sexta-feira, agosto 05, 2005

Quem te escreveu?

Não vou negar: eu adoro um teste, desses que, no resultado, dão diagnóstico e perfil. Pode ser o mais imbecil que eu faço e vou conferir para ver se deu certo.
Zanzando pela internet, achei um site em que tem um teste para a gente saber que escritor "nos escreveu", ou seja, somos personagens de que escritor?
O site deve ser inglês, uma vez que a maioria dos autores é da velha Albion. Portanto, para quem estiver a fim de fazer o teste será necessário ter um bom conhecimento da língua de Shakespeare, Becket e dos moradores da Barra da Tijuca.
As perguntas são interessantes e ajudam ao programa a definir em que perfil de personagem de que autor você se enquadra.
*
Querem saber quem me escreveu? Vou revelar:
Anne Rice.
*
Até que tem a ver. Como ela, gosto de uma boa história de terror, vista pelo lado mais psicológico. Tem até uma "causo" curioso: em 1990, eu estava com vontade de me aperfeiçoar como ator, deixando de ser um mero amador descompromissado. Por falta de informação, pensei em cursar a Escola de Teatro Leonardo Alves. Não seria a melhor escolha, mas eu era inocente, puro e besta no assunto. O "vestibular" para a escola era apresentar uma cena para a banca, formada pelo Leonardo e outros professores. De exibido que sou, resolvi escrever um monólogo que eu encenaria. Pensei em por no papel uma idéia que eu tinha há algum tempo e já havia definido até o título: "Da solidão dos vampiros". Era um texto em que eu desenvolvia a tese de que os vampiros eram seres atormentados por serem eternos e se alimentarem da força vital de mortais. Daí escrevi um monólogo, em estilo bem confessional, onde um vampiro se lastimava de sua sorte.
Pois bem. Escrevi e apresentei na tal escola de teatro. Os professores perguntaram de quem era o texto que eu tinha acabado de representar. Quando disse que era meu, ficaram boquiabertos. Não sei se por admiração ou por achar que eu era muito doido. De qualquer forma, fui aprovado e, quando decidi cursar a CAL (Casa de Artes Laranjeiras, um dos melhores cursos profissionalizantes de Teatro do Rio), o próprio Leonardo Alves me ligava toda semana, me oferecendo bolsa e o escambau.
Como percebi que o texto agradou, fiquei assanhado para desenvolvê-lo em uma peça completa. Estava com esta intenção, quando li no jornal que o livro de maior sucesso na Europa era "Entrevista com um vampiro", cuja temática era praticamente a mesma que eu tinha imaginado. Quer dizer, se eu tivesse escrito a peça, seria certamente acusado de plágio. Sacanagem... Jung e a teoria do Inconsciente Coletivo marcaram mais um gol.
E quem escreveu o livro antes de mim?
Anne Rice.
*
E agora quando um teste revela que eu poderia ser um personagem dela, só posso dizer: "É. Pode ser."
Se você quiser saber quem te escreveu, entre em:
http://quizilla.com/users/bligtgrrl/quizzes/Which%20Author’s%20Fiction%20are%20You%3F/
(Ah, que falta está me fazendo o curso de template do prof. Paulo...Desculpe, pessoal. Não sei criar link)
Caso tenha problemas, digite "Which Author’s Fiction are you?" no Google que você chega lá.
Faça o teste e depois me conte o resultado.
M.S.

5 comentários:

Isabella disse...

Adorei isso, Marco. Vou fazer e depois te conto. Um beijo, Bella.

Helena, the sweetie one... disse...

Hello, doce Marco! Puxa, q história, hein! Achei um barato... em tempos de "alma gêmea", vc ter criado um texto, digamos assim, parecido com o da Anne, e agora descobrir q poderia ser um personagem dela... dá até pra pensar em algo "do além"... hehehe... Mas eu tb adoro esses testes! Vou lá fazer o meu!!! Beijos. (Ah, eu não sou tãaaaaaao morena, não, tá?)

Helena disse...

Oi... surpresa: Não conheço a autora, do resultado do meu teste: Flannery O'connor, preciso pesquisar. Inté!

Paulo disse...

Meu caro Marco, acabei de lhe enviar um e-mail com a primeira lição do "curso de template". Sobre o teste, aí sou eu que precisarei de umas aulinhas para fazê-lo. Só que de inglês. Com nossa amiga Helena, de preferência. E o anunciado post sobre "Sin City"? Estou aguardando! Um grande abraço!

Evandro disse...

Legal saber de seu lado artístico, Marco.
Só não faço o tal teste porque meus conhecimentos de inglês são bem parcos.