sexta-feira, agosto 29, 2008

Gostei à beça!


Atendendo a milhares de pedidos, vou relatar em rápidas linhas como foi a mais que agradável noite de sábado passado, quando fiz uma palestra sobre Machado de Assis e aproveitei para fazer uma noite de autógrafos com meu livro “Popularíssimo – O ator Brandão e seu tempo”.
*

O que eu posso dizer? Gostei à beça! Foi muito, muito prazeroso para mim atender ao convite da Secretaria de Educação e Cultura de Mauá e palestrar sobre o “Bruxo do Cosme Velho” (minha namorada, Sylvia, foi quem conseguiu este evento para mim). Eu nem sou especialista em Machado de Assis. Eles me perguntaram se eu poderia fazer a palestra e eu disse que sim. Especialmente porque eles iam me pagar para isso. E, se querem me contratar para fazer palestra, eu podendo puxar o assunto por um viés de História e me dando algum tempo para me preparar, posso falar sobre muitas coisas, desde a “importância da farinha de rosca no bife a milanesa” até sobre a “vida sexual do bicho da goiaba fora da goiaba”. Bem, já faço palestras há mais de 15 anos...
*
Mas como eu disse, gostei à beça. Aliás, vocês sabem de onde vem essa expressão? Não? Ah, então lá vai mais uma seção “A origem das expressões de uso corrente”, que, aliás, já faz tempo que não apresento nenhuma por aqui.
*
Bem, como a maioria aí sabe, “à beça” significa “em grande quantidade”. Logo, se eu gostei à beça, é porque eu gostei muito demais da conta pra caramba às pampas.
O termo vem de Gumercindo Bessa, jurista sergipano (na foto abaixo), que ousou enfrentar ninguém menos que Ruy Barbosa na famosa Questão do Acre. Em 1904, o Estado do Amazonas queria que a terras do Acre, adquiridas à Bolívia por manobras do Barão do Rio Branco, fossem incorporadas no seu espaço territorial. Os acreanos desejavam que o Acre fosse estado a parte ou melhor ainda, que fosse território a parte (ele só virou território a partir de 1920). Os amazonenses contrataram o baiano Ruy Barbosa; os acreanos chamaram o sergipano Gumercindo Bessa. Na peleja judicial que se seguiu, Gumercindo apresentava copiosas razões, fartas argumentações favoráveis ao nativos do Acre. O cabeçudo Águia de Haia chegou a ficar tonto e tomou uma goleada do Bessa que mandou bem à beça no tribunal.
*

O primeiro a usar esta expressão foi o presidente Rodrigues Alves (governou no primeiro mandato de 1902 a 1906), que ao ouvir um determinado rapaz, que defendia seus pontos de vista com tanta eloqüência, apresentando tantas razões, teria dito: “O senhor tem argumentos a Bessa”, querendo dizer que ele estava se portando como Gumercindo Bessa, que sempre ia para os julgamentos recheado de argumentações.
*
Pois é. A expressão caiu no gôto do povo e ao longo do tempo, os dois “ss” deram lugar ao c cedilha, mas o sinônimo de muita quantidade, de copiosidade, de abundância pegou que nem pereba em menino. Todo mundo usa isso à beça.
*

Ah, sim. Vocês querem saber como foi a palestra. Bem, eu falei à beça e parece que o povo gostou à beça. Eu certamente gostei. Tinha planejado falar por uma hora, mas quando me empolgo, falo mais que o homem da cobra. Fiquei lá, tagarelando que nem pobre na chuva por duas horas e o povo só me dando trela. O título da palestra foi “Viagem pitoresca com Machado de Assis no ano de seu centenário” e meu objetivo era falar um pouco sobre a vida dele, mas também apresentar o Rio de Janeiro de seu tempo, tanto citado em sua obra. Se conseguisse despertar nas pessoas o desejo de ler os livros de Machado, aí seria maravilhoso.
*
E parece que eu consegui. Uma das pessoas que foram me assistir arrastou os filhos adolescentes para que também ouvissem um pouco de Machado. É claro que os meninos foram com uma tromba dest’amanho, achando que seria um saco, e que eles nem sabiam quem era esse tal de Machado de Assis. Pois bem. Via os dois na platéia e eles nem piscavam, acompanhando tudinho. Finda a palestra, os dois pediram à mãe para comprar os livros dele, pois ficaram com vontade de lê-los, especialmente “Dom Casmurro”, de que falei especialmente. Aliás, a mãe também disse que leria todos os livros do “bruxo” que pudesse. Ah, isso é que nem Mastercard... Não tem preço!
*

