quarta-feira, agosto 02, 2006

Quem não se comunica...


Lá vamos nós para mais explicações sobre a origens de expressões conhecidas. Para quem está chegando agora, saiba que pesquisar sobre isso é uma de minhas queridas e antigas ternuras.
E hoje abordarei duas expressões ligadas a problemas de comunicação. A primeira é:
Não entender patavina.
*
Confesso que já usei muitas vezes esta expressão sem entender patavina sobre sua origem. Já ouvi gente dizendo que talvez envolvesse patos, já que quando um bando deles cisma de fazer esporro parece que ninguém está se entendendo.

Mas não tem nada a ver com os bichinhos. E sim com o historiador Tito Lívio.
Ele viveu em tempos de grande agitação. Basta saber que ele foi contemporâneo de Júlio César e dos imperadores Augusto e Tibério. Morreu em 17 d.C., o que significa dizer que também viveu no tempo da infância e adolescência de Jesus Cristo.
Embora ele seja reconhecido como um homem de vasta cultura e de importante obra, ele falava um péssimo latim. Por ter vivido em tempos atribulados, não pôde estudar na Grécia, para onde os ricos mandavam seus filhos com o intuito de adquirirem luzes culturais. Daí, ele falava como os habitantes da sua cidade, Patavium – hoje Padova (Pádua) - os patavinos. Não era fácil entender o que ele dizia... Por suas costas, as pessoas comentavam sofrer de patavinismo, ou seja, não conseguiam compreender o que Tito Lívio falava. Como conseqüência, veio o não entender patavina.
Aliás, conheço um porteiro de prédio que é discípulo de Tito Lívio...
*
A outra expressão que gostaria de contar a origem é a famosa
Nhenhenhém.
*
O seu significado, como todos sabem, é aquela conversa chatinha, monótona, às vezes lamurienta, outras vezes cheias de promessas vagas, um papo que não leva a lugar nenhum. Ou seja: basta ouvir qualquer político falando e você tem aí um belo exemplo de nhenhenhém.
Sua origem é indígena. Nheë, em tupi, quer dizer “falar”. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, ficavam naquela falação entre eles, diante dos indígenas, que não entendiam patavina. Na verdade, achavam aquela língua muito estranha e profundamente desagradável. Daí, diziam que os lusos ficavam a dizer “nhem-nhem-nhem”. E hoje, a gente sabe que aquele caô todo era o mais puro nhenhenhém, mesmo.
*

Vem aí o Horário Eleitoral Gratuito. O momento em que alugarão nossos ouvidos para falar muito nhenhenhém, achando que não entendemos patavina.
Entendemos, sim. Os últimos acontecimentos na política, desde as patifarias dos tempos de FHC para conseguir aprovar a reeleição, passando pelo mensalão, sanguessugas e outros quetais da atualidade, nos tem feito entender tudinho o que eles querem! Eles querem é poder! Poder com a vida da gente, poder com a nossa paciência, poder com dinheiro público! (huummm...acho que esta parte final está com erros de digitação, mas creio que vocês entenderam...)
M.S.
***********************************************
Na Rádio Antigas Ternuras, você está ouvindo João Bosco e sua “Linha de Passe”.

19 comentários:

Vendetta disse...

ai, que delícia de ler! E entender tudo, tudim, Marco Ternura... Onde você consegue essas informações? Tem um livro com elas? Curiosidades de uma gata curiosa... Beijão daqueles estalados na bochecha!

DO disse...

Claro que entendi,MARCO,hehehe
E vc ta certissimo...
Mas eu gostei muito das explicações.Não as conhecia.
Que venham outras.
Abraços!

claudia disse...

que legal...eu tenho que confessar que sou curiosa como a vendetta ali, onde acha tudo isso?

beijocas
no coração e estaladas também...

M.Eduarda disse...

Amei o texto! Não tinha noção de onde essas expressões haviam surgido! Adorei :)

beijos

Lili disse...

Também adoro saber o sgnificado das palavras e não sabia da patavina. Acabei de descobrir também de onde vem a tal "calada da noite". Esta é pra você... Um abração!

Márcia(clarinha) disse...

Humm, antes eu não entendia patavina do que era patavina mas agora eu sei o que significa patavina e bora deixar de nhenhenhém e admitir que tenho orgulho imenso de ser sua amiga, sabia?
E num é blá,blá,blá é papo reto, sim senhor,rsssss
Entendi sim Marco querido e adorei.
Que frio é esse, né?brrrrrrrrrr
Lindo dia querido,
beijosssssssssssss

Claudinha disse...

Olá Marco,
eu não conhecia a origem destas palavras e das muitas outras que nos ensina. Bom saber e poder ensinar também. Eu passo para frente,para o meu batalhão de curiosos. Um grande beijo, fique bem!

Zeca disse...

Como hoje já estou entendendo até o que é patavina, não vou fazer muito nhenhenhém pra não esticar o fio da meada...

Abração grande procê.

Vendetta disse...

