quarta-feira, setembro 17, 2008

Minha vida de aventuras


Um dos três livros que estou lendo no momento é o “A misteriosa chama da rainha Loana”, de Umberto Eco, aliás, uma de minhas referências como autor. Assim como ele, gosto de colocar bastante informação em meus escritos. Eco ainda gosta de salpicar de humor aqui e ali. Eu já prefiro porções mais largas...
Mas neste livro, ele conta a luta de um homem que teve um AVC e perdeu a memória. Gradativamente, teve que reaprender sobre as pessoas à sua volta, incluindo a mulher, filhas, netos, amigos... Para aprofundar este reaprendizado, ele voltou à casa dos avós para ter contato com suas lembranças. Lá, ele encontra velhos livros, jornais e revistas que leu na infância.
Foi aí que a fina tela que me separa das minhas lembranças mais uma vez se rompeu.
O livro mostra várias capas de revistas que o Eco citava. Ah... As minhas aventuras com livros e revistas nas mãos...
*

Quando eu era garoto, gostava de brincar na rua, correr, soltar pipa, jogar futebol, bola de gude etc. Mas nos dias de chuva ou mesmo naquelas tardes modorrentas em que nada acontecia, eu era picado pelo bicho da leitura e saía pela casa catando o que pudesse para ler. Tanto na minha casa, quanto na casa de meus tios paternos, no bairro da Piedade, onde morei por um ano e passava sempre as minhas férias. Lá era até melhor, visto que meu tio Jair me incentivava a ler tudo que me caísse nas mãos. Gibis, inclusive.
*

E dali, de um subúrbio carioca ou na minha casa, eu viajava para a Floresta Negra, na fictícia Bangala, junto com o Fantasma, enfrentando os malfeitores com nossos anéis da caveira (eu também tinha um!). Ou então, ia até a lendária Terra de Mu, acompanhando o Brucutu; ou ainda viajava ao tempo das Cruzadas para lutar ao lado do Príncipe Valente. Porém, num piscar de olhos, eu já tinha virado assistente do detetive Nick Holmes, viajando até a misteriosa Hong Kong, para enfrentarmos juntos cruéis assassinos.
*

Eu acompanhava todos estes heróis pela página de quadrinhos de O Globo (que na época tinha uma página inteira de quadrinhos e não essa pobreza que é hoje com apenas meia dúzia de tirinhas...) ou mesmo pelas revistas da Rio Gráfica, que publicava estes e outros heróis. Mas lia (e como!) os heróis da Editora EBAL também: meu favorito

Batman, Superman, Superboy, Flash, Lanterna Verde, Roy Rogers... gritava “krig-ha bandolo” junto com Tarzan, “aiô Silver!” junto com Zorro e Tonto, lançava escudo com o Capitão América, enfrentava os perigos dos mares com Namor, desafiava o gênio do Mal com o martelo de Thor, ia a todos os cantos do planeta e a todas as épocas.
*

Na Idade Média, eu era o Falcão Negro. Aliás, eu adorava este personagem! Lia o seu gibi e depois assistia na TV Tupi o seriado brasileiro, com Gilberto Martinho de capa e espada na mão. Uma vez, se não me engano a Aveia Quacker lançou uma promoção: bastava juntar sei lá quantas caixas e trocar por um bottom e uma carteirinha do Clube do Falcão Negro. Torrei a paciência do meu tio até ele comprar caixas e mais caixas de aveia e pedir pelo correio os cobiçados prêmios. E lá ia eu de toalha amarrada no pescoço, espada de compensado fininho, máscara providenciada com um retalho de pano por minha tia. “Tome isso, bandido!” “E mais isso!” “Morra, miserável!” Ah! A justiça sempre triunfava com o Falcão Negro! E comigo também, é claro.
*
(desenho de Bartholo)
E os livros de aventuras? Li Jules Verne e lá fui eu esburacar o quintal para chegar ao Centro da Terra. A enciclopédia Tesouro da Juventude me ensinou a fazer um pequeno submarino com cabo de vassoura e parti então para enfrentar os perigosos desafios submarinos na caixa d’água lá de casa, onde havia monstros tenebrosos! Para testá-los, eu caçava marimbondos, “convencia-os” a entrar na pequena cápsula do meu submarino e os fazia submergir por horas. Devia realmente haver alguma coisa terrível no fundo do mar da caixa d’água, pois nenhum marimbondo voltava vivo daquela viagem...
*

Na casa de meus tios sempre tinha um Ellery Queen, um X-9, um Fantomas. Com eles, eu desenvolvia meus dons investigativos, na solução de cruéis assassinatos. Sim, era elementar, meu caro leitor...
Passei a minha infância procurando passagens secretas em tudo que é lugar. Onde não tinha, eu criava uma.
*
Não tinha um canto do mundo que eu não conhecesse a partir do meu subúrbio. Eu era menino e aventureiro destemido. Curioso. Nesta semana fico mais velho, mas meus olhos ainda têm a mesma sede de aventuras daqueles tempos. E se os fecho, vejo o mesmo garoto deitado no sofá ou na cama, atracado com um gibi ou um livro. Como se o tempo andasse para trás.
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve o tema de James Bond.

