quinta-feira, setembro 07, 2006

Setembro


Já estamos no nono mês do ano. A mim, parece que o reveillon foi ontem e, imaginem, já nos aproximamos do próximo.
Sempre gostei de setembro. Desde algum tempo, é o mês em que tiro férias. Ele é ótimo para viajar. Tanto no hemisfério norte quanto no sul do planeta, é mês de temperaturas amenas, de sol forte em quase todos os dias. Gosto de setembro também por ser o mês de meu aniversário.
*

Não desgosto de agosto. De forma alguma. Tenho nele uma data muitíssimo especial, para sempre meu “feriado nacional” (dia em que olhei o amor nos olhos). Mas setembro me é especial. Coisas boas costumam me acontecer neste mês. Como um bom virginiano, aprecio misticismos. Tarot é uma deles. Assim que passar o meu aniversário (e findar meu inferno astral, como dizem os astrólogos...) vou já saber o que os arcanos têm a me dizer.
*

Entro em setembro realizando coisas que gosto. Está sendo um mês positivo para mim. Trabalho no Projeto Histórias das Estatísticas Brasileiras (1822-2002), e acabamos de lançar o primeiro volume da obra (já está a venda). Nele, escrevi o maior capítulo do livro e todos os perfis biográficos. A foto da capa é de minha autoria e não é por estar na minha presença, mas ficou muito bom.
*
Como sabem, sou também ator. E acabo de estrear um novo espetáculo, chamado “Nhoque em tempos de crise”, de Vitor Hugo Marques. Estou me divertindo muito em fazê-lo. Não é nenhuma superprodução como as que participei no tempo em que trabalhava com o Sergio Britto, mas é digna e tem agradado ao público que nos tem prestigiado.

*
O mês começa e o inverno cisma de aparecer. Caminho pela rua de uma tarde branca, com vontade de ouvir pássaros pipilando. Infelizmente, não vejo nenhum pelos galhos das árvores urbanas e indiferentes. Vejo um operário trajando a camisa do Mengão, feliz, assoviando. Bom sinal. Mesmo em momentos de adversidade, nós, rubro-negros, temos um joie de vivre, uma alegria de viver que os torcedores daquele time da Força das Trevas, aquele que carrega uma cruz de sofrimento, nunca terão.
Entro em uma padaria, na dúvida se compro ou não aquele Mil Folhas que está piscando os olhos sedutoramente para mim. Sem mais porquê, começo a cantarolar “Alegria, Alegria”. Olho para o doce e penso:
“Eu vou, por que não? Por que não?...”
Enfim, chegou setembro. É primavera no meu coração.
******************************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você está ouvindo “Sol de Primavera”, na voz marcante de Beto Guedes.

19 comentários:

AnaGarrett disse...

Que bom, as manhãs de Setembro para podermos criar em liberdade.
Beijos Além Mar

Saramar disse...

Marco, você escreve tão bonito!
Ainda bem que sou flamenguista também, mas às vezes fico triste. E quando isso acontece, eu venho aqui reler as suas alegrias e fico alegre junto.
Meus parabéns pelo livro que só pode ter ficado ótimo, se você participa dele.
Que dia será o aniversário? Conta pra gente. Se não contar virei desejar feliz anoversário todos os dias até o final do mês.

Beijos

Claire disse...

Gosto do inverno de setembro (apesar de ter pego um resfriado desta vez), e adoro doces. Hummm...!

Claudinha disse...

Oi Marco! Coincidência! Também falo de setembro e de sua influência em minha vida. Escolhi esta mesma música para meu post, mas mudei na última hora, porque queria dedicar ao meu amor outra música. Agosto sempre foi bom para mim e setembro nem se fala. Eu fiz aniversário agora nesta semana. Somos virginianos, perfeccionistas, meticulosos. Vejo que está realizando, produzindo de todas as maneiras. Parabéns, eu desejo muita sorte, muito sucesso!Um beijo grande!

Fugu F. disse...

Meu amigo querido. Engraçado ler seu post justamente quando Tim Maia cantava por aqui "é primavera .. te amo ... trago uma rosa ..." rsrs Deve ser o pólen das flores (ou a memória dele, uma vez que o tempo endoideceu) que nos deixa assim meio embriagados de possibilidades.
Já respondi seu comentário lá no Fruit de la Passion. Seja feliz!

Roby disse...

Marco, a cada dia te admiro mais e mais...
Tu és escritor, ator, compositor...e todos ores...
Mas tem uma humildade tremenda em lidar com seus leitores!
Caramba, uma pessoa culta,e acima de tudo humana..simples!
*
Olha, fiquei surpresa, quando li o título do filme que tu deixastes lá no vale...carai...acertastes em CHEIO MEU CARO!!!
É aquele filme mesmo...rsrs
Assiti a muuuuito tempo, adoro aqueles dois atores, mas nem me recordava do nome do filme.
Tanto, que o segundo filme eu nem sabia da existência dele..
Vou procurar na vídeoteca sim..pode deixar!!!
*
Hoje estou indicando um filme de mistério em meu post..parece ser excelente!

Aquele abraço Markito.
Bom final de semana!

DO disse...

Que a primavera lhe traga muitas alegrias,Marco.
Não sabia que vc é ator. Se estivesse ai no Rio,certamente iria prestigiá-lo.
Abração!

Lili disse...

Você merece todas as lindas flores da primavera. Parabéns! Só sinto estar muito longe do seu teatro. Beijos!

claudia disse...

eu amo esta música
e também adoro o mês de setembro, ele tem jeito de reta final, não tem?
parece que as coisas acontecem em setembro porque é o mês de quando tem que acontecer por que o fim do ano se aproxima.
Sei lá, são marcos que a gente coloca em esferas na nossa vida e acaba virando hábito.
então...que venha setembro...
florido, colorido e cheio de sol...
um beijo querido
no coração

nancy moises disse...

