segunda-feira, julho 06, 2009

"Who is bad?"

(Video com 55 seg)

Na semana passada, eu escrevi um post sobre o assunto (que era) do momento: Michael Jackson. Infelizmente não pude postá-lo já que meu modem e minha linha de banda larga entraram em parafuso e eu fiquei dias sem internet. Não pude atualizar meu blog, nem visitar os blogs amigos.
Postar o meu texto agora já não faria mais sentido. O assunto está tão batido que ninguém mais tem paciência para ler mais uma opinião sobre o tal cara que nasceu preto, morreu branco e vai acabar virando cinza, como diz aquela piada que está rolando pela internet até hoje.
*

Mas por outro lado, não posso deixar de falar de um artista que cresceu comigo (somos da mesma geração), cujas músicas dancei, tanto as do gênero mela-cueca, quanto as mais agitadinhas, e mesmo uma e outra de suas baladas me consolaram males de amor. Não, quer queira, quer não, Michael Jackson (na foto acima, como era e como seria se não tivesse feito tanta plástica) faz parte de minhas antigas ternuras e não posso deixar passar em branco (sem trocadilho) a oportunidade de escrever sobre sua importância na minha vida.
*
No post que escrevi, eu contava sobre a primeira vez que eu o ouvi, falava dos desenhos animados do Jackson 5 que assistia nas tardes de TV, mencionava uma ou outra história desse tal "rei do pop", que desde muito já tinha virado uma espécie de personagem do seriado "Lost". Ou do "Arquivo X", sei lá... Previa que a família dele iria transformar o seu velório num circo, que o pai cafajeste iria procurar faturar algum com o evento (não deu outra!)...
Bem... Deixa pra lá. De qualquer forma, mantenho o que escrevi no final do post:
Descanse em paz, Michael. Contudo e apesar de tudo, você foi um dos maiores artistas do Século 20. Sua música, sua dança, sua arte, alegraram tantas pessoas em todos os países. E isso não é pouca coisa. Se você era boa ou má pessoa... Se você se envergonhava de sua cor, de sua raça... nem sei até que ponto a sociedade em que você viveu, que nós vivemos, que direta ou subliminarmente diz que “branco é bom, preto é ruim” tem responsabilidade nisso... Depois de tanta caridade que você fez, depois de tanta emoção, de tanta inspiração, nesse mundo tão louco e, onde como disse Caetano, “de perto, ninguém é normal”, repito suas palavras na canção "Bad", aquela que muito esquisitamente começa com a frase “Your butt is mine” (“Sua bunda é minha”. Êpa!):
“E o mundo inteiro tem que responder agora
Só para lhe dizer de novo,
Quem é mau?”
*
Pois é. Who is bad?
Vejam este vídeo curtinho, só 1min e 8seg.

Quem ensinou a estas crianças que ser negro é uma coisa ruim? E se elas crescerem, se transformarem em pessoas bem sucedidas financeiramente e quiserem ficar "boas", fazendo plásticas, alisando o cabelo tóin-nhóin-nhóin e branqueando a pele? Michael Jackson é um excelente exemplo de alguém que fez muito bem à música negra e muito mal às lutas da raça negra. Em algum momento, ele foi como um destes meninos. Se fosse chamado para apontar o boneco "feio" certamente apontaria o mesmo que elas.
*

No jogo semifinal da Taça Libertadores, parte da torcida do Grêmio gritava de forma ensandecida para o jogador Elicarlos, do Cruzeiro: “Macaco! Macaco!”. Tinha crianças naquele estádio. Inclusive crianças negras e elas certamente ouviram essa barbaridade.
Pois é. Todo mundo achando um absurdo a esquisitice daquele eterno menino talentoso de branquear a pele, atenuar as características da raça negróide, pagar a duas mulheres louras para gerarem filhos (estes três da foto acima) para ele com esperma de homens louros. Que doideira, Michael!
Então vemos um vídeo com essa experiência, cujo resultado é provavelmente fruto de anos de massacre de marketing subliminar, mostrando que ser branco é mais vantajoso.
E aí? Who is bad?
M.S.
***********************************************
Da Série: “Esse povo não presta... Ô raça!” (piadinhas que circulam por aí...)
1) Michael Jackson morre e vai pro céu. Lá ele avista São Pedro e corre na direção dele, perguntando: “Cadê o Menino Jesus?”
2) Dentro do elevador cheio, entra um rapaz e encontra um conhecido.
- Ih, cara... Sabe quem acaba de morrer?
- Não.
- O Michael Jackson!
- Ele deve ter comido alguma criança estragada...
***********************************************
Na TV Antigas Ternuras, você vê “I’ll be there”, com Michael cantando, em ótima montagem, com ele mesmo quando menino. E também um vídeo com uma interessante e apavorante experiência com crianças negras e dois bonecos.

