segunda-feira, março 06, 2006

Causos & coisas


Não sei vocês, mas eu adoro um "causo". São aquelas histórias, nem sempre verídicas, mas contadas como se fossem e na verdade isso nem importa. Vale mais o sabor da história. Em muitas partes do Brasil elas têm este nome: causo, mas os profissionais de marketing e os moradores da Barra da Tijuca chamam de "case".
Acho que eu já escrevi aqui no Antigas Ternuras que desde pequeno, quando eu percebia que adultos iam contar seus "causos", eu me esgueirava pelos cantos, já me preparando para saborear algum bom relato. Guardo vários ainda na memória e estas histórias são, verdadeiramente, minhas antigas ternuras.
*
E um dia desses, estava eu marcando presença no excelente blog Museu de Tudo (link aí ao lado, no "Outras Palavras"), do talentosíssimo Théo, quando me deparo com um comentário feito pelo blogueiro Moacy Cirne.
Acontece que ele foi meu professor na Universidade Federal Fluminense, onde me graduei como jornalista, em mil novecentos e não vem ao caso. Cirne é uma das grandes autoridades nacionais em quadrinhos e um excelente professor.
*
Feliz por ter achado meu antigo mestre – agora sediado em Natal/RN - fui visitar o seu blog, o Balaio Vermelho.
Ah, que felicidade! Lá tem vários "causos", cada um mais delicioso do que o outro. Li tudo o que estava postado e ainda quero voltar lá para ver o arquivo.
*
Por isto, caros amigos, recomendo fortemente uma visita ao Balaio Vermelho. Se vocês gostam de boas histórias, vão se deliciar. Para terem uma idéia, aí vai um dos "causos" contados por Cirne. Não sei vocês, mas eu caí na gargalhada e ainda rio só de lembrar.
M.S.
ACONTECEU EM VENHA VER (RN)

Segundo os freqüentadores do Sebo Vermelho, em Natal, o fato narrado a seguir aconteceu na cidade potiguar de Venha Ver, situada no Oeste do Estado, há coisa de oito ou dez anos.
Vamos à estória:
Doralice era uma bela jovem, cuja morenice transformava-se em colírio para os marmanjos de todas as idades. Pois bem: Doralice, contrariando os pais, resolveu conhecer a capital norte-rio-grandense. E aqui ficou um mês inteiro, no bairro do Alecrim, na casa de uma velha tia. Ao voltar para Venha Ver, o pai, mais desconfiado do que nunca, na falta de um médico amigo, solicitou ao Delegado que examinasse a filha e desse um parecer oficial sobre a donzelice da querida filhota, com seus 17 aninhos.
Meia hora depois, o Delegado apresentava o seguinte parecer:
Examinando as partes vaginais de Doralice, filha de Seu Hermógenes, não encontramos nenhum sinal de defloramento. Porém, examinando as partes rabinais da dita cuja encontramos manchas escuras, que tudo indica ser resultado de pancada muito bem dada de caralho duro.

5 comentários:

Belisa disse...

Viva Crash!

Moacy disse...

Puxa, cara, Obrigadíssimo. Só uma pequena correção: Continuo residindo no Rio, só que, a bem da verdade (como agora), com longas temporadas em Natal. Afinal, estou aposentado... Um grande abraço.

Mut disse...

Hhhhhhhhhhh... sensacional essa! Até lembra aquela música do Caymmi:"Doralice , eu bem que lhe disse , olha essa embrulhada em que vou me meter , como é que nós vamos fazer?"

Um abraço!

Marco Santos disse...

Valeu mestre Cirne! Estarei sempre verificando o seu Balaio.

Pô, Brunão, só você para pensar em Caymmi. Com essa história eu só consigo pensar em Odair José. Abração procê!

Fernanda disse...

Oi, Marco!

Muito obrigada!

Claro! Pegue ae o meu MSN: fer_b_ruiz@hotmail.com.

Kisses