28 comentários:

Joias da Família disse...

Meu estimado amigo, serial killer de marimbondos desavisados, adorei o texto, que me fez pensar algo que deve ser verdade: adultos que gostam das letras e palavras foram crianças que viajaram na maionese dos gibis e - agora falando da minha época - na indefectível série "para gostar de ler", que a professora do ginásio mandava a gente ler.Foi por intermédio daquela coleção que conheci o nosso amigão, o Bruxo do Cosme Velho.

Rogério Felício disse...

Viagei no tempo agora...obrigado!!!
Tempo bom a nossa infância!!!

Marcos disse...

Opa! Aniversário à vista! Parabéns, meu caro. Paz saúde e mais sucesso ainda, sej lá em que searas se meter.
Eu era tão afccionado dos gibis, bolsilivros e sessão matinê no Cine Melhem, que criei um super herói de quadrinhos. Eu fazia a história e meu irmão desenhava num cadernão enorme que meu pai arrumou não sei onde. Vidinha boa, sô!

Lulu on the Sky® disse...

Desse autor eu vi o filme O Nome da Rosa já viu Marco?
Big Beijos

Luma disse...

Feliz aniversário, Marquito!! Sabe que hoje também vai ter festa em casa, né? Então, as nossas lembranças não envelhecem se estamos com elas todos os dias. A nossa idade nãó é a aparente e sim aquela que nos faz sentir bem.
Quantos anos mesmo? 11 ou 12? Marco quando você crescer vai ser um excelente escritor, anota aí!!
Feliz dia!! Beijus

DO disse...

Admiro muito vc,MARCO,por gostar do UMBERTO ECO,rsss.
Li O NOME DA ROSA e A ILHA DO DIA ANTERIOR e jurei que não leio mais nada dele.Muito chato!! Detalhista demais,eu diria,rss

Mas gosto é gosto,não é?
Pelo menos deu base pra um filme bom em O NOME DA ROSA.

Qto aos heróis,confesso que,na minha infancia,eu preferia mais os personagens Disney. No maximo o bom e velho Batman.

Grande abraço!!

Paulo Assumpção disse...

Grande, Marco! Definitivamente, você tem muitos motivos para celebrar mais um ano de vida. Vida esta que, já em sua primeira fase, passou em excelente companhia - toda esta galeria de personagens inesquecíveis dos livros e gibis. Parabéns pelo aniversário! Saúde, paz, felicidade e muitas realizações! Abração!

guiga disse...

Eu também adoro ler!
O meu pai, quando éramos mais novas, eu e a minha irmã, trazia sacas de livros da biblioteca (conhecia a respnsável! hehe) e nós líamos e líamos durante as férias da escola! Era uma maravilha! Tenho saudades da emoção de ver quais os livros que ele tinha trazido! :)

Quanto aos teus heróis... Hum... Conheço alguns, muito pouco mesmo!

Tenho pena que as crianças de hoje não gostem de um livro, de sentir a página, de apreciar a capa, a forma como cada escritor relata a sua história e viajar através dessas palavras mágicas...
Acho que vou ser uma mãe muito chata! looool

Beijos *.*

Claudinha disse...

Olá Marco! Sei que estou em falta com todo mundo da blogosfera, mas eu volto logo (ainda não acabei minha monografia). Passei aqui para desejar um feliz aniversário ao meu amigo querido que é um menino cheio de aventuras e de imaginação. Parabéns pelo seu dia!
Eu, você e Lu Farias fazemos aniversário pertinho, virginianos tremendamente organizados e criativos, rsrs.
Muita saúde, muitas alegrias cecado daqueles que te amam.

Sobre o livro, eu conheço. Tem ilustrações que mexeram comigo profundamente e avivaram recordações deliciosas da infância e o texto fala de um AVC, então, claro, me interessou bastante.

FELIZ ANIVERSÁRIO! TUDO DE BOM!