18 comentários:

Moacy Cirne disse...

Meu cari,
MJ nunca me disse muita coisa. Mas entendo a dor de seus fabs, Outra coisa: "A partida", que só agora vi, é de fato um belo filme. Belo e emocionante.

Um abraço.

Márcia(clarinha) disse...

Meu amigopratodavida, nada do que falem sobre o assunto será tão bom como o que escreveu, maravilhosamente emocionante esse vídeo e facinho constatar que mau é aquele que se diz bom e passa de geração em geração a macaquice do negro e a candura angelical do branco, rótulos difíceis de trocar.
MJ virará cinza, e o pior, nem é piada :(
lindo dia queridoamigo
beijos

Janaina disse...

Ai, Marco... eu chorei vendo esse vídeo. Como é que crianças, Deus, crianças... já pensam assim? Não consigo dizer mais nada depois do vídeo.
Beijos.

luluonthesky disse...

Ai Marco, obrigada pelas suas palavras no comentário. Hoje chorei demais vendo o funeral do MJ. Esse será rei eterno do POP.
Big Beijos

M. Nilza disse...

Leio muito sempre , por profissão ou por opção. Poucas vezes vi um post tão bem elaborado sobre este assunto que deveríamos escrever muito mais. Chamar atenção muito mais. Não sei bem o que fazer para surtir resultado, mas precisamos...

Beijos tristes.

garotabossanova disse...

Tb escrevi sobre ele hj.Não tem como negar a importancia dele para a cultura mundial e o quanto sua capacidade inventiva vai fazer falta.Eu sou super fã e continuarei sendo.Apesar das intempéries.Que a vida pessoal se separe da profissional.Todo mito tem suas falhas e faltas.Um beijo,saudade de vir aqui...

DO disse...

Nossa,Marco,fiquei péssimo com este vídeo. estragou o meu dia.

Dilberto L. Rosa disse...

Rá, rá, rá, só você mesmo, o multifacetado primo, para misturar humor de quinta e texto de primeira sobre este ídolo pop que, se não foi de minha geração como no seu caso, cresci junto com seu sucesso (nasci com Off the Wall)! Muito bom este vídeo: causa surpresa e indignação velados, já o conhecia... Abraços pretos e brancos!

Sobre o "sua bunda é minha": advém duma cultura anglo-americana sobre o "rabo" não com cunho sexual, mas como posse, escravidão, propriedade... Era uma guerra de gangues naquele antológico clipe, lembra? E não um 'gang bang', ré, ré!

Francisco Sobreira disse...

Caro Marco,
Parece até que eu e o nosso amigo Moacy combinamos dizer a mesma coisa sobre MJ. Mas, de fato, nunca o curti. De todo modo, que ele descanse em paz, mas não estão deixando... Um abraço.

Claudinha ੴ disse...

Olá Marco!
Eu também falei alguma coisinha sobre o MJ. Não sou fãzona, mas gostava muito dele nos tempos em que ainda era preto. Não gostava da imitação de branco dele. Seria um cara muito mais apresentável se deixasse a natureza agir.
Vi o vídeo e penso como a cultura massacra as crianças. É hora de acabar com isto. Tem gente bonita e feia de todas as raças. É crime!
Que legal você abordar isto aqui.
Um beijo!

Graça disse...