Olá amigo adorei sua visita e vim correndo pra te contar um segredo mas em off heim?rsrs ja uso os oculos na ponta do nariz a tempo viu?
rsrs um grande abraço e um otimo final de semana pra vc.

Márcia(clarinha) disse...

Marco querido,
dia 18 brindarei com vc e darei um abraço apertado de felicidades!
Parabéns pela peça, sempre estou cheia de vontadde de ver espero poder dessa vez lhe ver no palco, irei.
Sobre o livro, que maravilha meu amigo, sucesso!
Setembro é um lindo mês [me casei nele] é quando começa a esquentar o tempo, fazendo noites perfeitas.
Linda noite meu querido,
beijossssssssssss

rubo medina disse...

Marco, cheio de novidades: lançamento do livro, estréia de espetáculos. Gosto de gente assim, dinâmica. Vai fundo. Vc "dá certo".
Quanto à chegada de setembro, meu amigo, que é isso? Cadê o calorzão que adoramos? BH também tá essa coisa chata - inverno. E ontem, naquela friagem toda, até me lembrei de um post seu, onde vc mencionava Sérgio Brito, inverno... etc.
Amigo, quero te desejar muito sucesso nessas empreitadas todas. E se vier a Belô pra exibição, comunique aos amigos.
Abraços.

rubo jünger medina disse...

Ia me esquecendo: avise a data do aniversário. Presente virtual também conta... rs
Abraços.

rubo medina disse...

Marco, não sei se vc conhece. Caso negativo, acesse o site www.grupogalpao.com.br. Tem uma notícia que talvez interesse a vc. Atenção: o prazo termina em 15/09.
Abraços.

Bruxinhachellot disse...

Sou apaixonada pelo Outono, mas a Primavera sempre me deixa extasiada.
Parabéns pelo livro. Espero poder lê-lo algum dia.
Beijos de brisa.

Marco Santos disse...

Querida Anagarrett: Que assim seja, amiga! Beijos de Cá Mar.

Querida Saramar: Puxa!... Que bom ler esses elogios vindos de uma escritora de tanto talento como você. Muito obrigado pela força. A data do meu aniversário está no meu perfil, amiga. No alto da página do blog.

Melhoras, Claire.

Minha doce Claudinha: Temos a sintonia de virginianos que somos. A música que escolheu é muito linda, imagino que tenha agradado muito a quem foi dirigida. Obrigado pelo incentivo. E feliz aniversário pra você!

Querida Fugu: A primavera está no ar, embora ainda estejamos em fins de inverno. Felicidades pra voc~e também, amiguinha.

Ô, querida Roby... Assim você me deixa sem graça... Obrigadão, viu? Já li o seu post sobre o filme e já comentei.

Grande DO: Obrigado, amigo. Pois é. Quem sabe a peça não vai pra São paulo e aí você pode me dar a honra de sua presença?

Pois é, querida Lili... Pena você não poder me assistir. Mas agradeço a força, viu?

Querida Claudia: As coisas estão acontecendo em setembro. pelo menos pra mim estão. Um setembo florido e multicor pra você.

Querida Nancy: Arrá! De oclinhos na ponta do nariz, heim? Mas não precisa espalhar... Eu farei segredo!

Querida Marcíssima! Minha eterna amiga e ex-vizinha! Obrigado antecipado pelas felicitações. Sim, será no dia 18 de setembro. E estarei esperando pelo seu abraço. Te aguardo no Teatro. (Você vai, né?)

Grande Rubo: Êpa! Eu não dou nada, não, parceiro! Ré! Ré! Ré!...
Eu gosto de um friozinho,pra espantar o calorão do Rio.O inverno tem o seu charme, é tempo de recolhimento. A primavera que se anuncia é tempo de esplendores.
Obrigadaço pela força. Pode deixar que se levarmos o "Nhoque..." para BH você será avisado.
A data está no alto do blog.
Claro que conheço o Grupo Galpão! Vou ver a novidade, pode deixar.

Querida Bruxinha Chellot: Já te linkei. Obrigado pela força. E recomendo a leitura do História das Estatísticas Brasileiras. Saiu agora o primeiro volume, mas já aprontamos o segundo e o terceiro. Já estamo escrevendo o quarto.

Valeu, moçada! Abraços e beijinhos carinhos e ternuras sem ter fim!

Anne disse...

Eu não gosto de setembro, é sempre um mês complicado para mim, mas estou me sentindo mais leve para encará-lo depois de ler este texto.
Conte que dia é o seu aniversário para que possamos te dar os parabéns!

Um beijo grande!

luma disse...

kkkkkk Eu gosto de Novembro!! Mês do meu aniversário!! E parece que esse mês está super ocupado! Que venham essas ocupações cheias de prazer!! Parabéns pelas realizações! Beijus

Zeca disse...

Marco!

E lá se foram janeiro, fevereiro... e em poucos dias estaremos comemorando mais duas primaveras. A sua e a conhecida pelos poetas e românticos como sendo a estação das flores e dos amores. Creio que ambas acabam se encaixando em algum ponto, pois você, com suas "Antigas Ternuras" e sua maneira sempre gentil de escrever, tem tudo a ver com essa estação.
Pelo que vejo, o segundo semestre veio com tudo pra você! Término e publicação do primeiro volume do livro, com foto de capa e tudo mais! Parabéns!
Ainda por cima, uma nova peça em seu currículo. Pelo título imagino uma comédia. E deixo aquí meus votos de muito sucesso pra todos. Agora, sussurrando pra não espalhar: cê manda um pedaço desse mil folhas prá mim?

Abração.