Lara disse...

Nossa Marco como eu lia na infância! Esse foi um hábito que graças a Deus herdei de meus pais! Comecei com gibis da turma da mônica, livros de Ziraldo e Zélia Gattai e hoje não vivo sem um livro de cabeceira!
Atualmente estou lendo O Vendedor de sonhos.
beijoss

ps: consegui o ingresso da madonna :)

benechaves disse...

Oi, Marco: parabéns(mesmo atrasados) pelo seu aniversário. E pelas suas aventuras também. Quem não as teve? E quem não as têm ainda?
Realmente, como disse alguém, a gente devia nascer velho e ir remoçando a cada ano até findar criança de colo. Não seria um sarro??(rs) Pois é...

Um abraço festivo...

Márcia(clarinha) disse...

Olha que eu mandei e-mailzinho de felicidades, peguei o telefone mas não te liguei[sumiu teu numero, acredita? :(] ia passar aqui e na hora H tchum, fiz nadica disso, bem o mail foi, isso foi.
Parabéns amigopratodavida, tudo de bom, felicidade, saúde, amor e memória para nos brindar com tantas ternuras antigas ou não.
Loviú querido!!
beijos

Francisco Sobreira disse...

É, Marco, como eram deliciosas as revistas da nossa infância! Você fez bem em rememorá-las. Um abraço.

adelaide amorim disse...

Maravilhosos gibis! Também lembro de minhas viagens pelos lugares mais improváveis e das aventuras vividas a partir dos quadrinhos. Um dia ainda falo disso – sem querer invadir teu território, é claro ;)
Beijos e um ótimo fim de semana, querido.

Moacy Cirne disse...

Umberto Eco, Fantasma, Brucutu, Tarzan... Que coisa boa, hem? Abraços.

Makoto® disse...

Difícil conseguir todo esse material hoje. Felizmente, a indústria de HQ continua firme e forte, embora tenha perdido boa parte da deliciosa ingenuidade.

Mimi disse...

Marco, meu amigo, claro que o tempo anda para trás! É a teoria da relatividade!!!

Eu bem me lembro de ir na casa de um tio também e ler sempre O Fantasma e sonhava em ter um Capeto para mim... Tinha Texas, Conan, Tio Patinhas, Mickey e a Turma da Mônica!

Que delícia tudo isso. Viu? Suas antigas ternuras se parecem com as minhas!

(Não pense que esqueci do seu aniversário, meu querido e se seu telefone eu tivesse, vc ouviria minha voz, pois a voz virtual se calou, mas o coração pulsou por ti e em minha orações desejei o melhor todos os dias para você. Parabéns Ternurinha!!!)

Zeca disse...

Marco,

além de todos esses, eu também lia todos os gibis de cowboy que havia na época. Fazia coleção do Fantasma e do Almanaque Disney, que era mensal. Mas lia todos os disneys semanais também. Só na época da faculdade dei um tempo nos gibis (não pegava bem!), mas depois, voltei com a força toda.
Eu lia tanto que costumava dizer que lia até bula de remédio. Não podia ver um livro que logo queria lê-lo, sem importar o gênero. Aliás, sou assim até hoje. Lí o último texto da Luma, que fala de uma autora de livros de culinária... e fiquei doido de vontade de lê-la, pode?
Tem um rapaz de seus trinta anos que descobriu que eu gosto de gibís. E como pouca gente gosta, ele resolveu que eu gosto mesmo e pronto! Vive levando lá em casa todos os gibís que compra. Só que hoje esses gibís estão mais para livros ilustrados, sem aquela ingenuidade que me emociona até hoje. Nos novos existe uma qualidade artística e gráfica, impensável naqueles mais antigos. Mas era isso mesmo que os tornava tão atraentes! A mesma coisa com as famosas revistinhas do Carlos Zéfiro. Você se lembra? Pois é, foram minhas fiéis companheiras e serviram de cartilha durante toda a adolescência... e até depois, também... hehehe.
Amigo, deixo aquí meu abraço desejando-lhe um feliz aniversário, com muito sucesso em todos os seus empreendimentos e grandes realizações. Quero que você seja muito feliz. Assim, poderá fazer muitas outras pessoas felizes também.

Grande abraço.
E Feliz Aniversário!

Mário disse...

Nossa, marco, que saudade desses gibis, desses heróis, desse tempo que mexe conosco, assim por dentro da alma, só de ler um post e ver as imagens daquilo que também amamos, daquilo que também fez parte das nossas vidas e parecia-nos tão importante àquela época.
Maravilhoso este seu post.
Não sei a data, mas fica aqui os meus votos de um Feliz Aniversário para você, meu bom e querido amigo.
Continue sim alegrando a nossa vida com seus textos tão repletos de Antigas e sempre renovadas Ternuras.