Antes de tudo, agradeço a Deus pelo grande presente de conhecer vc. Sou professora de português e literatura e venho acompanhando há algum tempo suas publicações, os comentários,as "antigas ternuras"...e elas são minhas também!!!
Decidi acompanhá-lo agora publicamente e quero comentar como a um amigo que criei um blog educacional(a ideia nasceu de um antigo Projeto)e gostaria muito de ter o prazer de me ajudar com sua opinião que admiro e respeito!
Abraços cordiais.

Graça disse...

Sobre MJ eu amava aquele menino (crescido, mas uma criança!); ele me provocou uma enorme angústia existencial, como quem deseja socorrer de alguma forma um ser humano e não pode fazer muito mais do que simplesmente orar!!

Joias da Família disse...

Oi, queridão!
Se eu estivesse no lugar dele seria tão ou mais perturbada... Dinheiro demais, vampiros demais...
Pensa só: alguém lembrou de perguntar o nome do incompetente do cirurgião plástico que fez aquela merda no nariz dele? Ou será que ele foi lá e pediu assim: "ô Grande, vê aí o nariz mais caro e mais horroroso que você tiver no estoque que hoje eu quero ficar esquisitão e feio! Vitiligo vem no pacote? Beleza, então, vê um quilo pra mim!
O maior problema dele, a meu ver, foi ter uma péssima equipe de Relações Públicas...
Acusaram Sinatra de ser mafioso, Kennedy de ser galinha, Marilyn de ser fútil, Wharrol de ser excêntrico, Cazuza de Bicha... Não julgo Michael, me rendo ao seu talento. Lamento profundamente a sua morte, que me deixou triste pra caramba...

itiro disse...

Inegável a sua importância no mundo da música e o seu péssimo exemplo como negro influente que pulou a cerca. Também sou daqueles em que a sua música não me tocou, talvez por ser de uma geração diferente. Entretanto nunca ouvi tanta músicas dele nas rádios e nos jukeboxes de restaurntes como agora.
Belíssimo texto como sempre!

Mari disse...

Olá, MarcO - não acredito que errei seu nome. Logo eu, que tenho um primo chamado MarcO e sofre com o "Marcos".

Que bom que entrou no meu blog! Ele vem sofrendo de falta de identidade, de criatividade e, principalmente, de posts!!!
Do seu, já sou fã!

Grande beijo,
Mari

Luma disse...

A alma não tem cor, assim como, por dentro todo mundo é igual. A Aura do preconceito é negra.
MJ o primeiro artista multimídia e a época foi fértil para seus trabalhos. Se ele fosse inserido hoje no mercado, daria tão certo? Não daria, pois já consolidado o retorno estava difícil. Parece que agora sim, com sua morte, a indústria do entretenimento vai resgatar esse tempo $$$ que ele ficou sem produzir. Que ele descanse em paz! Beijus

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

GOSTEI. MUITO BOM!
POUCO ME IMPORTA O QUE JACKSON FAZIA, PARA MIM O QUE FICA É O MÁGICO, O BAILARINO, E O GRITINHO: AAAAUUUUUUUUUUUUUUUUUU!

Anônimo disse...

ele não quis ficar branco. ele adquiriu uma doença (vitiligo) que ataca a pigmentaçao da pele deixando uma pessoa negra com manchas brancas e altamente sensivel ao sol. o tratamento dependendo do estado do vitiligo pode ser feito com o escurecimento das manchas porem isso depende da area e do tamanho, se for muito grande, a única saída é branquear toda a pele. este foi o caso dele. ele fazia doaçoes altissimas para instituiçoes negras, mas ele era sigiloso quanto a isso pois nao queria se glorificar nem ser glorificado. ele tambem nunca molestou ninguem, o primeiro acusador, assumiu algum tempo depois da morte dele que michael nunca fez absolutamente nada com ele, tanto é que o pai do garoto se suicidou. naquela época, michael para provar a inocencia aceitou ate mesmo a tirar a roupa. só pagou pois já nao aguentava tamanha humilhaçao. o segundo, já tinha ficha na polícia e as datas que ele disse que michael teria o molestado eram incoerentes pois michael estava em Las Vegas.
é tudo uma questão de informaçao.