista...

claudia disse...

primeiro comentário:


Ohhhhhhhh



( rsrsrs...só pra contar que tenho menos de 40)
hehehe


peraí que volto...
( vc. escreve e eu preciso ir comentando de pedacinho....
sabe que sou desligada...rs)

claudia disse...

Hehehe

eu lembro da antena...e meu pai, infelismente não subia no telhado, aliás até cortava a fita( sabe aquela preta?...para a gente não assistir, isso me irava. eu devia ter uns oito anos), mas me lembro sim do Batman, igualzinho o da foto.
Viajei...
Sabe, aquela escada, aquela da minha casa...onde meus sonhos foram se construindo...pois bem meu amigo.
Tinha na época do carnaval, vai se lembrar, com certeza, as marchinas que tocavam, só tocavam até uma determinada hora, no período da manhã, e eu dançava muito na minha sala, vai ver você era meu pierrot da infância...
Almoço com as estrelas era o programa da minha mãe...Lolita Rodrigues, ela amava.
E eu Regina Duarte...em Selva de Pedra, aquele acidente com o fusquinha, até hoje em minha memória...vai ver vc. foi meu anjo e segurou a minha mão para não ter tanto medo. ( hehehe)
Os desenhos...Zé Colméia me lembro bem, e a corrida Maluca, os outros eram masculinos...e nessa época ganhei meu primeiro livro, por ser a melhor da classe ( O Gato de Botas...que tenho até hoje...)

Sabe a net tem me dado amigos...que eu já não tinha mais...
obrigada mesmo, por vc. ser tão gente boa...e aparecer assim, nas nossas vidas,
quem sabe a gente um dia, eu vc...a Cláudinha, a Dira ( ela é um sonho, não?) quem sabe a gente não se encontra para um café?
E ouve assim ao vivo...você nos contando e mais tarde termos para contar, como se vive...as antigas ternuras?
Provavelmente minha filha...irá adorar, me ouvir contar de você.

Obrigada Marco.

Eu sempre soube que tinha muita, muita sorte, e te-lo como amigo...prova para mim que eu estava, absolutamente certa...

claudia disse...

esqueci do paulinho...

que feio, ( sempre voando...e por conta, montando em porco ( a gente fala assim a qui no interior quando dá um fora...)

rsrsrs...mas é que estava em tempos de menina...e na minha época, só entrava Luluzinha...então abrindo as portas...
Marco e Paulinho estão convidados


beijo

Marco Santos disse...

Grande Evandro: Que bom saber que você gostou e que eu te levei para algum lugar do seu passado. Esse espaço aqui é para isso mesmo. um abração!

Mano Paulinho: Todos os que me dão o indescritível prazer e honra de me ler são preciosos. Vocês quatro despertam em mim um sentido de amizade que não tem explicação. A gente não se conhece, mas se conhece.
Foi você que abordou a TV Tupi aqui, o que meu a ignição necessária para eu girar a chave do passado gostoso que me rodeia, que está tatuado em mim. Um abraço de mano parceiro.

Querida Sonia: Quando vejo seus recados aqui me dá um prazer tão grande! Que ótimo saber que você viaja nessas minhas viagens. Você está rigorosamente certa. Este tempo de que falo é distante, se levarmos em conta os anos que os separam de nós. Mas dentro de cada um, parace que foi ontem! Quando eu estava escrevendo o post da Tupi, tinha a nítida impressão de que se ligasse a TV ia aparecer o Capitão Aza. Um beijo carinhoso.

Ora, que surpresa boa, Vanir! Fiz você perder a hora da sessão de cinema? Mas você acabou vendo um outro filme, que passou dentro da sua mente, com você no papel principal. O filme das nossas lembranças sempre pega cinco estrelas da crítica, com bonequinho aplaudindo de pé.
Não leve a sério a minha brincadeira com argentinos e vascaínos. É só para pegar no pé de vocês. Não fique sentido. Tenho grandes e muito queridos amigos torcedores do vasco, do botafogo, do fluminense. Como disse o botafoguense Vinícius de Moraes, eu não sou nada sem os meus amigos. Independente de opção futebolística. Até de argentinos eu ando gostando! Um dos melhores filmes do ano para mim até agora foi "Clube da Lua", filme argentino!
Mudando de assunto: RÁ! RÁ! RÁ! RÁ!... Não parei de rir com a história do Batman achar o robin um gatinho...Mas, pô, sacanagem com o Batman...RÁ! RÁ! RÁ! RÁ!...
Muito bom! Escreva o quanto quiser. Você é parceiro, aqui não censuramos nada. Eu comento TODOS os comentários feitos e com muito prazer! Um forte abraço!