Márcia(clarinha) disse...

Amigopratodavida,
sabia que meu pai mandou encadernar tirinhas dO Globo fazendo assim, um livro de capa dura pra mim?
Pois é, ainda o tenho e embora esteja rasgadinho e bem usado ainda dá para ler as aventuras de Pinduca, Família Buscapé, Fantasma, Marocas & Pafúncio e tantos outros.
Uma relíquia.
Antigas ternuras tão gostosas, amo muito tudo isso e você faz parte desse amor.

lindo dia amigopratodavida
beijos

Lulu on the Sky® disse...

Amigo, peço desculpas pq esqueci seu niver.
Big Beijos

Átila Siqueira. disse...

Nossa, adorei essa postagem. Me fez viajar contigo por todos os lugares possíveis. Me fez lembrar dos meus tempos de criança, em que tudo virava uma grande aventura, e que brincar, me divertir e ser feliz era a minha única obrigação.

E eu me contentava às vezes em apenas imaginar personagens, e viver a vida deles. Eu fui capitão de um navio pirata, fui lutador de boxe, fui mutante, cavaleiro medieval, detetive, lobisomem. Uma vez brincando de ser metade homem e metade leão acabei caindo e quebrando o braço.

Mas tudo virava brincadeira, e o gesso me fez brincar que eu era um robo e ele era o meu canhão de laser na ponta de meu braço.

Adorei esse seu post.

Quero também agradecer a visita no meu blog, e convidar-te para voltar sempre. É um prazer tê-lo lá.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Marconi Leal disse...

Ufa! Por um momento pensei que você contaria outras aventuras com revistas nas mãos. Ou melhor, na mão.

Janaina Staciarini disse...

1. Eu quero o livro. Amo Umberto Eco e ainda não li esse.
2. Nunca soltei pipa, acredita? Eu só tinha amigos meninos, jogava futebol, mas pipa eles nunca me levaram para brincar.
3. Adoro o anel do Fantasma.
4. Quem me fez ser apaixonada por literatura foi Monteiro Lobato, com Reinações de Narizinho. Meu pai, para me incentivar, dizia que eu me parecia com ela por causa do Nariz arrebitado.
5. Dos que você citou eu só conheço o Fantasma, Batman, Superman, Superboy, Flash, Lanterna Verde, Tarzan, Zorro e Tonto.
6. Adoro o James Bond. E a música. Mas gosto mais da música do Missão Impossível, lembra?
7. Adoro vir aqui.
8. Tenho uma pergunta pra você lá no Alfarrábio. É exclusiva porque eu sei que só você pode saber a resposta.
9. Um beijo bem grande. Do tamanho da saudade que eu estava de vir aqui. Não vou fazer o 10 porque gosto de números ímpares. :)

Janaina Staciarini disse...

Tava agora lendo os outros comentários... Hoje é seu aniversário?
Ahhh querido, tudo de melhor para você. Antigas e novas ternuras. Presentes, mimos, carinhos, abraços.
Um beijo.

Lila Rose disse...

Querido, um FELIZ ANIVERSÁRIO para você!! Eu adorava ler gibis e livros também, aliás, dos livros a paixão virou amor, eterno.

Acho o Umberto Eco detalhista demais, acaba sendo chato!!! E ele não tem a metade do humor que vc coloca em seus escritos.

Bisous.

Julio Cesar Corrêa disse...

Do Umberto vergonhosamente só conheço o Nom da Rosa. E gostei muito. O filme também não fez feio. Mas não gosto de gibis. Minha infância também foi no subúrbio (Lins anos 60/70)e preferia ver os heróis na tv.Mas não deixa de ser uma volta ao passado.
abração
PS Minha vida está tão louca, que só vendo o seu comentário no Lonely Av. que me dei conta que o meu aniversário tb está perto. Portanto, não consigo lembrar o de ninguém. Mas nunca é tarde para lhe desejar muitas felicidades e anos cada vez mais felizes daqui para frente.

Tina disse...

Oi Marco!

Semana repleta de saudade, com certeza. Obrigada pela mensagem que me deixou lá no BM, obrigada mesmo.

E last but not least - Feliz Aniversário! Muita saúde e alegrias sem fim. E continue a nos presentear com suas Antigas Ternuras - fazem um bem danado, sabia?

beijo grande querido amigo,