Mas guardei a melhor parte por último. Terminada a palestra, vêm falar comigo duas pessoas especialíssimas, dois blogueiros que foram me fazer esse carinho, essa gentileza. A primeira foi a Milena (do Mente quem diz), acompanhada do esposo, e que encheu meu coração de alegria com a sua presença (nos lemos há três anos e nunca nos conhecemos). A outra, que aí fez meu coraçãozinho transbordar de felicidade, foi surpresa total: meu grande “amigo de infância” J.F. levou a família toda, incluindo a simpaticíssima esposa Nina, a filha e minha amiga Luciana (do ...EEEPA!) com seu marido Vagner, e as filhas Juliana e Vanessa. Só faltou levarem o cãozinho beagle Ed Wood, que também é blogueiro! E mais: a Luciana tinha acabado de lançar o livro que ela ilustrou na Bienal e ela e a família foram correndo para Mauá, só para me prestigiarem! Fiquei dois passos dentro do Paraíso com a visita da Milena e da família blogueira do J.F.
*
Eu e Milena
Eu e JF
Eu e Luciana
Eu apresentei a Milena ao J.F. e família e, como são pessoas maravilhosas, se entenderam rapidamente, também viraram amigos de infância e se visitam. Foi, definitivamente, uma noite maravilhosa, me diverti e me alegrei à beça. A Milena escreveu um post muito lindo sobre aquela noite (dêem uma chegadinha no blog dela para ler...). O J.F. já escreveu alguma coisa também e avisou que ainda vai escrever mais.
Definitivamente, quem tem amigos tem um tesouro! Muito obrigado, Milena, JF, Luciana e família! Vocês são legais à beça!
Fico devendo mais essa ao Brandão Popularíssimo e ao Machado de Assis...
M.S.

***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Noite do Prazer”, de e com Claudio Zolli. Verdadeiramente, aquela foi uma noite pra lá de prazerosa...
***********************************************

E por falar em livro, gostaria de recomendar aos queridos amigos e leitores o mais novo lançamento do nosso amigo blogueiro Marcos, do Esculacho e Simpatia. O blog dele é fantástico, por conta disso até imagino como deve ser bom o livro. Eu já pedi o meu! Faça como eu! Vá até o blog dele e se informe.

33 comentários:

adelaide amorim disse...

Eu já sabia que ia dar tudo certo.
Mas fiquei contente com as notícias, que pena não poder ter estado lá em Mauá. Quem sabe você não repete a palestra por aqui?
Beijo grande, Marco, e um fim de semana maravilhoso.

Moacy Cirne disse...

Gostei à beça de sua postagem. E gostei à beça de saber que deu tudo certo com a sua palestra sobre Machado. Um abração.

Márcia(clarinha) disse...

Pra mim nada disso foi novidade, eu já gostava à beça de você amigopratodavida, já sabia que mandava bem à beça quando o assunto é história e que tem amigos à beça dentro e fora da blogosfera, então...sem surpresas, mas com um orgulho danado de tê-lo como querido e a QQ Mimi, também.

Parabéns e que venham todos os elogios, você os merece.

lindo dia,
beijos

Lila Rose disse...

Querido, fico feliz que tudo tenha sido tão maravilhoso!! Você merece!

Vou dar uma espiada nos blogs indicados.

Bisous.

Tina disse...

Oi Marco!

É muito bom conhecer e/ou ser prestigiado pelos amigos blogueiros, fico feliz por você. Sucesso grande, você merece.

Obrigada pelo carinho lá no BM.

beijos e bom fim de semana,

Marcos disse...

Minha mãe fazia cara feia e dizia "por isso que você é pobre, só tem amigos artistas e loucos"; meu pai abria um sorriso, me dava um abraço e dizia "você é que é feliz, meu filho, pobre, mas cheio de amigos valiosos".
Não sei se você é maluco, Marcão, mas é artista e iso vale mais que dinheiro no banco. Não é à toa que sou teu fã à beça.
Palestra tua? Nem precisava acontecer pra saber que seria um sucesso.
Obrigadaço pela força.
Ah! O teu exemplar já está a caminho.

Rogério Felício disse...

Vou confesar, que não gosto muito de ler textos grandes à beça na internet...rsrsrs.
Mas desda vez não resistir...show, muito bom.
Parabéns por todas as suas virtudes e seu espaço aqui é muito legal.
Abraços.