Doce Claudinha (a paulista): Embora você não tenha pego os anos dourados da TV Tupi, você ainda alcançou boa parte das coisas que eu citei por aqui. A novela Selva de Pedra era da Globo, e se eu for fazer um post desses para o que eu vi na emissora do Plim-Plim, nossa!, vão ser umas dez laudas!
Eu iria adorar encontrar vocês para bater papo. E estou certo de que não serei o único a contar histórias... Eu ficaria muito feliz em contar uns causos para a sua filhinha. Gosto de conversar com crianças. Eu conto histórias para os meus sobrinhos e eles ficam prestando uma baita atenção! Acho que é por isso que sou o tio favorito deles. Tento ser para eles o que o meu tio Jair foi para mim.
Cada um de nós tem as suas antigas ternuras, independente da geração a que pertenceu. Embora eu seja um pouco mais velho que você, somos da mesma geração, já que não tenho idade para se seu pai. A sua filha terá a suas antigas ternuras para contar um dia. E você fará parte delas, com certeza. Um beijo carinhoso.

Paulinho Patriota disse...

Mano Marco:

Mil perdões pelo atrevimento,mas não resisto e deixo meu pitaco aqui.

Você perguntou a Desirée como se estabelece o link para colocar o vídeo nos blogs?

Deve-se entrar naquele site (o link está na p´ropria telinha). Feito isso,você cola um código em seu "template"... Pronto. Totalmente no "gratuites".

A propósito,alguém viu o Jesus Cristo gay cantando "I will survive"? Deus me perdôe pelo sacrilégio,mas é de morrer de rir!

Abraço desculposos pelo enxerimento.

Giulia disse...

E eu disse ahhhhhhhhhh!!! e por instantes revivi, frente aos olhos, as minhas antigas ternuras! Obrigada, Marco, pela oportunidade de reviver momentos tão mágicos da minha infância: em casa de minha avó, essa maravilhosa máquina - a TV - estampava para olhinhos curiosos a figura do índio da Tupi, transportando-nos para universos outros, da fantasia, dos desenhos, dos super heróis que alimentaram a imaginação. Bons tempos de alegria, liberdade, saúde e paz. Feliz domingo e ótima semana vindoura. Beijos interioranos de SP

Marco Santos disse...

Mano Paulinho: Eu é que agradeço pelo seu obséquio em me dar essa informação. Como é sabido, eu sou uma anta em informática. Valeu!

Cara Giulia: Hum, quer dizer que temos mais uma saudosista no pedaço, não é? A minha modesta intenção é essa, cara amiga. se eu atingi o meu objetivo, fico feliz. Um beijo.

Mutatis Mutante disse...

Cara... manja aquele verso do Renato Russo - aquela saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi. Foi o que eu senti agora ao ler teu post. Nostalgia de uma época que eu nunca vivi.

Um abraço!

Marco Santos disse...

Grande Bruno: esta frase é exatamente o que eu digo quando ouço histórias de pessoas que viveram nos anos 30, 40, 50...E certamente, daqui a 30 anos, você a ouvirá de quem te escutar falando dos dias de hoje.
Um abração!

Madame disse...

Xiii! Marcos, será que se a gente contar pro Paulinho que a Jeanie e a Feiticeira é de autoria do Sidney Sheldon, ele vai ficar bravo? rsrsrsrs... Estou brincando... Meu amigo, apesar de estar bem "louca" com o pouco tempo que tenho tido não resisto em te ler, eu não estou na casa dos "enta" mas me lembro de muita coisa que vc conta, aliás minha TV teve botões mecânicos por muito tempo e era Pb, você esqueceu de contar, TV colorida só com papel celofane...rsrsrs...Xiii!!! A gente desenterra cada coisa por aqui... muitos beijos de mim

Marco Santos disse...

Querida Giovanna: O Paulinho sabe que o Sheldon é o criador da Jeannie. Ele gosta dos dois! Adoro quando você vem aqui. Mas eu preferia que você me chamasse de "Marco". Sem "S".
Teve alguém que me lembrou que se colocava celofane colorido na tela. E eu lembrei que a minha tia fazia isso.
Quem gosta de um varandão da saudade, sabe que aqui é o caminho.
Pode me chamar de "Marco". Sem "S".

Sidney disse...

Fazer chorar é pouco, o coração ficar acelerado, a niveis de uma taquicardia de emoções de nossas infancias, hoje eu tenho 41 anos, mas parece que foi ontem que a gente lá em casa assistia numa tv telefunkem, com aquele seletor, duro e fora as brigas que dava na sala quem ia sentar enfrente a tv, eu preferia deitar-me no tapete com um pequena almofada pra assistir spracer, batman, e é claro quando os meus pais deixavam assistir Eramos Seis, que saudades, o mais gozado de tudo isso, é que estou trabalho com Auxiliar de Enfermagem, e estou cuidando de uma atriz da tupi em uma casa de repouso, mas não me lembro dela pois ela já tem seus 72 anos e está bastante delibitada, e estava pesquisando pelo nome dela aí me deparei com esse site que fez chorar e fazer o coração saltitar, mas gostaria muito se alguem tem informações sobre esta atriz que dizem lá da casa de repouso que ela e seu marido eram atores da antiga Tupi, o nome artistico eu não sei, só sei que ela se chama NORMA LOPES DE CARLI, se alguem conhece poderia fornece pra mim, ficarei mui grato, pois ela não se lembra ou não quer lembrar, me ajudem pois gostaria muito de relembrar a ela e quem sabe fazer com ela melhore seu atral. Há outra informação ele tem um filho chamado de Irineu, e tem jr, no final, quem sabe isso pode ajudar. abraços e OBRIGADÃO PELAS LEMBRANÇAS

Rinaldo disse...

