quarta-feira, abril 05, 2006

Carequinha (1915-2006)


No final dos anos 80 eu trabalhava na assessoria de imprensa, fazendo o jornal interno. Me deram uma pauta sobre criança e eu perguntei se poderia entrevistar o palhaço Carequinha. Disseram que podia e eu fui até a sua casa.
Eu estava lá, diante de meu ídolo de infância, tendo que ter atitude profissional. Respirei fundo e comecei a entrevista (tenho a fita até hoje em algum lugar lá de casa) como um jornalista sério. No meio do nosso papo, o fã baixou em mim como se eu fosse um pai de santo! Não era mais o jornalista Marco Santos que perguntava. Era o menino Marco, o Marquinho, filho do seu Ferreira, que vivia dando cambalhota no tapete da sala, igual ele via o Carequinha fazer na TV.
Terminei a entrevista, dizendo: "E você, Carequinha, é e vai ser sempre o ídolo de todo mundo que é um bom menino. Tá certo ou não tá?" Ele riu (Meu Deus! Eu fiz o meu ídolo rir!). E ainda ganhei um cartão dele com autógrafo e dedicatória: "Ao Marco, que é amigo do Carequinha". Acho que vou emoldurar esse cartão...
Descanse em paz, querido palhaço! Nós, os bons meninos, não faremos mais pipi na cama, respeitaremos os mais velhos, exatamente como você nos ensinou. Agora vá, e ensine aos anjinhos como dar aquela cambalhota sem deixar cair o chapéu. "Tá certo ou não tá?"
M.S.

13 comentários:

Belisa disse...

Bela homenagem!

Dira disse...

Hummmm. Deu vontade de chorar. Muito especial sua homenagem.

Claudinha disse...

Muito bela e merecida esta homenagem Marco. Eu não tive a oportunidade de conhecê-lo, mas lembro dos autofalantes chamando para a catequese a criançada, e só se ouvia: "O bom menino não faz pipi na cama... ou então roc roc roc roc roc, é o rato e a ratinha se casando..." Me deu agora uma saudade... Que bom que você teve esta chance, poderá guardar para sempre este momento só seu e de seu ídolo. É de momentos assim que se faz um sorriso verdadeiro e eterno... Beijão!

Claudinha disse...

Nossa! MInha foto está enorme, vou correndo alterar este perfil! Creeedooo!

Marco Santos disse...

Cara Belisa: Eu acho que ele iria gostar. O que me deixaria muito feliz.

Dira querida: Hoje eu trabalhei o dia todo pensando no encontro que eu tive com ele, nos programas que eu via, nas musiquinhas que ele gravou... Me bateu uma saudade...

Querida Claudinha: Pois é. No texto de aniversário do Antigas Ternuras eu lembrei a música de aniversário que ele gravou e que era muito cantada nas festinhas de minha meninice. Além do "Bom menino" e do "Roc, roc, roc" tem outra música de minha infância gravada por ele, que até a gente cantou na peça "Na Era do Rádio": "Ela é fã da Emilinha, não sai do César de Alencar, grita o nome do Cauby, e depois vai desmaiar. Pega a Revista do Rádio e começa a se abanar!" Ele me contou tanta história, falou horrores da Xuxa e da Marlene Mattos, mas deixa isso pra lá... Lembro que ele me disse que deu a volta pelo Brasil não sei quantas vezes e que já estava se apresentando para bisnetos de pessoas que o assistiram na infância. Espero que Deus cuide dele.
Seu cabelo está diferente da outra foto. Tem muito tempo entre as duas?

re_bonora disse...

Oi Marco,
Faz algum tempo que leio seus textos, sou amiga da Bela Mente Inquieta de Isabela.
Adorei sua homenagem ao nosso Carequinha. Lembro de seu programa na extinta Manchete e ter ido a uma apresentação deste maravilhoso Palhaço no Clube Militar do Jardim Botanico lá pelos idos de 1980. Foi incrível! Ele me fascinava, assim como toda criança que soube ser criança, não é verdade? Bons tempos...agradeço por tê-los vivido. Um abraço,
Renata

Paulinho Patriota disse...

Mano Marco:

Emoldure o cartão,meu bom,assim ficarás impregnado de eternal afeto.

"Carequinha" flutua agora no espaço,montado no corcel do tempo e ladeado por querubins burlescos,que agora é que farão o encantado palhaço ressuscitar de tanto rir!

Um preito emotivo também pelo que revelaste sobre o teu pai naquelas horas puerícias.

Abraço.

claudia disse...

sabe Marco,
eu diria sem medo a coisa mais óbvia da vida:
__Que ela é assim mesmo.
Ela seguiu seu curso.
E mais uma estrela brilha no céu.
Um beijo carinhoso.

oxigenio

Marco Santos disse...

Nossa! Puxa! Ganhei o dia, Re Bonora (que descubro se chamar Renata). Não sabia que você lia os meus textos. Claro que eu te conheço do blog da Isa, a Bela (que é madrinha do meu blog).
Mas o Carequinha era mesmo incrivelmente carismático. Desde que eu era muito pequeno, já estava fascinado por ele e seu circo eletrônico. Fiquei triste com a sua morte, mas conformado em saber que ele não sofreu. Um beijo grande!

Mano Paulinho: Quando eu penso que toda essa súcia que faz tanta lambança no Poder já foi criança e assistia ao Carequinha, lamento por eles esquecerem os valores que o doce palhaço ensinava. Na política, os bons meninos são raros. Por isso, o nosso Carequinha vai ser sempre lembrado. E quanto a eles...
Bem, um forte abraço.

Márcia(clarinha) disse...

Sim meu querido, está certo!!
Lembranças boas cheias de sentimentos,fiz parte da geração que gostava do Carequinha e obedecia seus mandamentos,partiu dormindo e tenho certeza está em paz.
lindo dia,
beijossssssssssss

Marco Santos disse...

Tenho certeza disso, querida Marcia. Um beijo.

celina disse...

mais uma luz que foi brilhar noutras esferas.
e mais uma vez sorriem meus (nossos) olhos molhados.
claro que você vai emoldurar o cartão!

Marco Santos disse...

Claro que vou, querida Celina, claro que vou... Um beijo!