Não costumo fazer isso, mas respondi teu comment lá no meu haloscan... beijo (debaixo do edredon!) ;-)

Saramar disse...

Marco, meu querido, entendi porque você é "O" mestre.
Que delícia aprender assim. Já fiquei imaginando livros didáticos para crianças, aulas divertidas, alegria de estudar, tudo provocado pelo Professor Marco.
É sensacional porque, além de tudo, João Bosco está ao fundo.
Nem consigo sair daqui, que coisa!

Beijos

rubo jünger medina disse...

Marco, daquele meu post, estou no primeiro, no terceiro também e principalmente no oitavo... rs.
Quanto a esse post seu, sobre os ditos populares, eu até tinha um flog chamado Na Boca do Povo, onde postava esses ditos. Na verdade, somente postava. Não explicava a origem.
Abraços.
Já estamos no 8º Episódio de Dulcinéia.

Janaina Staciarini disse...

A-D-O-R-E-I. E sim, entendi tudinho... :)

Giulia disse...

Óia!!! Antigas Ternuras também traz muito de cultura... ebaaa! Gostei da aula, querido Marco, e peço bissss! Beijão

Mutatis Mutante disse...

Hehehe... agora , qual a origem da expressão "tudo como antes como no quartel de Abrantes"? Fica aí minha curiosidade.

Abração!

luma disse...

E a expressão "de dar nojo" qual o significado? Tá lá na resposta que me deu nos comments! (rs*) Beijus

Yumi Yabiku disse...

ahuahuhauauh adoooro essa seção! um bjooooooo

Karine disse...

Sem dúvida... eles só querem poder... a gente!
Beijo!!
Adoro seus textos, são sempre bem humorados... deveria ser lei vc postar ao menos dois textos por dia!!

Cristiano Contreiras disse...

hahahaa!
'Patavina' é super usado aqui em casa...o mais engraçado são as variações que surgiram, com o tempo:

minha avó mesmo, chama 'patavitas', vai entender! rs

Marco Santos disse...

Então vamos deixar de nhenhenhém e partir pros finalmentes.

Querida Vendetta: Existem alguns livros que tratam da explicação da origem de palavras e expressões. Os mais interessantes são do Câmara Cascudo e do Deonísio da Silva. Desculpe eu não lembrar dos títulos. Mas não é difícil consegui-los.

Grande DO: Legal você ter gostado, amigão. Eu já postei aqui vários textos explicando a origem destas expressões. Como você só recentemente me deu o prazer de aparecer por aqui, perdeu algumas. mas de vez em quando, eu sempre conto algumas historinhas.

Querida Claudia: Fico muito feliz mesmo por você gostar dessas minhas histórias. Já indiquei os livros na resposta acima.

Querida Eduarda: Puxa! Que legal você ter apreciado! Fico feliz.

Querida Lili: Ôpa! Tem novidade pra mim? Beleza! Pode contar que eu sou todo atenções.

Querida Marcíssima: Pois em também me orgulho de ser seu amigo, ex-vizinho, conterrâneo etc. e tal.

Minha doce Claudinha: Puxa! Legal saber que você repassa minhas explicações para seus alunos. Me dá uma honra enorme. Como me sinto honrado pelo seu carinho. Obrigado!

É isso aí, grande Zeca! Mandou muito bem! Ré! Ré! Ré!...

Querida Saramar: Assim você me deixa sem graça...Só de saber que alguém de tanto talento como você está acompanhando meus textos já me deixa bem orgulhoso. Obrigado, pelos imerecidos elogios.

Grande Rubo: Estamos acompanhando a saga de Dulcinéia. E que legal saber que você também gosta de saber a origem das expressões.

Querida Janaína: Q-U-E-L-E-G-A-L! Fico muito contente por você ter gostado. Valeu!

Querida Giulia: Ré! Ré! Ré!...O redator do antigas Ternuras quer sempre ver os seus distintos leitores se divertindo e, se possóvel, adquirindo novos conhecimentos.

Grande Bruno: Ôpa! Atendemos também a solicitações! (Desde que a gente saiba, é claro...). Um dia desses eu conto essa, que não é difícil.

Querida Luma: Essa expressão é minha, embora já me alertaram que no Nordeste também é usada. Eu nunca ouvi ninguém falar isso. No contexto que eu utilizei, significa que eu sou muito romântico, muito meloso e açucarado. De causar cárie em dente de alho (outra de minhas expressões).

Querida parceirinha Yumi: Que bom que você gosta!

Karine, querida: Que gentil de sua parte! Pra mim, deveria ser lei ter a participação de pessoas tão inteligentes como você, por aqui.

Grande Cristiano: Ré! Ré! Ré!...É comum algumas expressões sofrerem transformações ao longo do tempo. O famoso "é a tua cara, esculpido e escarrado" é um exemplo. O original éra "é a tua cara, esculpido em Carrara" (um tipo de mármore).

Valeu, moçada! Abraços e beijinhos e carinhos e ternuras sem ter fim!