quinta-feira, dezembro 08, 2005

Lennon


Há exatos 25 anos, no dia 8 de dezembro de 1980 eu acordei pela manhã, passei um pente nos cabelos, igual diz na letra de “A day in the life” dos Beatles. E posso dizer também que “I read the news today oh boy” e foi quando tomei conhecimento da manchete: “John Lennon é assassinado”.
Lá se ia um de meus ídolos de infância. Um dos caras que me ensinaram a gritar “Help” quando eu só tinha dez anos.
Resolvi lembrar a data com a letra de uma de suas músicas. Uma das que mais gosto (e são tantas...). Uma das músicas que ele fez para a sua amada Yoko.
Mas que serve como trilha sonora para todos nós que acordamos pela manhã, lemos o jornal e depois vamos até o espelho. Lá, poderíamos recitar estes versos.

Look at me (Olha pra mim)
What am I supposed to be? (O que eu imagino ser?)
What am I supposed to be?
Look at me
What am I supposed to be?
What am I supposed to be?
Look at me
Oh my love oh my love (Oh meu amor, oh meu amor)
Here I am (Aqui estou)
What am I supposed to do?
What am I supposed to do?
Here I am
What can I do for you? (O que eu posso fazer por você?)
What can I do for you?
Here I am
Oh my love oh my love
Look at me, oh please look at me, my love
Here I am - oh my love
Who am I? (Quem sou eu?)
Nobody knows but me (Ninguém sabe só eu)
Nobody knows but me
Who am I?
Nobody else can see (Ninguém mais pode ver)
Just you and me (Só eu e você)
Who are we (Quem somos nós)
Oh my love oh my love
****************************
Fique com Deus, John. Whatever gets you through the night. It’s all right…
M.S.

18 comentários:

Ronie disse...

Eu tinha apenas oito anos: não entendia muito por que aquele auê todo. Hoje entendo. No entanto, hoje completa três anos e dez meses que conheci minha amada Geise (ninguém perguntou, mas digo assim mesmo). Vamos comemorar: ouviremos o quê mesmo? Ah tá: Shaved Fish, Lennon & Plastic Ono BAnd. Salve John.

Paulinho Patriota disse...

Marco:

Semelhante à Você,me lembro perfeitamente da data do assassinato do homem de Liverpool,que se tornou do Universo: no dia mesmo,estava viajando. Mas ao chegar no apartamento das minhas tias,no dia seguinte,9,que estava vazio,posto que elas saíram para trabalhar,deparei-me com o jornal "Diário de Pernambuco" estendido ma cama do quarto de hóspedes,com a fatídica manchete em letras garrafais.

Foi um choque pasmo. Meu sentimento foi o de ter perdido alguém muito amado da família ou de um amigo de infância.

Quanto à tua postagem,magnífica como sempre,emotiva,com a imagem espetacular e texto idem.

Já que ambos (até agora,antes de mim,postara Ronie)na época o que vos fala tinha exatamente 17 anitos.

Continue assim,com textos enxutos,precisos e aprimorados, que nos fazem ansiosos por nova atualização.

Obrigado. E tenham uma grande sexta-feira.

PS: tenho aqui a obra "A balada de John & Yoko",publicada pelo saudoso "Círculo do Livro" da Editora Abril. E vou reler. O que me impressionou imenso nele,Lennon,foi a sua total ausência de hipocrisia. Lá está o britânico e Yoko em nu frontal na capa do disco "Unifinished Music Nº 1".

E,para terminar,repito George Harrison,seu grande amigo: "ROUBAR UMA VIDA É O ROUBO MAIS DEFINITIVO"!

Paulinho Patriota disse...

Complementando,quis digitar:

"Já que ambos reveleram a idade na ocasião (até agora,antes de mim,postara Ronie,na época da morte horrível de John o que vos fala tinha exatamente 17 anitos."

Marco Santos disse...

No texto, ficou parecendo que eu tinha dez anos quando John foi assassinado. Foi com esta idade que eu me tornei beatlemaníaco. Já consertei o mal entendido. Na verdade, eu tinha bem mais que dez anos. Eu já estava trabalhando, em 1980, aliás, fui eu quem deu a notícia pros colegas.
Parabéns pela data, Ronie. Você encontrou a sua "Yoko" e haverá de ser tão feliz com ela quanto John foi com a própria. A propósito, eu encontrei a Yoko em New York, em 1997. Tirei até uma foto abraçado com ela.
Paulinho grande Patriota: Eu também tenho este livro. Como tenho também "A vida dos Beatles" (biografia autorizada escrita por Hunter Davies) e "Paz, Amor e Sgt. Pepper - Os bastidores do disco mais importante dos Beatles". Os três são uma espécie de catecismo básico dos beatlemaníacos. Vi trocentos documentários sobre os Fab Four. Ontem mesmo, vi um no GNT. E fiquei sabendo, para o meu pasmo, que Paul e John se encontravam em 1974/1975 (quando John estava separado de Yoko) e pensavam em voltar a tocar juntos. Só não aconteceu a tão sonhada volta porque o Lennon retornou para os braços da Yoko e ela o dissuadiu. Mas essa para a gente botar na conta da japa...

