sábado, fevereiro 18, 2006

Lá vem o velho Oscar...


Não tem jeito. Festa do Oscar é que nem horóscopo de jornal: a gente sabe que não deve levar a sério, mas sempre dá uma olhadinha...
Eu assisto à entrega do Oscar desde, sei lá, mil novecentos e não vem ao caso. Lembro que quando era mais jovem, tinha que negociar com a minha mãe para ficar acordado até mais tarde. Ficava com um sono boçal, mas tentava aguentar o mais que eu podia. Torcia pelos meus favoritos (sempre torço), xingava quando a estatueta ia para um filme que não merecia, aquela coisa toda que o pessoal que gosta de cinema costuma fazer.
*
Bem, já fui assistir aos cinco filmes que concorrem ao carecão dourado. Vou dar a minha modesta opinião sobre cada um deles e no final revelo por qual vou torcer. Como botar tudo num post ficaria grande demais, vou postando um por um, a cada dois dias. A começar por este aí de baixo.
M.S.

6 comentários:

Paulinho Patriota disse...

Grande Marco:

Entrego o ouro: acompanho à entrega do douradão há exatamente 30 anos. E revelo uma jequice - não tanto quanto a cafonália dos apresentadores do SBT,que se paramentavam como se lá estivessem: tenho de estar nos trinques ( banho tomado,roupa confortável e limpa [e o chá à espreita] ) no dia da reunião festiva e estelar norte-americana,senão jamais conseguiria me concentrar na tela de magnésio da minha TV,que um dia será plasmática. Ritual besta-bestinha,certamente,mas que se incorporou às minhas manias.

Sempre me emociono com a parte de homenagens da cerimônia ápice cinematográfica: a de 1972 feita ao fabuloso - genial! - Chaplin até hoje me faz chorar. Tenho-a em vídeo. Também a matéria sobre os que se foram no ano antecedente...

Fico no aguardo dos teus outros conceitos sobre os ditos-cujos que concorrerão ao prêmio máximo deste 2006. Como posso antever,serão opiniões frumento sem joio,lotadas de tua capacidade de apreciar a imelhorável (gosto deste termo) sétima arte!

Boa domingueira.

PS: rapaz,muito obrigado por tuas harmônicas palavras a respeito da minha croniquinha sobre o mar. E por falar nisso: que oceano de gente no show dos Rollings Stones!

Dira disse...

obaaaa...vamos ao Oscar.

Mut disse...

Hehehehe... eu adoro assistir o Oscar e achei sensacional o título do post de baixo. Quanto aos Costa Quebrada , é um filme interessante , com a marca do Ang Lee(que fez o ótimo Tigre e Dragão e o horrível Hulk) e tem o Jake Gyleenhaal , que é um baita ator e pouco conhecido do público. Dentre seus filmes , posso citar Donnie Darko , que ele é um adolescente estranho e o filme tem participação de Drew Barrymore e Patrick Swayze - além de uma ótima trilha anos 80. E eu também ainda tenho que brigar para ver toda a cerimônia. Se bem que no caso do Oscar , meus pais abrem um precedente.

Um abraço!

Gustavo H.R. disse...

Olá, Marcos!
Também não consigo perder o Oscar. É um show no qual 99% das vezes o nosso favorito não é o mesmo da indústria cinematográfica americana, mas há algo de mágico na cerimônia. Torço, sofro, xingo, mas no ano que vem, lá estou de novo pronto para mais uma rodada.
Não vi BROKEBACK MOUNTAIN, mas li o mais novo capítulo da saga HARRY POTTER e assino embaixo de cada uma de suas palavras sobre o livro.

Cumps.

Jade Prado disse...

