quarta-feira, setembro 08, 2010

Domingo, eu vou ao Maracanã...


Neste domingo passado (5/9), fui ao velho estádio Mario Filho, o popular Maracanã, para ver meu amado Flamengo jogar. Quem me conhece minimamente sabe que o Mengão é para mim a impessoalidade que mais amo. Sempre que posso, quando tem jogo do meu time aqui no Rio, eu vou lá com minha camisa, meu radinho e meu coração na boca.
*
(Se eu fosse você, clicava na seta do you tube abaixo para ouvir, enquanto lê, a seleção musical que a minha, a sua, a nossa Rádio Antigas Ternuras – a Rádio que toca no seu coração – escolheu para ilustrar este post)

*
O jogo de domingo passado foi contra o Santos. Fui cheio de amor para dar, achando que faturaríamos o Peixe com nosso novo ataque, Diego e Deivid. Deu 0x0. Porém, tão importante quanto ver aquele jogo era ver o Maraca pela última vez antes da grande reforma que ele vai passar para a Copa do Mundo de 2014.
*

Eu fui lá ver o jogo e dar uma última olhada no estádio antes do fechamento. Muita gente estava lá com o mesmo pensamento que eu. Logo na rampa de acesso às arquibancadas, vi uma família: pai, mãe, filho mais velho e uma bebezinha que não devia ter nem um ano. Todos vestidos com o Manto Sagrado, que é, como todos sabem, a camisa do Flamengo. Quando estava passando pela tal família, vi o pai segurando as mãozinhas da neném, ajudando-a a dar seus primeiros passos naquele solo sagrado. E a mãe, de câmera de vídeo na mão, registrando aquele momento histórico, com a pequerrucha toda sorridente – claro, estava com a camisa do Mengão – tentando equilibrar o corpinho, aprendendo a andar. Quando ela ficar maiorzinha, vai rever aquelas imagens com muita emoção, estou bem certo.
*

Eu me lembrei de minha primeira vez no Maracanã. Era bem novinho, poucos anos mais velho que aquela neném. Estávamos eu, meu pai e minha mãe. Não era jogo do Flamengo, nem do fluminense - time do meu pai , nem do vasco - time da minha mãe. Era um botafogo x santos. De um lado, Garrincha, Didi, Nilton Santos... Do outro, Pelé, Coutinho, Pepe, Gilmar... Naquela época, ninguém queria perder um jogo como aquele, nem precisava torcer por um dos times. Até minha mãe, que nunca gostou de futebol – por isso escolheu o vasco para torcer, se gostasse teria escolhido coisa melhor... – quis assistir.
*
Era um jogo noturno. Na roleta, não queriam deixar eu entrar. Meu pai teve que mandar um caô para cima dos caras, dizer que tínhamos vindo do Paraná só para ver aquele jogo, que por favor, pelo amor de Deus etc. etc. O homem da roleta se condoeu e eu fiz minha estreia no então maior estádio do mundo.
Não lembro de quase nada, é claro. Mas ali estava eu. Em um lugar onde voltaria muitas outras vezes.
*
A oportunidade seguinte foi quando tinha 14 anos. Fui de geral com meus amigos ver Flamengo x botafogo. Ganhamos de 2x1. Eu saí do Maracanã em estado de graça. Começou ali uma enorme sequência de idas ao Maraca para ver meu amado Mengão, ou mesmo a Seleção Brasileira. Ali, vi a despedida de Garrincha, de Pelé, de Zico, vi meu time ser campeão inúmeras vezes, vi perder partidas inacreditáveis... Já saí do estádio chorando de alegria e de tristeza.
*

Ah, sim. Já vi shows fantásticos no Maracanã: Paul McCartney (duas vezes, sem dúvida, o mais emocionante show que eu vi na minha vida), Sting, Frank Sinatra, Police, Rock in Rio II, Madonna, Rolling Stones... Lembro perfeitamente de cada um, com direito a detalhes.
Já houve outras reformas estruturais no Maracanã. A geral, espaço de ingresso barato onde não havia briga, embora as duas torcidas dos times em jogo estivessem ali, misturadas, deixou de existir há alguns anos.