Caros Amigos. De quê adianta ficar chorando o leite derramado. Os próprios donos da Tupi, no caso, os Diários Associados, não a queriam mais. Dava um enorme prejuízo e seu caixa não supria os custos de produção. Sei que , minha infancia foi passada de frente para a Televisão e intonizada na TV Tupi . Sempre torci para que a emissora suprisse seu problema financeiro mas, gente, peguem os jornais da época. Havia funcionários que estavam passando fome, isto mesmo ! Um verdadeiro absurdo que os Condominos Associados faziam seus funcionários passarem. Além de não pagarem a seus funcionários, deixavam de pagar a seus fornecedores e por aí vai. Que empresa se sustenta assim ? nenhuma. A Tv Tupi foi sim, retirada por um decreto do então presidente João Figueiredo mas, não havia outra escolha. È certo que, o problema que anos antes ocorreu em Brasília a respeito da implantação da TV Globo com o apoio do grupo Norte Americano Time Life, contribuiu para isso pois, o maior interesse ao longo da década de 70 do Grupo Globo foi em dizimar a Rede Tupi, garantindo a hegemonia que impera até hoje. Foi na verdade um complô externo e interno para quebrar a empresa. vale lembrar que, o IBOPE dizem , recebeu uma ajuda financeira do grupo Globo em um determinado período portanto até nessa , os Associados perderam a vez. Quando resolveram se desfazer da Rede Tupi, transferindo seus ativos para o Grupo Abril, já era tarde. A Negociação demorou e antes de ser concluída a Tupi foi decretada falida. Uma pena. melhor para o Sr. Sívio Santos que, ganhou de presente o canal 4 paulista !

tradutor de inglês técnico disse...

Pois é, Marco, gostei muito de suas lembranças. Em 1974 só tinha 6 anos mas me lembro muito bem de minha infancia assistindo a sessão patota com a Giovana que apresentava este programa a tardezinha, speed racer, e os heróis marvel. Quem se lembra? segunda passava o Capitão América, terça-feira, o Poderoso Thor, quarta, Namor, o pricipe submarino, Quinta Homem de Ferro e na sexta-feira, o incrivel Hulk, antes na sexta era o Homem aranha. Havia tambem o Gordo e o magro, os três patetas, elo perdido, perdidos no espaço, sem falar da Jornada nas estrelas e a viagem ao fundo mar, morria de medo daqueles monstros, segunda, quarta e sexta passava a viagem ao fundo mar e terça e quinta jornada nas estrelas. Nesta epoca assistia TV o dia inteiro. Minha tv era antiga, era uma Colorado RQ caixa parecendo um grande caixote com o seletor de canais na lateral direita da TV havia tambem um garnde vidro que servia de mascara para o tubo de imagem, este tubo de imagem era quase redondo. Bons tempos aqueles! Globo cor especial na Globo, vila sésamo e todos os personagens de Hanna e Barbera sem falar é claro do Pica-Pau que passava na TUPI o mesmo que passa hoje na Record. Obrigado Marco pela recordação, assisti a Tv Tupi durante apenas 6 anos mas foram anos inesqueciveis de minha infancia. Portanto, gostaria de compartilhar aqui com vcs estes momentos. Um abraço! Celino Menezes - Tradutor de inglês Técnico

Eduardo disse...

Olá amigos eu tenho 52 anos e com alegria que escrevo aqui, nasci na gerção da TV Tupi e suas concorrentes, morei no Sumaré em SP, assistia o clube do Papai Noel com Homero Silva (Quem se Lembra), assistia Patrulheiros Toddy, Jet Jackson Comandante Meteoro, e então depois do Bonequinho Pernanbucanas ia dormir o tempo bom......saudades e como eh bom relembrar tudo isso que quiser trocar ideias escreva=me evbnunes@uol.com.br, felicidades a todossssssssssss e Parabens pelo site.
Eduardo

Valdinho disse...

Gente,eu aprendi a andar,querendo pegar as imagens em TV ZENITH de 17" isto em 1952!!Comprado na loja Rei da Voz no RJ.Eu sou da geração da TV!!Que saudades,Aventuras Submarinas,Shanon,Charlie Chan,A,E,I,O URCA!,Fui apaixonado pela Norma Blum,eterna Princeza do Teatrinho Trol,tinha ciumes do Roberto de Cleto,Expedições CRUSH,Telecathc Montila com Roquinha,Valdemar Sujeira,apresentado por Raul Longras,Clube do Guri,Combat,5ª Dimensão,Alem da Imaginação,O fugitivo,Os Invasores,Papai Sabe Tudo,Impacto,Guilherme Tell,Espetaculos Tonelux(Hummm,Neide Aparecida!)Circo do Carequinha(no canal 6)e do Arerlia(canal 13)O Menino do Circo,Casey Jones,chegaaaa,CHOREIIII !!!!

Pr. Marivaldo Silvério disse...

Postagem Nota 10!
Que lembranças maravilhosas me trouxe... Obrigado!