Mimi disse...

Foi uma coisa mágica não foi?
E melhor por ser realidade e não livro de Harry Potter!!!

Não sabia dessa origem, Ternurinha e jamais achei que fosse essa!!!

ah, mas você sempre tem coisa boa para mostrar e publicar.
Agradeço o carinho todo que tens por mim, uma vez que é presente raro.
Muitos beijos

(e o gato Wicket passa muito bem, ainda bem! Eu não demoro a levar no médico e cuidar.)

Claudinha disse...

Olá Marco! Parabéns!
Eu gostaria muito de ter ido à palestra e conhecido pessoalmente vocês todos. JF e família eu vejo sempre pelo orkut da Lu e do Ed, mas assim sentindo o calor do abraço é muito diferente. Imagino a sua emoção, tanto pela palestra, pelo seu livro, como por encontrar pessoas especiais como eles.
Que bom, fico imensamente feliz!
Beijo e ótimo final de semana!

Claudinha disse...

Ah, vou conhecer o escritor Marcos!

Lulu on the Sky® disse...

Que bacana amigo, desejo mais sucesso ainda pra vc.
Big Beijos

Mário disse...

Que legal, Marco. Fiquei feliz à beça ao ler este post e sentir a sua alegria.

maristela disse...

Tagarelando que nem pobre na chuva! AMEI! Parabéns, Marco.
bj

Dora disse...

Marco! Estou orgulhosíssima de você! Estou feito "mãe coruja", ou então blogueira "coruja"...pronto!
Parabéns!!!!
Eu não duvidei nem por um segundo que você seria um sucesso como palestrante! Seu carisma é enorme. Você tem consciência disso.
Que delícia de noite deve ter sido!
Vou ler mais sobre você, no outro blog.
Beijos, beijos.
Dora

dira disse...

Tb acho vc show... n esqueço o nosso encontro no Rio e o quanto vc é agradável como cia... parabéns, querido, tb gostei à beça de vê-lo e revê-lo feliz com o sucesso merecido. Grande abraço. Estou com saudades de vc.

Mário disse...

hehehe... Barueri é longe à beça mas a internet deixa tudo tão pertinho que coloquei a foto do "seu filho" no post de hoje do APOIO FRATERNO...rs.

Luciana Farias disse...

Querido, ainda bem que você falou à beça, deu tempo de nós pegarmos um bom tempo da sua palestra. Agora, quando leio os seus textos, sei exatamente como é quando você os está contando...

Foi maravilhoso, não foi???

Beijão procê e pra Sylvia!!!!

Giovanna disse...

Olá querido! Adoro qdo me visita, é uma honra tê-lo em csa de madame... Pena vc estar tão longe, esta palestra sobre o Machado era uma oportunidade fantástica pra eu conhecer mais sobre este autor q adoro! Aqui em Sampa estou a cata de coisas sobre o assunto, tbem... O Sesc tem oferecido muita coisa legal!
Qto ao livro, bem... A ansiedade inicial diminuiu, e isto foi bom, já q estou criando outros personagens e aperfeiçoando os já existentes... Estes seus comentários foram decisivos para o impulso de criação... rsrsrsr... Tenho intenções com este romance, assim q tiver td direcionado vc vai ser o terceiro a saber, já q em casa tenho dois espiões muito bem treinados sobre as minhas decisões: meu filho e marido, que ficam em meu calcanhar...rsrsrsr... Amigo, nem preciso dizer o qto agradeço, mas o faço assim mesmo... Muito obrigada! O que acha de escrever o prefácio? Deixa as coisas acontecerem e falaremos em breve...
bjs de mim

Luma disse...

hahahaha também gostei do tagarelando na chuva. É expressão by Marco? Fico feliz com o sucesso dos amigos, você e Marcos e tantos outros que a blogosfera prestigia.
Marco, acho que vai gostar deste blogue - http://aquelestempos.blogspot.com/

*Fiz uma adaptação de uma parte do seu texto que fala em dançar "de rosto colado". Não viu, né? Vou te ensinar a usar o google search! (rs*)

Boa semana! Beijus

maith disse...

Vi a alusão a sua palestra no blog do JF e vim conhecer um pouco mais de você e de seu trabalho. Muito oportuno falar sobre Machado de Assis o grande escritor tão esquecido pelos nossos jovens por não saberem dar-lhe o devido valor.
Mesmo sem conhece-lo pessoalmente quero dar-lhe os parabens pela palestra. Admiro muito as pessoas que têm o dom da palavra.
Sucesso, sempre, cada vez mais!