Tinha virado cadeiras azuis. Pois era dali que eu gostava de ver os jogos, ali vi o Flamengo ser hexacampeão brasileiro (foto ao lado e acima).
Pois agora, aquele setor vai deixar de existir. As arquibancadas vão invadir aquele espaço. Virão novos camarotes, uma cobertura para abrigar a todo público presente, reformas no campo, nos vestiários...
Vamos conferir isso em 2012.
*

Eu acredito que tudo na vida é energia. Incluindo nossas emoções. E quanto deve haver de minhas energias e de tantos outros ali, naquele gigante de concreto. Dos 60 anos de existência do velho estádio, faço parte de mais da metade de sua história. Talvez seria melhor dizer que de minha história de vida, o Maracanã é parte viva e integrante da maior parte dela.
E que venha a Copa de 2014! (E muitas vitórias do meu amado Mengão!)
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você ouve “Sou tricampeão”, de Marcos e Paulo Sergio Valle, na voz dos Golden Boys. Esta música me traz recordações de antigas ternuras... Era a música que abria as transmissões esportivas da Rádio Tupi e, nos meus tempos de rapazinho, eu subi a rampa do Maracanã muitas vezes ouvindo esta bela canção no meu radinho...

12 comentários:

Dilberto L. Rosa disse...

Tirando as loucuras exorbitantes ("manto sagrado"?! Jesus deve ter se revirado no Trono à direitade Deus-Pai-Todo-Poderoso!) e a combinação de péssimo gosto da maioria das fotos, belas reminiscências deste solo sagrado do Futebol (aí, sim!)... Fica a dúvida: até quando vão "reduzir" o Maraca?! Quantas exigências nesses dias "politicamente corretos" pré-Copa... Abração!

Francisco Sobreira disse...

Caro Marco,
Feliz de quem mora no Rio e gosta de futebol, por ter a oportunidade de ir ao Maraca. Estive 3 vezes no Rio, mas, por uma coisa e outra, deixei de conhecê-lo. Bem que gostaria de lá estar, preferencialmente num jogo do nosso Mengo e em dia de conquista de título, mas não foi possível. O Maraca é um dos símbolos maiores do Rio, felizmente não vai ser demolido, seu fechamento será temporário. Bonita homenagem você fez àquele que muitos jornalistas esportivos chamam de "o tempo sagrado do futebol". Um abraço.

Érica disse...

Queria viu? Morar no RJ, conhecer o maracanã (confesso que não em jogo do flamengo, desculpa).
Eu vou pouquíssimo ao campo, mesmo quando meu time joga, mas se o jogo fosse no Estádio Jornalista Mário Filho até que pensaria duas vezes. rsrs

Beijos

Cláudia disse...

tem certas coisas que viram símbolo né?
como ver o Rio sem o Maracanã?
impossível né querido.


beijoca pra ti


a proposito : amo Vassouras


Beijo

Claudinha ੴ disse...

Olá Marco!

Que bacana você ter registrado este momento e guardado suas lembranças para sempre. Um dia tudo acaba, as pessoas se ligam a outras e a outras coisas e cidades, os interesses mudam nitidamente e só elas restam, não é?
Mas, sua mãe é Vascaína? (GARGALHADAS IMENSAS) .

MARCOS DHOTTA disse...

Grande Maraca! Você sabia que nunca cheguei a entrar no maracanã. Verdade! Fui no Rio várias vezes, passei por lá e nunca entrei. Mas com esse seu post, me senti torcedor junto com todos.

Luma Rosa disse...

Fez muito bem em registrar esse momento histórico, sabe lá como irá ficar esse "novo Maracanã"? Ainda lembro da emoção que senti a primeira vez que fui ao Estádio. Bom fim de semana! Beijus,

J.F. disse...

Marco, amigão. Assistir um Botafogo x Santos com aqueles cracões e não se lembrar direito? Quéquéisssooooo!!!
Primeira vez que estive no Maraca, foi para ver um Flamengo e América, lá pelos idos do governo do Presidente Wenceslau. 3 a 1 pro Mengão. Torcidas misturadas e não havia problema algum. Bons tempos! Depois desse, em 57, assiti Brasil x Peru. 1 a 0 para nós e o passaporte carimbado para nossa primeira copa, na Suécia. Golaço de Didi "folha seca", para ninguém mais esquecer.
Realmente, é um templo que deve ser modernizado. Ainda bem que não apareceu nenhum doido querendo implodi-lo para construir outro.
Abração.

Ana D disse...

Todo Flamenguista merece devoção ahaha...

Ronie disse...

Pelé e Garrincha!!! Não é pouco coisa não. Eu no máximo vi Operário (time do meu cunhado) contra Vila Nova (potência do futebol planaltinense). De um lado Birrila contra o gigante Zé Afonso, no campo da rua de cima. Se vocês tivessem crédito na praça até que emprestava São Januário, mas como não tem...

FlaviaStypurski disse...

OHHH,mas como esta lindo o meu padrinho Flamenguista.
rsrsrsrs fiquei muito feliz em achar seu blog.
"Ser Flamengo é morder com vigor o pão da melhor paixão; é respirar fundo e não temer, é ter coração em compasso de multidão."
Feliz Natal!!!
Beijinho da afilhada esquecida...

Lista telefonica disse...

www.sualista.com.br