Olá Marquito! :)
Eita saudade boa que eu to matando daqui! Totalmente em estado de ternura antiga, hehehe.
Bom, assisti este indicado para o Oscar ontem. Também gostei de algumas passagens de imagens, mas a fotografia do filme não é a das melhores não. Sabe que gostei de como ele retratou o relacionamento gay? Uma coisa tão insustentavelmente leve, sem aquela necessidade de chocar até doer o espectador como acontece na maioria dos filmes com histórias sobre homossexuais. Paisagem parada, lugar sem muitas novidades, personagens com problemas de comunicação, as falas pra dentro. Será que ganhará o Oscar? A maioria diz que sim, que é do tipo que Hollywood gosta. Eu não saí totalmente decepcionada da sala de cinema ontem.
Sobre o Harry Potter, também assisti o último filme da saga. Achei fraco em comparação ao livro – como aconteceu em todas as outras vezes. De-vo-rei toda essa saga do Harry (filmes e livros), só não li ainda o último lançado. Realmente, ela tem a receita. E engraçado por que você citou “As Brumas de Avalon” que eu também li em pouquíssimos dias todos aqueles livros. Li há tempos já, bem mais menina e lembro que não conseguia desgrudar do sofá e levantava irritada pra comer e tomar banho, risos. É, também devo o meu hábito constante de leitura aos meus Pais... Graças! AMO ler. Amo, amo, amo de amor com “a” maiúsculo mesmo.
Relendo agora tudo o que escrevi acima, estranhei tantos “também”.
E o Oscar se aproxima! E eu daqui, idem ibdem. Colada todo ano na TV, bocejando.
Ah! Vc assistiu o Doc sobre a Betânia? Poxa, fiquei de assistir aí e nada. Dizem que é uma pérola, "just like" a própria Betânia.
Beijos!

Marco Santos disse...

Paulinho grande Patriota: É... Talvez eu acompanhe o Oscar há um tempinho maior que você. Este ano, ele voltou para a Globo. Acho melhor. Você tem razão: as homenagens aos vivos e mortos são um caso a parte e sem, dúvida, algumas são emocionantes. Neste ano, teremos, com certeza, para Ann Bancroft, Al Lewis e outros mais.
Já postei os meus comentário sobre "Capote". Em seguida virão os outros. São apenas comentários, não me considero nenhum especialista. O Paulo, o Evandro, o Luiz e o Gustavo certamente são melhores do que eu.
Um abraço, caríssimo.

Querida Dira: Claro que vamos! Imagine se eu iria deixar de postar sobre esta minha grande e antiga ternura! Beijão!

Bruno, grande Mutante: Concordo contigo em gênero, número e grau sobre o Tigre..." e "Hulk". sobre o Jake Gylenhaal, ainda prefiro ver mais coisas dele. No "Brokeback", ele faz um trabalho protocolar. Nada empolgante. Não vi este "Donnie Darko", pelo menos não que a minha esclerose me faça lembrar.
Quando a gente passa dos 18 consegue algumas vantagens. Ver o Oscar, por exemplo. Mas, como você diz que seus pais não criam caso...Beleza! Um abração.

Grande Gustavo: Concordo contigo. Nem sempre (quase nunca!) a gente consegue ver emplacados os nossos favoritos. E duvido que 2006 vá ser diferente. Estou na expectativa de você assistir ao "Brokeback" e fazer seus sempre abalizados comentários no excelente Império Cinéfilo.
Gostei de saber que concordamos com a excelência da série Potter. Confesso que já fiquei viciado. Quando acabar a série terei síndrome de dependência...
Um abração! E volte para ler os comentários sobre os outros concorrentes.

Minha doce Jade: Que bom vê-la de volta ao círculo blogueiro! eu também estava saudoso de suas palavras.
Concordo que o Ang Lee tenha tido sensibilidade em tratar de um relacionamento gay. se ele errasse a mão, poderia ficar uma caoisa grotesca. Apenas discordo que este seja um filme para se premiar indiscutivelmente como o "melhor". Na minha opinião, ele é o mais fraco dos cinco. Tudo indica que ele vá abiscoitar o careca dourado, todos os prognósticos apontam para isso. Mas que eu ficaria feliz com uma surpresa, ah eu ficaria!
Eu gosto dos filmes Harry Potter. Acho-os um bom entretenimento. Mas, concordo contigo (e com os fãs), os filmes não chegam aos pés dos livros. Caberia mais uma minissérie televisiva do que uma obra cinematográfica de duas horinhas.
Tem livro que a gente não quer largar. Quando eu li "O tempo e o vento", do Érico Veríssimo, lembro que minha mãe me dava bronca: "Menino! Vem almoçar e larga esse livro! Comer assim vai te fazer mal!"
Com as Brumas, foi assim tamb´pem, mas aí eu já estava grandinho. Li no meu quarto, com o prato na mão.
Eu sei que seus pais incentivaram a você e ao seu irmão nos caminhos da intelectualidade. Reze todos os dias a Deus agradecendo por isso. Não há herança maior na vida da gente do que uma boa educação vinda de nossos pais. Sei que a Dora é muito criteriosa quanto a isso.
Acabei não vendo o documentário sobre a "Maria Bethânia". Passou muito rápido aqui no Rio. Agora, só em DVD.
Beijo, Jade.