DO disse...

Fiquei inconformado em não poder prestigiá-lo,MARCO. Acho melhor eu pedir logo o seu livro pelo correio,pois daqui a pouco não vai sobrar mais nenhum.

E fiquei sem palavras qdo vc comentou que conhecia a mãe do Felippe.
O mundo é mesmo pequeno.

Grande abraço!

Francisco Sobreira disse...

Marco,
Imagino como foi a sua palestra, cheia desse seu humor e irreverência que tanto nos agrada. Bom também foi aprender mais a origem de uma expressão. Só não dá pra entender é porque não foi grafada a grafia com dois "esses". Coisas da nossa língua, não é mesmo? Um abraço.

Tom disse...

Bem, eu confesso que não sou grandes fãs de Assis... mas tiro o chapéu para ele por ter me ensinado a escrever!
Abração, cara!

Karine Leão disse...

Marco,

Vim navegando e te achei!

Parabéns pelo livro, parabéns pela palestra!

Vou visitar sua indicação!

Abraços

benechaves disse...

Marco: taí uma expressão que você poderia nos informar de onde partiu. É 'falou mais que o homem da cobra'. Que homem da cobra seria esse?
De resto é parabenizá-lo pela palestra e pelos amigos e amigas que foram lhe prestigiar. Falar sobre o Machado de Assis não é pra qualquer um. E sua alocução deve ter sido primorosa.

Um abraço...

Lara disse...

Oi MArco! Adorei o post:) Não sabia dessa noite de autógrafos... próxima aparição pública me avise que vou te encontrar :)
beijos

Marconi Leal disse...

Meu velho, meus parabéns, de todo o coração. E fique certo de que, assim que puder, encomendarei o livro. Abraço.

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Marco,
Ausente tanto tempo, volto e reecontro você num momento particularmente importante.
Fico feliz por seu merecido sucesso.
Agora, vou me demorar um pouco por aqui, lendo o que perdi.
Forte abraço.

Ronie disse...

Rapaz... fiquei daqui morrendo de inveja!

sandrinha disse...

Que delicia!! Parabéns!! Confeço que fiquei com uma pontinha de inveja :) Bjs

J.F. disse...

Marco, meu amigo. Esperei sua postagem para comentar o evento. Porém, a viajem a Poços de Caldas e outras coisas me impediram, até agora, de me manifestar. Mas, agora, tô aqui!
Bom, o tema da palestra me agradou muito. Li toda a obra do Machado ainda no meu tempo de curso Clássico e, no decorrer do tempo, reli várias vezes. Cada vez que releio, novas facetas do Machado e da obra aparecem. Machado é eterno! Quanto à palestra em si, foi o que eu esperava. Transcorreu na mesma forma atraente e, ao mesmo tempo, séria com que você discorre sobre os seus diversos temas no blogue. Fiquei muito impressionado com a profundidade e a abrangência das suas pesquisas. E, lógico, com a riqueza de detalhes (e slides) com que você nos brindou. Essa sua palestra merece ser repetida muitas e muitas vezes em muitos lugares deste Brasil todo. Parabéns!
Quanto ao seu livro “Popularíssimo – O ator Brandão e seu tempo”: ainda não posso falar nada. A Nina se apossou do livro e o está lendo da forma como ela sabe: saboreando o texto. Ela está gostando demais, o que me deixa mais ainda ansioso para que chegue minha vez de lê-lo.
Finalmente, o encontro dos blogueiros! Sensacional! Como é bom materializarmos uma estima que já existe internauticamente. Sua demonstração de surpresa, quando a Lu e eu nos apresentamos, mais que valeu a ida a Mauá! Também foi ótimo "demais" conhecer a meiga Mimi, nova amiga.
Mal comparando (hehehehe!), com Credicard pode-se comprar muitas coisas, mas conhecer o Marco, conhecer a Mimi... não tem preço!
Abração.

Bruxinhachellot disse...

Marco parabéns primeiramente. Em segundo lugar saudações rubro-negras.
Adorei saber de tudo correu as maravilhas na sua palestra, aliás bem à beça.
Bjs em seu coração.

Jack disse...

Ah isso não vale!
Conhecer a Lu antes do que eu!!!!!
kkkkkkkkkkkkk