Luiz Henrique Oliveira disse...

Olá.
Venho ao seu blog através do fabuloso blog "Cinema Aspirinas e Urubus", da dupla Assumpção/Guimarães. E que grata surpresa, por mais incrível que possa parecer, é um dos únicos posts que falam sobre Lennon, sem dúvida um dos maiores músicos que pisaram neste planeta.

Eu nem era nascido quando John morreu, mas desde criança já ouvia Imagine com freqüencia, escutava Beatles enlouquecidamente, e me entristecia quando ouvia "Working Class Hero". A obra de Lennon é vasta, e a que teve mais sucesso solo, depois da separação dos Beatles.

Esse faz uma falta imensa nos dias de hoje.
E me despeço, ouvindo uma música que meio que se tornou um hino pra mim: (Just Like) Starting Over.

Abração, e até mais!

Evandro disse...

Justíssima homenagem, Marco. Gostei muito da citação de versos de A Day in the Life. Sou apaixonado por esta música. Parece que foi feita para expressar o que é a minha pessoa. Não pela letra, mas por seu clima sombrio e soturno. É uma beleza difícil de gostar para a maioria, mas que possui uma força incomparável!

Flávio Perina disse...

Falaí, tudo bom, Marcos??? bem, alguma coisa temos em comum: o mesmo template (rs). Querro agradecer sua visita e se achar interessante, dê-me uma força no OmniCam 2005. Só tenho a agradecer. Um grande abraço,

Flávio Perina disse...

Ah! Ia me esquecendo: parabéns pelo post sobre Lennon. Lembrome como se fosse hoje o dia de sua morte. Esse cara faz muita falta. Tenha um bom fim de semana.

Mut disse...

Bem... eu adoro Beatles , mas não tinha nem nascido na época que Lennon morreu. Teria sido uma choradeira enorme , tal como quando Harrison morreu(eu comecei a chorar na escola , a professora desconfiou , me deu bronca... :D). Foi muito casca grossa aquele dia. E até hoje quando vejo a foto do filha da mãe(não falemos o nome dele...) eu me angustio...

Um abraço!

Fada azul disse...

Olá. Primeiramente venho agradecer a sua visita ao meu humilde mundo azul, e pelas palavras de carinho.
Lendo teu post voltei no meu tempo, no tempo em que curtia rock rol, das festinhas, das danças. Saudades dessa época, da mini-saia, do cabelo rebelde da liberdade..Tudo na vida passa,e a única coisa que nós sobra e recordar com saudades..
Beijinhos fadais, fique com Deus e muito sucesso pra ti. da amiga Fada azul

Paulinho Patriota disse...

Grande Marco: é com grande prazer que irei votar nos blogs indicados. Não o farei hoje,entretanto. Vou dar uma espiadela cuidadosa em cada um dos blogs,amanhã depois das 14:00.

Vou colocar o UNDER PRESSURE 2.0 nos meus links,pois sendo um blog que conheces,certamente que é papa fina!

Tenha um fim de semana igualmente formidável,meu bom!

Marco Santos disse...

Obrigado pelas visitas ilustres. Já retribuí e agradeci nos respectivos blogs.
Meu bom Paulinho, eu tomei a liberdade de indicar o seu site para uma possível indicação no próximo OmniCam. O Zoom Cotidiano é show de bola.

Marco Santos disse...

Amigo Evandro, desconhecia esta sua faceta sombria. A day in the life é maravilhosa e deu um trabalhão para gravar. especialmente pelo prolongado acorde final de piano. Um abraço.

Belisa disse...

Marcos, tu conhece o autor da foto/pintura?

Marco Santos disse...

Belisa: Não conheço o autor. Peguei a imagem na Internet. Queria uma foto dele para ilustrar mas não queria nada muito batido. Fui buscar algo diferente e encontrei esta ilustração que lembra vitral de igreja. Se você quiser conhecer o site de onde eu tirei é só ir pelo "Propriedades". Lembro que era um site da Europa Oriental.
Outra coisa: meu nome não tem "S". Sou Marco no singular.

Paulo Assumpção disse...

Acho que só soube da exitência de John Lennon no dia de sua morte. Também pudera, eu só tinha seis anos quando de seu assassinato. Mesmo desconhecendo àquela altura a importância de Lennon, lembro-me de ter ficado intrigado e chocado ao ouvir a notícia pelo rádio, um pouco depois de ter acordado. Bela e merecida homenagem! Em tempo, agora que citou, fiquei curioso para ver esta sua foto com a Yoko.

P.S.: Agradeço ao Luiz pelo "fabuloso blog".

Marco Santos disse...

Um dia desses eu te mostro a foto. E conto a história de como foi meu encontro com a Sra. Lennon.
O Luiz tem toda a razão: o seu blog é mesmo fabuloso. Espero que você consiga reconstruí-lo no "Cinema, Aspirinas e Urubus" do Blogger. Um abração!

Belisa disse...

Sim, claro... Desculpe, MarcO. Falha minha...

Só perguntei porque achei sensacional a foto. Inclusive coloquei como meu papel de parede. Mas me lembrou mais os quadros cubistas de Picasso do que vitrôs de igrejas, hehehehehhe. Abração!